Milton Mendes não resiste à derrota para São Paulo e anuncia saída do Santa Cruz

Treinador do Mais Querido oficializa adeus depois de primeiro turno ruim, mesmo após os títulos da Copa do Nordeste e do Campeonato Pernambucano

Milton Mendes não resiste à derrota para São Paulo e anuncia saída do Santa Cruz
Comandante, que veio para suprir demissão de Marcelo Martelotte, isenta jogadores de culpa e sai com desempenho abaixo dos 50% de aproveitamento (Foto: Ney Gusmão/Vavel Brasil)

Que o fim do primeiro turno na zona de rebaixamento não é benéfico a nenhum clube, todos nós sabemos. No Santa Cruz, porém, um ciclo chegou ao fim nesta terça-feira (9): Milton Mendes não vai seguir no comando do tricolor na segunda metade do Campeonato Brasileiro 2016. O anúncio foi oficializado, com acordo mútuo junto à diretoria, após a derrota sofrida para o São Paulo no domingo (7) e a sequência de resultados sem empolgar.

No Brasileirão, o Mais Querido somou 18 dos 57 pontos já disputados e finalizou o turno inicial na 19ª posição, à frente apenas do América-MG. O comandante chegou para suprir a saída de Marcelo Martelotte e conquistou o título inédito da Copa do Nordeste de maneira heroica diante do Campinense e o bicampeonato Estadual sobre o arquirrival Sport. O - agora - ex-treinador abandona o cargo com aproveitamento negativo, com 46,87% em 32 partidas. Dessas, foram 12 vitórias, nove empates e 11 derrotas.

Entusiasta dos estudos táticos, dono de um certificado Uefa Pro para técnicos e de frases de efeito, Mendes mudou a equipe da água para o vinho com somente dois meses de trabalho. A série ruim no nacional, no entanto, foi ampliada com os problemas de relacionamento não só com jogadores, sim extracampo com direção e funcionários, fazendo a paciência se esgotar de maneira conjunta.

Em coletiva, o presidente Alírio Morais assegurou o desligamento do profissional e exaltou Milton, enumerando os motivos para que não houvesse um consenso: "Tivemos uma reunião e decidimos por não continuarmos com o trabalho de Milton Mendes. Ele foi o profissional com quem mais me identifiquei e fico lisonjeado ao falar dele, contudo o clube teve de fazer reprogramação financeira. Por isso, não deu para cumprirmos o compromisso que nós tínhamos. Houve compromisso e diálogo, o que não acontece muito no meio", disse o mandatário coral, sendo completado pelo comandante, que negou possíveis desavenças com o restante grupo.

Presidente Alírio Morais confirma saída de Milton Mendes (Foto: Antônio Melcop/Santa Cruz)
Presidente Alírio Morais confirma saída de Milton Mendes (Foto: Antônio Melcop/Santa Cruz)

"O presidente disse e eu confirmo. Achamos por bem entrarmos em um balanço, que para mim seria importante. Tudo foi colocado da melhor forma. Não houve pedido de demissão nem me demitiram. O que houve foi uma conclusão. Conversamos e chegamos à decisão. Os homens que estão aqui (diretores) são os que trabalham mais e alguns não recebem nada do clube. Foi uma felicidade muito grande fazer parte da história desse clube e é um até logo. Cedo ou tarde nos encontramos de novo. E não existiu problema. Foram muitas coisas positivas", garantiu.

Já o vice de futebol, Constatino Júnior, destacou o projeto com Milton e enaltece a trajetória: "O Santa Cruz é o clube que menos tem lesão no país. A incidência no Santa é bem menor, pois nós trabalhamos muito e ele conseguiu algo além daquilo que esperávamos. Nem mesmo o mais otimista achava que teríamos dois títulos. Fica esse legado de um cara sério e trabalhador, uma vez que ele apostou no nosso projeto. É esse o legado de Milton Mendes que fica", afirmou o dirigente.