Palmeiras e a trajetória rumo ao título

Relembre os principais jogos que marcaram a campanha do Verdão na conquista do nono título brasileiro

Palmeiras e a trajetória rumo ao título
(Foto: Divulgação/Palmeiras)

E foi neste domingo, dia 27 de novembro de 2016, que 22 anos de fila acabaram. 22 anos de "quase". 22 anos que o Palmeiras não era Palmeiras, 22 anos que o Brasil não era verde e branco, 22 anos de muita alegria e também enormes tristezas. E finalmente, depois de longos 22 anos o torcedor palmeirense invadiu novamente as ruas da capital paulista e também de todo o país pra entoar o grito de CAMPEÃO BRASILEIRO! E hoje, nesta data tão especial você poderá relembrar da campanha expetacular que levou o Verdão a ser novamente campeão brasileiro.

Após a eliminação precoce na Libertadores e da perda do titúlo paulista para o rival Santos, 2016 aparentava ser mais um ano de dúvidas e decepções palmeirenses. Como de costume a diretoria do verdão foi ao mercado, mas desta vez foi diferente, o foco não foi a quantidade e sim a qualidade.

Roger Guedes foi trazido do Criciúma, com a responsabilidade de jogar a altura do setor ofensivo alviverde. Tchê Tchê veio do Audax após brilhante campanha no Paulistão e (do mais brilhante ainda) gol em cima do Corinthians nas quartas de final, e o meia Moisés, que apesar de ter ficado todo o Paulistão lesionado, seria uma peça importantíssima para o decorrer da competição.

1° rodada - Palmeiras 4-0 Atlético-PR 

No primeiro confronto da competição o Palmeiras enfrentou o Atlético-PR. Na etapa inicial da partida o Verdão criou e conseguiu abrir o placar logo aos 19 minutos. Após lançamento de Cleiton Xavier, Roger Guedes dividiu com a zaga e conseguiu mandar a bola pro fundo das redes de Weverton.

Depois desse gol, o jogo ficou morno e o placar permaneceu até o segundo tempo. Porém na segunda etapa o Palmeiras voltou apresentando um futebol que envolveu a equipe do Atlético-PR e fechou a partida com o placar avassalador de 4 a 0, onde os outros três gols foram marcados por Gabriel Jesus duas vezes e Thiago Martins uma vez de cabeça. A partida ainda contou com Três assistências do meia Cleiton Xavier e da volta aos gramados de Moisés.

5° rodada - Palmeiras 4-3 Grêmio

Esta foi a primeira partida que a equipe do Verdão mostrava que ia lutar por cada ponto, principalmente em casa. Possivelmente um dos jogos mais emocionantes do Campeonao Brasileiro, que começou mostrando o que seria o resto da partida. Logo no primeiro minuto Gabriel Jesus se firmava mais ainda na artilharia do campeonato ao aproveitar belissimo passe de Dudu, que pegou a defesa gremista de surpresa e abriu o placar. Porém a equipe do Grêmio era guerreira, e aos 49 minutos do primeiro tempo, Giuliano aproveitou um bate rebate na área do Verdão e empurrou a bola pra dentro do gol e fez com que a partida fosse empatada para o intervalo.

 O segundo tempo foi magnífico para os telespectadores que tiveram a oportunidade de ver a partida. Aos nove minutos do segundo tempo Giuliano jogou um balde de agua fria no Pacaembu ao virar a partida para  o Grêmio. O jogo podia ter desandado nesse momento para o Palmeiras, mas novamente mostrando muita maturidade o Verdão conseguiu empatar apenas dois minutos depois de levar o gol, quando Roger Guedes tentou cruzar de costas para o meio da área, mas "sem querer" acertou o gol e pegou o goleiro Bruno Grassi de surpresa.

Depois do empate o Verdão pressionava muito a equipe gaúcha, chegando por várias vezes com perigo a meta adversára, e naturalmente o gol de virada surgiu com Vitor Hugo subindo mais do que todo mundo no cruzamento e testando a bola para o fundo das redes. Depois da virada o jogo esfriou, a equipe do Verdão desmonstrava muita tranquilidade em manter o resultado, e novamente, Dudu surgiu e mandou a bola pra área e achou Thiago Santos para mandar a bola pro fundos das redes e praticamente garantir a vitória alviverde. A equipe gremista ainda descontou com Edilson mas não conseguiu impedir a vitória e mais três pontos para o Palmeiras.

