Tite não esconde ansiedade de primeiro clássico à frente da Seleção: "Não vou ser hipócrita"

Em coletiva, treinador comentou sobre seu primeiro clássico no comando do Brasil

Tite não esconde ansiedade de primeiro clássico à frente da Seleção: "Não vou ser hipócrita"
(Foto: João Viana/VAVEL Brasil)

Após treino realizado nesta quinta-feira (9), no Mineirão, o treinador Tite concedeu uma entrevista coletiva e não negou a ansiedade de jogar seu primeiro clássico contra a Argentina.

"A grandeza do jogo, é hipocrisia falar que é igual aos outros. Para a classificação ele vale os mesmos três pontos, mas a dimensão, a história e o peso extraordinário das equipes, com atletas top do mundo. O resultado só traz confiança se jogar bem, se repetir o padrão contra uma equipe que tem nível acima, técnico e individual. Chile, Argentina, Brasil e Uruguai estão um pouco acima pela qualidade individual dos atletas", disse o treinador

(Foto: Brazil Photo Press/CON)

Tite também foi questionado em como faria para neutralizar o craque 'hermano', Messi. Segundo o comandante, não existe receita para segurá-lo.

"Não se para Messi, assim como não se para Neymar, mas se diminui ações. Podemos diminuir o número de participações. O que vou fazer? Não vou dizer (risos), frisou.

Não é de se esperar que Messi e Neymar foram assunto na coletiva. No entento, Tite sempre mostrou respeito à ambas as partes, e sempre deixou claro que será uma partida de igual para igual.

"Podemos elencar uma série de jogadores que podem decidir o jogo, porém tem um pré-requisito: a engrenagem tem que funcionar, senão não consigo conceber o craque individualmente. Com o coletivo forte, tu acrescenta Coutinho, Higuaín, Di María, Douglas Costa, Gabriel... Uma série de grandes jogadores com virtudes técnicas para um momento de decisão", comentou.

Outra pauta que levantaram na coletiva foi o reecontro dele com o técnico Bauza. Perguntaram a Tite se ele acha que o treinador argentino pode modificar o estilo de jogo dos atletas da Albiceleste e, assim, surpreender o Brasil.

"O técnico, por maior capacidade que tenha, não transforma característica de atletas, a qualidade sempre impera. Somos mais selecionadores do que técnicos, eles (jogadores) vêm treinados pelos seus técnicos. Nós aproveitamos o trabalho dos técnicos dos clubes, esse é nosso grande desafio", indagou Tite.

Brasil e Argentina se enfrentam nesta quinta-feira (9), às 21h45, no Mineirão, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo 2018.