Gabriel Jesus comemora ouro olímpico na volta ao Palmeiras: "Focamos na medalha"

Atleta conversou com a imprensa na manhã desta terça-feira na Academia de Futebol.

Gabriel Jesus comemora ouro olímpico na volta ao Palmeiras: "Focamos na medalha"
Gabriel Jesus falou sobre ouro olímpico e retorno ao Verdão (Foto: Fabio Menotti/Ag Palmeiras/ Divulgação)

Gabriel Jesus está de volta ao Verdão. Em entrevista coletiva dada na manhã desta terça-feira (23), na Academia de Futebol, o camisa 33 falou na oportunidade sobre sua participação na conquista do ouro olímpico inédito e seu retorno ao Palmeiras.

O atacante começou a entrevista falando sobre a qualidade do elenco campeão. “Era um grupo excelente, todos do bem, querendo jogar, ajudar a equipe e, mais do que tudo, conquistar o ouro. Graças ao trabalho de todos, desde o massagista, o roupeiro até os jogadores. Todos foram com o pensamento de medalha e conseguimos”, afirmou.

Jesus relembrou o corte do goleiro Fernando Prass da seleção e a homenagem feita ao arqueiro na grande final. “Fiquei muito chateado quando ele foi cortado porque ele merecia estar ali. Ele trabalhou muito para isso e agora ficou mais complicado para ele ter outra oportunidade de conquistar uma Olimpíada", comentou.

Ele fez parte disso, nos ajudou muito lá, dentro e fora de campo enquanto esteve com a gente. O Prass também ganhou o ouro. No momento em que ele foi cortado, no vestiário do jogo contra o Japão, eu já pensei em homenageá-lo. Mas, em alguns treinos, outros jogadores comentaram também. Quando acabou o jogo (contra Alemanha), eu fui ao vestiário pegar a camisa dele e fiquei com ela no banco. Assim que o Neymar fez o gol nos pênaltis, eu já coloquei a camisa na hora porque é um cara que me ajudou bastante no Palmeiras. Ele merecia estar na Seleção e, infelizmente, não disputou a Olimpíada”, explicou.

Após as comemorações, agora o atacante volta a se concentrar no Palmeiras, líder do Campeonato Brasileiro, para ajudar o time a conquistar o título, e garantiu que jogará da mesma maneira que vinha jogando antes de acertar sua transferência ao futebol europeu. “Independentemente de qualquer situação, eu me dedicarei ao máximo. No treino eu já estava dividindo forte, comigo não tem essa. Se tiver de dar carrinho, eu darei. A minha cabeça está no Palmeiras, amo este clube, que abriu as portas para a mim. Podem ficar tranquilos porque o meu comprometimento sempre será o mesmo. Jogarei com amor ao clube”.

O jogador encerrou a entrevista destacando o trabalho do elenco palestrino. “O elenco é muito forte, todos sabem disso, não é à toa que o Palmeiras continua em primeiro. Lógico que se trata do Brasileiro, que tem grandes clubes e é um campeonato muito acirrado. O elenco mostrou que é forte, não voltarei como principal jogador, muito pelo contrário. Eu volto da mesma forma como sai, dividindo a responsabilidade com os meus companheiros. Sempre quando o coletivo sair bem, o individual aparecerá”.