Em jogo polêmico, Ponte Preta vence São Paulo com gol de Clayson

Aproveitando a desvantagem numérica do São Paulo, que também teve seu treinador expulso, a Macaca saiu com os três pontos em casa

Em jogo polêmico, Ponte Preta vence São Paulo com gol de Clayson
Jogadores do São Paulo se revoltaram contra o árbitro, e sobrou para Bauza deixar o comando em mãos de seu auxiliar (Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC)
Ponte Preta
1 0
São Paulo
Ponte Preta: João Carlos; Jeferson; Grolli, F. Ferreira e Reinaldo; João Vitor, Renê Jr (Thiago Galhardo, min. 74) e M. Jesus (Ravanelli, min. 22); WP9, Clayson e Pottker
São Paulo: Denis; Caramelo (Calleri, min. 81), Lugano, Lyanco e Matheus Reis; Artur e Wesley; Luiz Araújo (Carlinhos, min. 17), Cueva e Centurion (Ytalo, min. 87); Alan Kardec.
Placar: 0-1, min. 59, Clayson.
ÁRBITRO: Vinícius Furlan. Cartões amarelos: Matheus Reis (min. 7), Matheus Jesus (min. 12), Fábio Ferreira (min. 53), Renê Junior (min. 58), Ytalo (min. 89). Cartões vermelhos: Matheus Reis (min. 8), Bauza (min. 14).
INCIDENCIAS: 13ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, no Moisés Lucarelli.

Na busca pelo G-4 a Ponte Preta recebeu o São Paulo no Moisés Lucarelli na tarde deste domingo (4), pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016. Pensando em mais um jogo decisivo na temporada, Bauza poupou seus principais jogadores para o primeiro jogo das semifinais da Copa Libertadores da América, que acontece na quarta-feira (6), contra o Atlético Nacional, no Morumbi.

Marcado por lance polêmico da arbitragem, que resultou na expulsão de Matheus Reis e do técnico do Tricolor Paulista, o jogo foi lá e cá no primeiro tempo. Na segunda etapa, após alterações pontuais, a Macaca saiu na frente com um gol de Clayson e conquistou mais três pontos. 

A Ponte Preta enfrenta o Sport no sábado (9), às 21h no Moisés Lucarelli, já o São Paulo joga contra o América-MG às 16h, no domingo (10).

Arbitragem polêmica 

Não foi preciso muitos minutos para que o jogo incendiasse, e se fosse por conta de belos lances ou gols, sobrariam elogios. Mais uma vez a arbitragem "roubou" o protagonismo da partida para si, e foi alvo de críticas. Aos 7 minutos, após uma chegada forte do lateral Matheus Reis em Matheus Jesus, o árbitro advertiu o são-paulino com um cartão amarelo.

Indignado, o técnico Eduardo Baptista esbravejou, e a reclamação foi atendida por Vinícius Furlan, que tirou o cartão vermelho e expulsou o lateral. Nervoso, Bauza invadiu o campo em busca de explicações, assim como os jogadores do São Paulo, e acabou sendo expulso. Negando em deixar o campo, a situação se estendeu por alguns minutos, com a bola rolando; convencido o argentino deixou seu auxiliar sob o comando. Luiz Araújo saiu para a entrada de Carlinhos na tentativa de organizar a equipe.

Aproveitando que o adversário estava em menor número, a Macaca foi em busca do resultado, mas encontrou um São Paulo organizado e que não deixava espaços. As chances de gol foram mínimas na primeira etapa, mas o pouco que foi demonstrado a Ponte Preta foi quem teve os melhores lances, já que os são-paulinos priorizavam uma marcação eficiente.

Aos 37 minutos, após receber a bola de Caramelo, Alan Kardec deu um verdadeiro chutaço no travessão, e por pouco não abriu o placar. Pottker respondeu em seguida, quando a bola chegou pelo lado direito, e cortando para o meio, bateu forte em direção ao gol, mas a redonda saiu pelo lado de fora. Com três minutos de acréscimo, o árbitro encerrou a partida. 

Macaca garante os três pontos no segundo tempo 

As equipes voltaram sem alterações, ainda sem entender as decisões do árbitro na primeira etapa, Lugano conversou com Vinícius Furlan no gramado. Em poucos minutos, os donos da casa foram felizes, Clayson tabelou com Reinaldo pela lateral esquerda, que cruzou para Wellington Paulista finalizar. Denis espalmou a bola, na sobra Clayson não perdoou, 1 a 0 para a Macaca. 

Passado alguns minutos, o auxiliar técnico do São Paulo passou a fazer as primeiras substituições. Caramelo saiu a entrada do artilheiro Calleri, uma das apostas para a semifinal da Copa Libertadores. Em seguida, Ytalo substituiu o argentino Centurión.

A Ponte Preta também mexeu no seu banco de reservas, Pottker deu lugar ao também atacante Roger. Com mais três de acréscimo e com a vitória em mãos, Vinícius Furlan deu como encerrada a partida.