20°  rodada - Atlético-PR 0-1 Palmeiras

E novamente o Atlético-PR seria fundamental na caminhada do título brasileiro do Palmeiras. O cenário era o seguinte: o Verdão líder com 36 pontos, seguido de Atlético-MG com 35 e Corinthians com 34, e iria enfrentar o Atlético-PR na Arena da Baixada, onde até então a equipe ainda não havia perdido. A partida era emblemática, muitos diziam que se o Verdão vencesse ficaria com uma moral muito alta para a continuação do campeonato, e foi exatamente assim que aconteceu.

Como o professor Cuca sempre ressaltou em suas entrevistas, o Palmeiras se prepara diferentemente para cada adversário, e isso se provou nessa partida. Era nítida a diferença de postura e de respeito que os jogadores do Palmeiras mantinham em campo, sabiam que ali o Furacão fazia jus à sua torcida, porém, nada podia parar o Porco nesse campeonato, e eles sabiam que se quisessem ser campeões precisariam vencer jogos como esse.

Então em um dos únicos lances de real perigo do Palmeiras, Dudu cruzou com efeito e Vitor Hugo como de costume não perdoou e testou para o fundo do gol. Após a volta do intervalo, o Verdão veio com a inteção de segurar o resultado e conseguiu de forma expetacular, com ótima atuação do goleiro Jaílson, substituto de Prass. O Palmeiras apresentou um dos melhores jogos em questão de capacidade defensiva e inteligência durante todo o campeonato.

A sequência da "morte"

Com o Verdão na liderança com 40 pontos, seguido por Atlético-MG com 38 e Flamengo com 37, um assunto tomou todos os veículos de mídia futebolisticas, e este assunto era que o atual líder do campeonato iria enfrentar uma sequência de jogo que era dita por muitos como a sequencia da "morte" alviverde. Os jogos eram contra Fluminense (fora), São Paulo (casa), Grêmio (fora), Flamengo (casa) e Corinthians (fora). Além dos dois maiores clássicos, todos esses times (com excessão do São Paulo) estavam entre os nove primeiros na tabela na época. Muitos diziam que se o Palmeiras chegasse a somar sete pontos nessa sequência estaria no "lucro", porém novamente o alviverde ia calar a imprensa e todos que duvidavam do título.

22° rodada - Fluminense 0-2 Palmeiras

E se iniciava a sequência que, para muitos, encaminhou o Palmeiras ao título brasileiro. A partida também marcava a volta do artilheiro Gabriel Jesus, que regressava ao time após a conquista do ouro olímpico pela Seleção Brasileira, e a estratégia do treinador Cuca foi começar o jogo pressionando e buscando rapidamente o gol, e como de costume, deu certo.

Logo aos 19 minutos Jean cobrou falta com efeito no segundo pau, Diego Cavellieri saiu do gol mas não alcançou a bola, e Dudu, mostrando por que é considerado o jogador que representa a torcida alviverde em campo, não desistiu do lance e deu literalmente uma voadora para desviar a bola para o fundo das redes e marcar um dos gols mais bonitos do Palmeiras na competição. 

Após o placar ser inaugurado, nitidamente o frágil Fluminense sentiu o baque, e apenas cinco minutos depois do primeiro gol o Palmeiras fez o gol que fecharia o placar. Após cruzamento de Dudu a bola foi tirada pela zaga adversária e voltou para Moisés, que mandou uma bomba de direita, porém a bola que ia pro gol bateu em Mina e saiu da grande área novamente, foi quando Jean, em um tremendo reflexo chutou de primeira e colocou a bola no ângulo direita de Cavallieri. A bola caprichosamente passou entre o goleiro e o zagueiro que estava posicionado na linha do gol. Mais três pontos para o Verdão.

