Cuca elogia consistência do time mas pede pé no chão: “É uma diferença muito curta”

Treinador palmeirense enalteceu o desempenho da equipe e até estipulou uma meta para ser campeão

Cuca elogia consistência do time mas pede pé no chão: “É uma diferença muito curta”
Cuca prevê mudanças para o confronto da Copa do Brasil, por conta do desgaste (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

O Palmeiras venceu o Fluminense por 2 a 0, convenceu e abriu três pontos de vantagem para o Flamengo. Em uma rodada boa para o Verdão, dos principais concorrentes ao título, apenas o Rubro-Negro carioca venceu. Mas, o treinador palmeirense tratou de evitar qualquer tipo de euforia no vestiário do Mané Garrincha.

Em entrevista concedida após o jogo, Cuca falou do equilíbrio do campeonato e até traçou uma meta para o título: “Está tudo muito embolado. Outro dia perdemos dois pontos em casa para a Ponte, que é um time que joga bem fora, empatou com o Atlético-MG na Copa do Brasil, ganhou do Corinthians e hoje está na luta pelo G-4. Hoje vimos a surpresa do Figueirense. Não é porque temos três pontos que achamos que as coisas já aconteceram. Tem muito chão para rolar, é uma diferença curta. Não fico pensando quantos pontos estou na frente. Miro lá na frente os 72, 73, 74 pontos. O alvo é esse. Imagino que de 72 a 74 pontos vai sair o campeão esse ano”.

Com a vitória, o Verdão chega ao quinto jogo consecutivo sem perder no Brasileirão. O treinador palmeirense destacou a consistência do time durante a partida. “Jogamos assim contra o Atlético-PR também. Contra a Ponte não fomos mal. O Fluminense é a melhor defesa do campeonato e tinha perdido apenas um jogo como mandante. Hoje controlamos bem o jogo e eles tiveram oportunidades porque é um time bom, bem treinador. Perdemos outras oportunidades que poderiam ter definido antes. Está excelente, acho que somos o melhor visitante.”

No primeiro jogo após a volta de Gabriel Jesus, e com quase todos os jogadores a disposição, Cuca ressaltou a diferença que faz ter o plantel completo: “Ouvi comentários que o Palmeiras parou de evoluir. Quando você perde jogadores importantes é natural que você não tenha evolução. Você tenta manter de alguma forma, Às vezes demora um tempo para achar um ajuste. Vê hoje, com o time praticamente completo teve controle do jogo, bem, mesmo fora de casa.”

E  na volta de Jesus, o atacante foi marcado de perto e chegou a ter a chuteira rasgada pelo zagueiro Gum. Cuca comentou a volta do garoto de ouro palmeirense: “Ele é um dos grandes nomes do jogo, selecionável. Para marcar não é fácil. Tentaram encaixar a marcação, ele jogou contra dois jogadores bons e experientes. Isso tudo está servindo para ele de aprendizado. Temos de desfrutar até o fim do ano desse potencial dele. Não fez nenhum gol hoje, mas abre espaço, busca bola, faz a proteção e no mano a mano é muito importante, é quem dá aquela velocidade final que tanto precisamos.”

O comandante alviverde ainda destacou a torcida palmeirense de Brasília, que dividiu o estádio com a torcida do Fluminense. Este foi o segundo jogo do Verdão no Mané Garrincha. O primeiro foi contra o Flamengo e o resultado foi o mesmo, vitória.

“Tivemos privilégio de jogar aqui em Brasília. Nossa torcida é muito grande aqui e hoje também foi muito grande. Nos sentimos confortável jogar aqui. Graças a Deus as duas que jogamos aqui ganhamos”, comentou.

O Palmeiras volta a jogar na quarta-feira, contra o Botafogo-PB, pelo confronto de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Cuca finalizou falando das possíveis mudanças para o duelo: “Eu tenho um Palmeiras só, com diversos jogadores que podemos utilizar. Quarta-feira vou pensar bem o que fazer e de que forma fazer. Vamos jogar contra um adversário que merece respeito. Vi jogarem contra o Ceará e ganharam bem de 3 a 0. Vi jogarem contra o Remo e ganharam bem de 2 a 0. Temos de ir com força. Vamos analisar, avaliar junto com a fisiologia e preparação física. Se não tiver desgaste vamos jogar.”