Brasil de Pelotas passa fácil pelo Joinville e fica perto do G4 da Série B

Xavante sobe para o sétimo posto da tabela, enquanto JEC permanece na zona de rebaixamento

Brasil de Pelotas passa fácil pelo Joinville e fica perto do G4 da Série B
Dono de sete gols na Série B, Felipe Garcia é um dos artilheiros da competição (Foto: Carlos Insaurriaga/G.E. Brasil)
Brasil
2 0
Joinville
Brasil: Eduardo Martini; Weldinho, Leandro Camilo, Teco e Marlon; Leandro Leite, Washington, Felipe Garcia, Diogo Oliveira e Ramon; Marcos Paraná. Técnico: Rogério Zimmermann
Joinville: Oliveira; Reginaldo, Bruno Aguiar, Ligger e Diego; Naldo, Paulinho Dias, Gabriel Vasconcelos, Carlos Alberto e Dodô; Heliardo. Técnico: Fabinho Santos
Placar: 1-0, 5/1ºT, Marcos Paraná. 2-0, 16/1ºT, Felipe Garcia
ÁRBITRO: Flávio Rodrigues de Souza (SP), auxiliado por Márcia Bezerra Lopes Caetano (SP) e Alberto Poletto Masseira (SP). Cartões amarelos: Paulinho Dias e Bertotto (JEC)
INCIDENCIAS: Jogo válido pela 14ª rodada da Série B do Brasileirão, no estádio Centenário, em Caxias do Sul (RS)

Um time que conta com o mesmo treinador há mais de quatro anos. Outro que acabou de contratar um novo comandante. O grande tempo de trabalho pesou a favor do Brasil de Pelotas na tarde deste sábado (2). Contra o Joinville, os gaúchos fizeram 2 a 0 pela 14ª rodada da Série B do Brasileirão no estádio Centenário, em Caxias do Sul.

Devido ao resultado, o Xavante chegou aos 22 pontos na competição nacional e subiu para a sétima colocação, podendo ser ultrapassado apenas pelo Bahia. Enquanto isso, os catarinenses permanecem no 18º lugar com apenas 11 pontos conquistados até o momento.

Na próxima rodada (15ª), o Rubro-Negro do Sul do RS vai ao Rio de Janeiro. No sábado (9), a partir das 18h30, o adversário é ninguém menos que o líder Vasco, em São Januário. Duas horas e meia mais cedo, o JEC recebe o lanterna Sampaio Corrêa em busca de recuperação no campeonato.

Primeiro tempo de total domínio do Brasil

Pelo lado mandante, o técnico Rogério Zimmermann mandou a campo uma equipe com todos os jogadores disponíveis e considerados titulares. Apesar de ter recém confirmado a chegada de Lisca, o Joinville não teve nenhuma mudança significativa em relação ao último compromisso na Série B.

Dentro das quatro linhas, o começo xavante foi avassalador. Logo no primeiro minuto, Diogo Oliveira bateu falta e a bola quicou na frente de Oliveira, que espalmou para escanteio. Aos cinco minutos, Marcos Paraná recebeu de Diogo dentro da área, girou em meio aos defensores, arranjou espaço e finalizou de perna esquerda. A redonda ainda tocou na trave esquerda e morreu no fundo das redes: 1 a 0!

Foto: Carlos Insaurriaga/G.E. Brasil

Até então desnorteado, o Joinville passou a tentar jogar. As tramas pelo flanco esquerdo com o lateral Diego, porém, acabaram contidas pela defesa rubro-negra. Foi justamente o camisa 2 do Brasil quem deu assistência açucarada para o clube dilatar o marcador aos 16 minutos. Depois de acionar Diogo em arremesso lateral, ele cruzou na cabeça de Felipe Garcia. Completamente livre na área, o artilheiro não perdoou e cabeceou sem dar chances ao goleiro: 2 a 0!

O momento da partida era todo do Xavante. Três minutos após o segundo gol, o time construiu jogada desde o campo defensivo com passes rápidos. A bola chegou até Marcos Paraná, que perdeu tempo mas conseguiu encontrar Weldinho. O lateral levantou e Washington dominou com certa liberdade antes de concluir em cima de Ligger. Enquanto isso, os catarinenses só buscavam o desconto através de bolas aéreas, sempre afastadas pela zaga vermelha e preta.

Ainda aproveitando o excelente panorama que se apresentava, o Brasil quase marcou o terceiro. Primeiro, Diogo cobrou falta frontal e Leandro Camilo apareceu livre após desvio. Na pequena área, o zagueiro isolou de forma incrível. Aos 28 minutos, outra oportunidade clara. Aproveitando lançamento do camisa 10, Ramon saiu na cara de Oliveira e mandou em cima do arqueiro.

A movimentada etapa inicial ainda reservou alguns bons lances. Uma cabeçada de Camilo nas mãos de Oliveira e um chute de Marlon travado por Bruno Aguiar. O JEC tentou com chute de longe dado por Carlos Alberto e também em associação de Reginaldo com Gabriel Vasconcelos pela direita de ataque. Nada feito. Intervalo com 2 a 0 a favor do Brasil.

Xavante administra e garante triunfo

Para a metade final, o Tricolor do norte de Santa Catarina voltou com duas alterações: Paulinho Dias e Dodô deram lugar a Bertotto e Juninho. A primeira finalização se deu aos dois minutos, quando Diogo Oliveiar mandou falta direto para o gol e exigiu defesa de Oliveira. Na sequência, o ritmo do confronto passou a ficar um tanto quanto sereno. Aos dez, Diego recebeu na entrada da área xavante e concluiu por cima da meta de Eduardo Martini.

A partir daí, uma sucessão de erros na tomada de decisão final prejudicaram os dois ataques. As duas equipes não conseguiam penetrar nas defesas adversárias com bola no chão. Quando Ramon escapou pela esquerda, ninguém apareceu na área para completar. De longe, o camisa 9 do Brasil chutou e sequer assustou. O mesmo aconteceu com Gabriel Vasconcelos.

Foto: Carlos Insaurriaga/G.E. Brasil

Na reta derradeira do duelo, Rogério Zimmermann começou a realizar substituições nos mandantes. O primeiro a sair foi Ramon, que cedeu espaço a Nathan. Depois, Clébson ingressou na vaga de Diogo Oliveira. Em meio à isso, Bertotto e Heliardo chutaram mas não levaram perigo a Martini.

No fim, Marcos Paraná sentiu cãimbras e Nena entrou. Ainda deu tempo de Felipe Garcia cabecear aproveitando cruzamento de Marlon e quase ampliar, mas o placar se manteve mesmo no excelente 2 a 0 a favor do Xavante, quase integrante do G4 da Série B. Agora, resta a Lisca trabalhar para tirar o Joinville da zona da degola.