23° rodada - Palmeiras 2-1 São Paulo

Após o triunfo nas laranjeiras o Palmeiras mantia seus três pontos de vantagem sobre o vice-líder que agora não era mais o Galo, e sim o Flamengo, que se manteria como principal concorrente ao título durante muitas rodadas. Então chegou o dia de mais uma importantíssima edição do Choque-Rei. Palmeiras e São Paulo se enfrentariam no Allianz Parque.

Após primeiro tempo disputado, as duas equipes foram para o vestiário sem alterar o placar, porém, o segundo tempo seria bem diferente. Logo aos dois minutos um ex-jogador do clube iria complicar muito a partida. Kelvin conseguiu se livrar de dois marcadores em jogada de velocidade pela ponta direita e cruzou para Chávez apenas ter o trabalho de empurrar para o fundo das redes. Esse gol fazia com que pela primeira vez o Flamengo ficasse com a mesma quantidade de pontos que o Palmeiras, já que vencia seu jogo contra a Ponte Preta.

 Porém, novamente o Verdão iria usar uma arma que foi decisiva em vários jogos nesse campeonato: a bola aérea. Aos dez minutos, Jean cobrou falta na lateral direita do campo e mandou diretamente na cabeça do zagueiro Yerry Mina, que testou forte para empatar o jogo e fazer com que os palmeirenses respirassem aliviados.

Mas isso não era o suficiente para o Palmeiras, que buscava força no estádio lotado para pressionar o São Paulo e buscar os três pontos. Então aos 25 minutos o Palmeiras fechou o placar, após novamente cruzamento vindo da direita, mas dessa vez de Dudu, Vitor Hugo subiu mais que todos os adversários e cabeceou no canto do goleiro Denis e assim, com gols de seus dois zagueiros o Verdão somava mais três pontos rumo ao título.

24° rodada - Grêmio 0-0 Palmeiras

Essa partida foi mais uma prova do psicológico extremamente controlado da equipe alviverde, já que o jogo do vice-lider Flamengo já tinha ocorrido no dia anterior e os Rubro-negros conseguiram vencer o Vitória por 2 a 1 e estavam empatados em pontos com o Palmeiras. A equipe do Verdão entrou de forma muito parecida com a do jogo contra o Atlético-PR  na 20° rodada, se defendendo como podia e tentando aproveitar as poucas chances que surgiam.

E esse jogo foi um verdadeiro teste pra cardíaco, com direito a bola no travessão de ambas as equipes e com uma atuação impecável do goleiro Jaílson, que cada vez mais construia seu nome nesse titúlo. Os dois times pressionavam mas não conseguiam chegar ao gol. O Grêmio que vinha de quatro jogos sem vencer queria mostrar trabalho para seu torcedor que continuava sonhando com a chance de título, e o Palmeiras dando muito valor a esse ponto que mantia o time novamente na liderança isolada.

Então o jogo se encerrou da mesma forma que se iniciou, com o 0 a 0 no placar, mas uma coisa atrapalhava a comemoração do Palmeiras, a preocupação com o artilheiro Gabriel Jesus que após exaustiva sequência entre a Seleção Brasileira e Palmeiras finalmente sentiu uma lesão e teve que ser substituido aos 39 do segundo tempo, e se tornou uma dúvida para o jogo de decisão contra o Flamengo, na semana seguinte.

25° rodada - Palmeiras 1-1 Flamengo

E finalmente o jogo mais aguardado do campeonato havia chego, se o Flamengo vencesse tiraria o Palmeiras da liderança pela primeira vez na disputa, e se o Palmeiras vencesse se distanciaria ainda mais na ponta da competição. O treinador Cuca anunciou que Gabriel Jesus iria realmente atuar como titular apenas instantes antes do inicio da partida.

E finalmente se daria início ao jogo mais importante do campeonato até então, o líder e o vice-líder se enfrentavam, e de forma surpreendente para muitos, o Flamengo que era visitante adotava uma postura muito ofensiva, e não dava espaço para os jogadores do Palmeiras criarem suas jogadas. Porém isso mudou aos 38 do segundo tempo, quando o volante e ex-jogador do Palmeiras, Márcio Araújo foi expulso. Após sequência de faltas o jogador recebeu o segundo amarelo e deixou da partida. Após a expulsão o Flamengo apenas controlou o jogo para que pudesse ir para o vestiário ouvir as oritações de seu treinador.

