Pimentinha é decisivo, Sampaio Corrêa bate Náutico e encerra jejum de nove jogos sem vitórias

Atacante participou dos quatro gols e garantiu uma importante virada diante do Timbu, que se complica na luta pelo acesso

Pimentinha é decisivo, Sampaio Corrêa bate Náutico e encerra jejum de nove jogos sem vitórias
Foto: Elias Auê/Sampaio Corrêa
Sampaio Corrêa
4 3
Náutico
Sampaio Corrêa: Rodrigo Ramos; Guilherme Lucena, Éder Sciola, Wagner Fogolari e Renan Luís; Diogo Orlando, Tássio e Rayllan (Gustavo Marmentini, min 59); Pimentinha (Felipe Baiano, min 81), Elias e Enercino (Jean Carlos, min. 33). Técnico: Flávio Araújo.
Náutico: Rodolpho; Joazi (Yuri Mamute, min 79), Igor Rabello, Adalberto e Gastón Filgueira; Negretti, Maylson (Rodrigo Souza, min 58), Vinícius e Hayner (Hugo, intervalo); Rony e Jefferson Nem. Técnico: Alexandre Gallo.
Placar: 0-1, Vinícius, min 16; 1-1, Pimentinha, min 35; 1-2, Vinícius, min 47; 2-2, Elias, min 71; 3-2, Elias, min 73; 4-2, Pimentinha, min 75; 4-3, Igor Rabello, min 82;
ÁRBITRO: Caio Max Augusto Vieira (RN), auxiliado por Flávio Gomes Barroca (RN) e Vinícius Melo de Lima (RN). Cartões amarelos: Joazi, Hugo e Adalberto (Náutico), Rayllan e Pimentinha (Sampaio Corrêa).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 23ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, realizada no Castelão, em São Luís, no Maranhão. Público: 2.769. Renda: R$ 15.620,00.

O Castelão, em São Luís, foi palco de duelo de opostos pela 23ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro 2016. Neste sábado (3) à noite, o Sampaio Corrêa mediu forças contra o Náutico buscando deixar a lanterna. Durante boa parte do confronto, parecia que a Bolívia continuaria sem vencer na competição, mas contou com noite inspirada de Pimentinha para reencontrar as vitórias por 4 a 3 depois de nove jogos. Pimentinha (2x) e Elias (2x) fizeram para o Sampaio, enquanto Vinícius marcou para o Timbu.

Com o resultado desta noite, o Sampaio ainda continua afundado na lanterna da Série B do Campeonato Brasileiro, mas agora soma 17 pontos. O primeiro time fora do Z-4, o Goiás tem 27 pontos. Já o Náutico fica em situação mais complicada na luta pelo retorno à Série A. O Timbu ocupa a oitava posição, com 31 pontos, sete a menos que o quarto colocado da competição, o CRB, mas pode aumentar isso com o complemente da rodada.

Os times voltam a campo, pela 24ª rodada da Segundona, na próxima semana. A Bolívia Querida vai a Bragança Paulista para medir forças diante do Bragantino na terça-feira (6), às 19h30, no Nabi Abi Chedid, enquanto o Timbu duela contra o Bahia às 16h30 do sábado (10), na Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata.

Equipes fazem jogo parelho e ficam iguais ao intervalo

Com apenas a vitória interessando para se recuperarem na tabela, os times iniciaram o duelo de maneira muito truncada e morna, sem ir muito ao ataque e criando poucas jogadas. Ainda que os goleiros não tivessem trabalho, os jogadores começaram a se soltar mais e buscar atacar para tirar o zero do marcador.

Mesmo fora de casa, o Náutico não se acomodou e foi para cima, afim de sair em vantagem. Depois de cobrança ensaiada de escanteio, Igor Rabello tocou na entrada da área para Gastón Filgueira, que chegou com velocidade e encheu o pé, mas a bola saiu próxima à trave e indo com perigo.

