Prestes a completar 100 jogos pelo Palmeiras, capitão Dudu projeta vida longa no clube

Na partida contra o Grêmio, nesta quarta-feira (28), atacante vai completar 100 jogos com a camisa do Verdão

Prestes a completar 100 jogos pelo Palmeiras, capitão Dudu projeta vida longa no clube
Desde que chegou ao Palmeiras, Dudu viveu bons e maus momentos (Foto: Willian Pereira)

Liberado para resolver problemas particulares, Dudu não esteve na reapresentação do elenco do Palmeiras na Academia de Futebol. Porém, na véspera da partida contra o Grêmio, pelas quartas de final da Copa do Brasil, o atacante compareceu, treinou bola parada e concedeu entrevista coletiva após as atividades desta terça-feira (27).

Capitão do time há dez partidas, o camisa 7 completará 100 jogos pelo Verdão nesta quarta-feira (28) e já projeta muito tempo vestindo a camisa do clube paulista:

Fico feliz de ter chegado a esta marca. É meu segundo ano e já consegui coisas boas e ruins. Já falei aqui um monte de vezes que quero chegar a 200, 300 jogos. Clube bom, todo mundo apoiando. Quem convive aqui sabe que o momento é muito bom. Espero que essa marca possa aumentar”, declarou.

A marca será atingida justamente contra sua ex-equipe, que passa por momento difícil no Campeonato Brasileiro. No entanto, para Dudu, este fato dificulta ainda mais o duelo contra os gremistas:

“Vai ser mais difícil ainda. Eles não brigam mais pelo título Brasileiro, então vão entrar com força máxima na Copa do Brasil. O Grêmio vem de muito tempo sem ganhar um título. São dois times com bagagem na competição, então temos que entrar focados pra garantirmos a classificação no jogo de volta”

Desde que chegou ao clube, em janeiro do ano passado, o capitão viveu uma relação de amor e ódio e colecionou polêmicas nesse período. No jogo de ida da final do Campeonato Paulista, contra o Santos, o atleta desperdiçou uma penalidade, o que daria vantagem maior ao Palmeiras no confronto.

Na segunda partida, foi expulso de campo após lance com o santista Geuvânio. O jogador se exaltou e acabou empurrando e ofendendo o árbitro Guilherme Ceretta de Lima. A ação fez o atleta ser julgado e condenado a 180 dias de suspensão pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo. O Palmeiras recorreu e a pena foi reduzida para seis jogos.

Após passado o drama, o jogador deu a volta por cima e foi protagonista na final da Copa do Brasil, também contra o Santos. O camisa 7 marcou os dois gols no tempo normal; partida em que foi vencida pelo Verdão nas penalidades.

Com a ausência de Fernando Prass, Dudu passou a ser capitão do time, o que para ele se trata de uma orgulho e honra:

"Sou privilegiado de jogar no Palmeiras, clube muito grande e que me tratou com muito carinho. Tenho respeito pelos torcedores, que vão ao estádio no momento ruim e no momento bom. Espero dar essa felicidade a eles e ser campeão brasileiro”, disse.

Além dele, Jean e Zé Roberto também já usaram a braçadeira, o que para Dudu, é um exemplo do quão responsável é o elenco alviverde.

"Todo mundo se ajuda e se cobra dentro do campo. Procuro fazer isso com meus companheiros. A gente fica se cobrando um ao outro para se motivar mais. Espero que possamos continuar até dezembro e, quem sabe, não ficar até dezembro invicto".