Na segunda etapa, como esperado o Palmeiras tentava pressionar, mas sem a magia que vinha mostrando em seus outros jogos. O time nítidamente se mostrava pela primeira vez desconcentrado, talvez pela importância da partida, as jogadas de ataque do Palmeiras giravam em torno de Gabriel Jesus, que fortemente marcado não conseguia fazer muito, foi então que o Verdão cometeu talvez o maior vacilo até então no campeonato.

Com o jogo complicado para os dois lados, o treinador Zé Ricardo decidiu colocar Alan Patrick, porém a defesa do Palmeiras pareceu não notar a entrada do jogador, já que o deixou totalmente livre e no seu primeiro toque na bola conseguiu abrir o marcador e desesperar a torcida palmeirense prensente no estádio.

E foi nesse momento que o jogo perdeu de vez toda a técnica e virou 100% coração. Os jogadores palmeirenses iam com tudo pra cima da defesa flamenguista, porém nada conseguiam fazer, e inclusive cediam contra-ataques para o adversário, onde um deles quase gerou o segundo gol Rubro Negro.

Foi então que aos 37 minutos, a estrela de Jesus brilhou mais uma vez. Em jogada apelidada de "Cucabol", Moisés cobrou lateral para área e Mina tentou desviar para o gol, mas a zaga flamenguista afastou. A bola sobrou para Gabriel Jesus fora da área, que fingiu a finalização, cortou para o pé direito e mandou um belíssimo chute no canto direito de Muralha, talvez o gol mais importante de toda a competição para o Palmeiras, talvez o gol mais importante do título.

Após o gol a pressão alviverde continuou, se aproveitando do jogador a mais em campo e do cansasso da equipe adversária, porém a zaga flamenguista estava quase perfeita naquela noite e não deixou que as dezenas de jogadas aéreas feitas pelo Palmeiras resultassem em gol e o jogo acabou empatado. Mais um ponto para o Palmeiras.

26° rodada - Corinthians 0-2 Palmeiras

E finalmente havia chego a última partida da tão temida "sequência da morte" e para calar a boca de muitos, o Palmeiras estava até então invicto e com oito pontos conquistados, porém a distância do Flamengo continuava mínima, apenas um pontinho, e qualquer vacilo podia significar todo o campeonato. Outro fato que preocupava muito a torcida palmeirense era a ausência de Gabriel Jesus, que estava suspenso por cartão que levou na partida contra a equipe carioca.

Então a partida se inciou, e logo aos quatro minutos, Dudu fez o cruzamento, Vilson falhou e a bola sobrou para Moisés que chutou para o gol, mas a bola bateu na zaga e volta para o próprio Moisés finalizar novamente, mas dessa vez de cabeça, sem chances para o goleiro Cássio. Após o gol, o jogo esfriou muito e ambas as equipes não conseguiram criar mais nenhuma chance de perigosa no primeiro tempo.

A segunda etapa começou e ambas as equipes voltaram mais objetivas para o jogo, porém era nítida a superioridade técnica do Palmeiras, que criava as chances de maior perigo. Então aos 30 minutos Léo Principe foi expulso após levar o segundo amarelo por interceptar o passe com a mão.

A falta era na lateral esquerda do campo, Jean se posicionava como sempre, e como sempre a jogada aérea funcionava, após o cruzamento o zagueiro Mina conseguiu desviar a bola para o fundo do gol, matando o jogo e dando mais três pontos para o Palmeiras, que fechou a sequência de jogos com três vitórias e dois empates, somando 11 pontos dos 15 possíveis.

A regularidade que assegurou o título

Após a sequência o Palmeiras se mateve sem perder até a 33° rodada do campeonato, onde inevitavelmente assistiu a todos os seus adversários tropeçarem e chegou a marca de seis pontos de diferença na liderança, nesse periodo a equipe conquistou pontos em confrontos importantes fora de casa contra equipes que até então estavam ameaçadas pelo rebaixamento, como por exemplo a vitória por 3 a 2 sobre o Santa Cruz e a vitória de 2 a 1 sobre o Figueirense.