Com pressão e persistência, o Timbu soube valorizar a superioridade dentro de campo, a equipe demonstrou qualidade e abriu o placar na casa do adversário. Trabalhando a bola, Vinícius tabelou bonito com Rony e saiu com liberdade para o chute. De trivela, o meia alvirrubro tirou do alcance de Rodrigo Ramos e acertou o ângulo.

Apesar da pouca criatividade dos seus homens de frente, os visitantes estavam bem defensivamente, enquanto que os maranhenses pouco agrediram. Visando dar novo gás, Flávio Araújo optou por promover alteração de peça ofensiva, colocando Jean Carlos na vaga do vaiado Enercino. A mudança surtiu efeito imediato e o Sampaio conseguiu a igualdade logo em seguida, quando Tássio avançou com velocidade e achou Pimentinha livre. Sem marcação por perto, o atacante invadiu a pequena área e bateu cruzado, deixando tudo igual.

Na reta final, o Tubarão mostrou que buscaria a virada antes mesmo do intervalo e assustou a meta pernambucana. Repetindo o momento do empate, porém com Pimentinha fazendo tudo sozinho e chutando forte, parando em importante intervenção de Rodolpho, impedindo o segundo tento.

Vinícius marca novamente, mas Pimentinha chama responsabilidade e garante virada 

Para o segundo tempo, o técnico Flávio Araújo resolveu manter o mesmo time da primeira etapa, enquanto o técnico Alexandre Gallo apostou na entrada do experiente meia-atacante Hugo no lugar de Hayner. Com a bola rolando, o Náutico voltou mais em cima buscando voltar a ficar na frente novamente e não demorou muito para conseguir esse objetivo. Jefferson Nem avançou pela direita, aos dois minutos, e cruzou com qualidade para Vinícius cabecear e marcar mais uma vez, garantindo a alegria do torcedor alvirrubro.

Com o Náutico em vantagem, era esperado um Sampaio Corrêa bem mais desesperado por conta da sua situação delicada. Assim, aguardava-se um Timbu atuando no erro adversário para garantir o triunfo e seguir sonhando com o grupo dos quatro melhores. No entanto, a Bolívia passou a apertar com perigo. O gol de empate quase aconteceu aos oito minutos, quando Jean Carlos cobrou uma falta dentro da meia lua na frente da grande área e obrigou Rodolpho a fazer ótima intervenção.

Vendo os donos da casa passarem a ter mais intensidade em campo, o técnico Alexandre Gallo acionou Rodrigo Souza no lugar de Maylson, enquanto Flávio Araújo tirou Rayllan para colocar Gustavo Marmentini. O nome do jogo mesmo, entretanto, já estava em campo, atuando com bastante velocidade pelo lado esquerdo. Pimentinha resolveu chamar a responsabilidade e fazer o que o torcedor maranhense espera. 

O atacante passou a ir para cima da marcação alvirrubra, que deixava bastante espaço pelo lado direito de defesa. Aos 25 minutos ele avançou com velocidade, entrou na área e acabou tendo seu pé de apoio tocado por Jefferson Nem. A arbitragem marcou a penalidade. Elias pegou a bola e bateu no canto esquerdo de Rodolpho, que nada pôde fazer. Foi preciso apenas mais dois minutos para acontecer a virada. Novamente Pimentinha entrou na área passando por todo mundo e foi derrubado de maneira infantil por Adalberto. Elias, mais uma vez, cobrou com qualidade, tirando qualquer chance de defesa e garantiu a virada.

A equipe visitante acabou sentindo a virada e o Sampaio Corrêa aproveitou bem para aumentar a vantagem. Em um contra-ataque espetacular, Gustavo Marmentini mandou para Jean Carlos colocar velocidade pela direita. Ele avançou bem e cruzou rasteiro para Pimentinha completar para o fundo das redes e garantir a festa do torcedor maranhense.

O Náutico ainda tentou uma reação e chegou a balançar as redes com o zagueiro Igor Rabello, que aproveitou bem o cruzamento de Rony e diminui. Depois disso, nada mais aconteceu e os donos da casa venceram por 4 a 3, encerrando um jejum de nove jogos sem ganhar.