Não satisfeito com um, Palmeiras conquistou dois títulos nacionais em 1967

Verdão venceu a primeira edição do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, no primeiro semestre, e a Taça Brasil, realizada no segundo semestre daquele ano

Não satisfeito com um, Palmeiras conquistou dois títulos nacionais em 1967
Fotomontagem: Rodrigo Rodrigues/VAVEL.com

A torcida do Palmeiras tem muito que comemorar este ano com o título nacional, sendo este o nono em toda a história alviverde. Contudo, para ser nove vezes campeão do Brasil, é necessário ter outros oito, já dizia o matemático. E se em 2016 o motivo de comemoração é apenas um, em 1967 foram dois: o Torneio Roberto Gomes Pedrosa e a Taça Brasil, realizados no primeiro e segundo semestres, respectivamente.

O ano de 1967 junto ao de 1968, especialmente, contaram com dois campeonatos brasileiros, sendo a Taça Brasil e o Gomes Pedrosa, que iria até 1970. Tendo nada contra isso, o Palmeiras de César Maluco, Djalma Santos, Ademir da Guia e Ferrari foi à luta e triunfou em ambos, sendo até hoje o único time brasileiro a vencer dois campeonatos nacionais em um ano.

Em fase final disputada, Verdão conquistou o primeiro Torneio Gomes Pedrosa

Apesar de não ser o torneio que classificaria os brasileiros para a Libertadores, o formato do ‘Robertão’, como era conhecido, agradou os clubes que participaram juntamente aos torcedores, o que fez com que a CDB o tornasse como o Campeonato Brasileiro a partir de 1968. Um exemplo disso, porém, foi que o formato do Campeonato Nacional de Clubes, criado no início da década de 1970, foi inspirado na do Torneio Gomes Pedrosa.

O regulamento do certame era bem simples se comparado a outros torneios: 15 clubes jogavam entre si em turno único, mas eram divididos em dois grupos, um com oito e outro com sete, caracterizando-se na primeira fase. Os dois melhores colocados passava para a fase final, onde jogariam entre si novamente em turno e returno, do qual o que tivesse mais pontos se sagraria campeão.

O grupo em que o Palmeiras caiu tinha Grêmio, Portuguesa, Santos, Flamengo, Vasco, Ferroviário (PR) e Atlético Mineiro. Bem verdade que de qualquer modo a chave seria complicada e isso se provou ao término dela: o Verdão terminou líder com 19 pontos, um à frente do Grêmio, outro classificado para o Quadrangular Final. A Portuguesa, por sua vez, chegou em terceiro com 17 pontos, seguido do Santos com 15. Na época, porém, um triunfo contabilizava apenas dois pontos, o que explica melhor a grande disputa e o quão próximo os clubes terminavam.

Já na fase final, disputado entre 20 de maio e oito de junho, o Palmeiras teve que superar-se novamente ao enfrentar Corinthians e Internacional, além do Grêmio. O título só veio na última rodada, quando o Verdão venceu o Grêmio por 2 a 1 no Pacaembu mesmo precisando apenas do empate, visto que o Inter já havia vencido o Timão no dia anterior. Caso a equipe gaúcha vencesse, daria o título para o seu rival. César Maluco guardou um no jogo decisivo, empatando com o Ademar Pantera, do Flamengo, na artilharia da competição.

Confira os gols do jogo do título no Pacaembu:

Palmeiras se torna tricampeão em 1967 ao bater Náutico na final

Para se gostar de um novo formato de competição (como foi com o Gomes Pedrosa), é necessário ter um que esteja ficando velho ou desgastado. Em 1967, notou-se que o futebol precisava de uma renovação em seus regulamentos para a disputa dos certames nacionais e este mesmo ano também ficou marcado por ser a penúltima vez que a Taça Brasil aconteceu.

Neste ano, foram decididas as chaves Norte e Nordeste, além de primeira, segunda e terceira fases antes de chegar nas quartas de final. O Palmeiras, grande triunfante, entrou na semifinal por ser considerado uma equipe mais forte, além de ter vencido o campeonato paulista de 1966. Outros clubes também entraram em fases finais pelo mesmo motivo – ser considerado mais forte e/ou ter vencido campeonato estadual.

Em uma semifinal de três jogos, o Verdão decidiu com o Grêmio quem iria para a grande final – válido lembrar que a equipe gaúcha esteve presente no quadrangular final da Gomes Pedrosa. No primeiro jogo, o time de Porto Alegre venceu por 2 a 1 em partida disputada no dia seis de dezembro daquele ano. A equipe paulista forçou o jogo de desempate ao vencer, em casa, por 3 a 1 o segundo embate. No último confronto, o Palmeiras triunfou por 2 a 1, garantindo sua presença na final que viria a ser contra o Náutico – que também venceu sua semifinal em três jogos.

Na Ilha do Retiro, com arbitragem de Arnaldo Cezar Coelho, o alviverde bateu o alvirrubro por 3 a 1, com público de 20 mil. Nino abriu o placar para os donos da casa, enquanto César Maluco, Zequinha e Lula viraram para o visitante. No segundo jogo, no Pacaembu, o time pernambucano venceu por 2 a 1, forçando a partida de desempate. Ladeira e Nino marcaram ainda no primeiro tempo com Tupãzinho descontando para o Verdão já no final do jogo.

No grande desempate, ocorrido no Maracanã para 16 mil pessoas, o time paulista conseguiu a vitória com gols dos ídolos César Maluco e Ademir da Guia, um em cada extremo dos tempos – início do primeiro e final do segundo. Apesar da grande luta que o Náutico impôs, o Palmeiras conseguiu se superar e sagrar-se campeão da Taça Brasil de 1967, o terceiro título nacional e o segundo no mesmo ano.

Veja os gols do jogo de desempate no Maracanã: