Na Arena, Joinville e Bragantino fazem jogo decisivo na luta contra o rebaixamento

Para o JEC sair do Z-4, precisa vencer o Massa Bruta e torcer para o Oeste perder na rodada desta terça-feira (8)

Na Arena, Joinville e Bragantino fazem jogo decisivo na luta contra o rebaixamento
Coelho nunca perdeu em casa para rival (Foto: Divulgação/Joinville EC)
Joinville
Bragantino
Joinville: Jhonatan; Reginaldo, Danrlei, Ligger e Fernandinho; Tinga, Kadu (Luis Meneses ou Paulinho Dias), Juninho, Fernando Viana e Aldair; Jael. Técnico: Ramon Menezes
Bragantino: Renan Rocha; Gabriel Dias, Lucas Rocha, Diego Sacoman e Fabiano; Edson Sitta, Everton Dias e Alan Mineiro; Watson, Léo Jaime e Rafael Grampola. Técnico: Estevam Soares
ÁRBITRO: Wagner Reway.(MT), auxiliado por Eduardo Gonçalves da Cruz e Fábio Rodrigo Rubinho
INCIDENCIAS: Partida válida pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B de 2016, a Arena Joinville, Joinville (SC); a partida começa às 21h30 (horário de Brasília)

Para o Joinville, é primeiramente vencer o Bragantino nesta terça-feira (8), às 21h30, e em seguida torcer para que o jogo entre Oeste e Avaí acabe com uma derrota do clube paulista, para que essa combinação tire o Coelho da zona de rebaixamento da Série B. Enquanto isso, para o Massa Bruta, é ir para o norte de Santa Catarina e vencer o tricolor catarinense na Arena Joinville, porque, caso contrário, o rebaixamento estará praticamente sacramentado.

No primeiro turno, o Bragantino venceu o JEC no Nabi Abi Chedid por 2 a 0. O Joinville venceu na última rodada o lanterna Sampaio Corrêa por 2 a 1, fora de casa, enquanto o Braga não saiu do 0 a 0 contra o Oeste, em Bragança Paulista.

Torcendo para arquirrival, JEC pode sair da zona de rebaixamento com uma vitória

Para muitos já estava rebaixado, já era mais um time carimbado na Série C, mas o JEC está muito vivo na briga para fugir do rebaixamento, e já pode escapar do temido Z-4 nessa rodada. Basta o Oeste perder para o Avaí em casa, e o Tricolor fazer a sua parte, que é vencer o Bragantino.

Para a partida, o técnico Ramon Menezes não poderá contar com o volante Naldo, que foi expulso na partida contra o Sampaio Corrêa. Para suprir a ausência do 'cão de guarda' tricolor, três jogadores brigam pela vaga (Kadu, Luis Meneses e Paulinho Dias), mas o substituto será decidido apenas uma hora antes da partida.

Mesmo sem revelar o time, Ramon deu indícios de que Danrlei, Aldair e Juninho serão titulares contra o Massa Bruta, jogadores que corresponderam bem contra o Sampaio Corrêa. Sobre esse assunto, o técnico tricolor disse: “Estamos estudando o adversário e o mais importante é estarmos juntos nesse momento e o Joinville fazer um grande jogo e vencer. Gostei dos jogadores que entraram, tem que ser assim, com a chance, fazer o seu melhor”.

Não tem conversa para o Bragantino, é vencer ou vencer

O Massa Bruta vai até a maior cidade de Santa Catarina para fazer o que nunca fez antes no local da partida: vencer. Nos cinco confrontos entre JEC e Bragantino em Joinville, foram quatro vitórias do tricolor e um empate. Ou seja, o time paulista terá que fazer história caso queira fugir da Série C. O empate em casa contra o Oeste na última rodada só aumentou as possibilidades de rebaixamento para os comandados de Estavam Soares, que em números se convertem para 94%.

Dois pontos atrás do Joinville e cinco atrás do Oeste, o Bragantino não pode mais pensar em vacilar, já que o caminho para escapar do rebaixamento está cada vez mais difícil para o time paulista. Com 31 pontos, em 18º lugar, o Massa Bruta está a cinco pontos no 16º colocado, com apenas quatro rodadas para o fim da competição. Nesta segunda-feira (7), o time anunciou o desligamento dos zagueiros Ednei e César Gaúcho, do volante André Rocha e dos meias Felipe Nunes e Rivaldo, que não fazem mais parte do elenco.

Artilheiro do time na competição com cinco gols, o atacante Rafael Grampola falou sobre as chances de permanência do Bragantino, mas ele não jogou a toalha. “Complica um pouco mais, mas ainda há esperança. Sabemos que temos que seguir batalhando e quanto há vida há esperança e vamos lutar até o final”.