O Palmeiras se consagrava um time estável e praticamente imbatível, sendo o melhor mandande, um dos melhores visitantes, o melhor ataque e a melhor defesa. Um time que mantia a regularidade e a cada jogo impressionava com a diversidade de formas que mostrava que era capaz de vencer um jogo, um time que cada vez mais era campeão.

O apoio incondicional da torcida

Durante toda a campanha do Campeonato Brasileiro a torcida do Palmeiras se mostrou presente e ao lado do clube, não atoa que é dona da maior média de público do campeonato com 32 mil torcedores em média por jogo. Porém em duas ocasiões o apoio foi especial e mais importante. O primeiro no dia 5 de novembro, quando a torcida foi em massa para o CT do clube para dar o último apoio antes da partida contra o Internacional  pela 34° rodada. Com uma faixa escrita "Juntos rumo ao título" a torcida apoiou e foi inclusive aplaudida pelos jogadores e comissão técnica do clube.

E outra que foi simplesmente maravilhosa, no dia 15 de novembro, a torcida palmeirense invadiu em massa o Aeroporto de Congonhas de foma jamais vista anteriormente, os jogadores palmeirenses passaram no meio do corredor humando de torcedores ao som do hino do clube, o apoio era devido ao jogo contra o Atlético-MG pela 35° rodada do campeonato, onde o mais importante era pontuar, e os jogadores não decepcinaram a torcida e conseguiram um empate na ocasião, o que fez com que a equipe mantivesse os quatro pontos de vantagem sobre o Santos, atual vice-lider.

36° rodada - Palmeiras 1-0 Botafogo

E então chegava o primeiro jogo em que realmente era possível se tornar Campeão Brasileiro de 2016. Com 39.690 pagantes no Allianz Parque o Palmeiras foi com força total enfrentar o perigoso Botafogo, que brigava pela vaga na Libertadores e estava disposto a estragar a comemoração alviverde, porém o título não dependia somente do Verdão. Precisava contar com o tropeço de Flamengo e Santos em suas partidas, para levartar a tão esperada taça.

Como era previsto, o jogo começou muito truncado, as duas equipes se estudavam e se respeitavam, não se arriscando, já que nesse momento da competição qualquer vacilo pode ser fatal, e graças a esse espírito tivemos um primeiro tempo de poucas chances para ambos os lados e as equipes foram para o vestiário com o 0 a 0 no placar.

Na segunda etapa o Palmeiras continuou seu estilo de jogo padrão dentro de casa, contando com o apoio incondicional da torcida para ir para cima do Botafogo, e finalmente aos 17 minutos os 39 mil torcedores gritaram o gol que podia ser o do título.

Após Dudu tentar lançar Gabriel Jesus, o jovem atacante conseguiu alcançar a bola, mas sem ângulo para finalizar, então o jogador recomeçou a jogada e carregou a bola para a lateral da área, onde viu Dudu se enfiando no meio dos três zagueiros botafoguenses e cruzou. O baixinho conseguiu se posicionar perfeitamente e testou para o fundo do gol, causando total êxtase na arquibancada.

Então o jogo se encaminhou para o fim, mas infelizmente o título não veio, já que o Santos havia arrancado o empate do Cruzeiro e se mantia com chances matemáticas (e somente matemáticas) de conseguir o título.

37° rodada - Palmeiras  1-0 Chapecoense

Em sua casa, no Allianz Parque, o Palmeiras dominou durante 90 minutos uma Chapecoense sem mais desejos no Campeonato Brasileiro. Querendo dar alegria a seu torcedor, que sofreu do início ao fim para soltar o grito tão esperado, o alviverde conseguiu marcar e Fabiano foi o improvável herói, abrindo o placar aos 22 minutos do primeiro tempo.

E foi com essa vitória que o Palmeiras, depois de 22 anos, se consagrou novamente Campeão Brasileiro. Após muitas criticas, muitas dúvidas impostas pelos que não queriam que esse titúlo viesse, novamente o Palmeiras se mostrou gigante e venceu quando muitos duvidavam. E como capitão e representante da torcida dentro de campo, Dudu levantou a taça e se marcou de vez na vasta história da Sociedade Esportiva Palmeiras, que voltou a assombrar o país com sua grandeza e dedicação.