Buscando deixar Z-4, Sport recebe líder Palmeiras na estreia do atacante Rogério como titular

Precisando apenas da vitória para se afastar da degola, Leão aposta na força da torcida, enquanto Verdão visa recuperação como visitante para seguir isolado no topo da tabela

Buscando deixar Z-4, Sport recebe líder Palmeiras na estreia do atacante Rogério como titular
Foto: Williams Aguiar/Sport
Sport
Palmeiras
Sport: Agenor; Samuel Xavier, Matheus Ferraz, Durval e Rodney Wallace; Rithely (Ronaldo ou Serginho), Rodrigo Mancha, Gabriel Xavier, Diego Souza e Rogério; Edmilson. Técnico: Oswaldo de Oliveira
Palmeiras: Fernando Prass; Jean (João Pedro), Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Moisés, Tchê Tchê e Cleiton Xavier; Róger Guedes, Dudu e Gabriel Jesus. Técnico: Cuca
ÁRBITRO: Anderson Daronco (RS)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, a ser disputada na Ilha do Retiro, em Recife, Pernambuco

A noite desta segunda-feira (4) na Ilha do Retiro, em Recife, reserva o confronto de opostos na classificação. Um está no Z-4, de onde ficou de fora apenas por duas oportunidades no certame. O outro, porém, está no ponto máximo, que já ocupa há quatro partidas. Estreando o horário das 20h - determinado pela CBF - em jogo pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016, Sport e Palmeiras medem forças por objetivos distintos.

Visando usar a força da torcida para deixar a zona de rebaixamento, o Leão da Ilha ocupa a 18ª posição, com 12 pontos, e um triunfo o faz chegar ao 10º lugar. Na última rodada, contra o Vitória, teve sua série de três embates sem derrota quebrada, já que foi superado por 3 a 2, inclusive com a expulsão do técnico Oswaldo de Oliveira.

Já o Verdão vive situação levemente mais confortável, pois é o líder e tem, longe de seus domínios, a chance de se isolar ainda mais devido aos resultados dos seus rivais diretos. Na última quinta-feira (30), em pleno Allianz Parque, não se intimidou e goleou o Figueirense por 4 a 0, com show de Gabriel Jesus.

A arbitragem será formada por um trio gaúcho. No apito, Anderson Daronco, membro do quadro da Fifa. Seus auxiliares serão Alexandre Pruinelli Kleiniche e Élio Nepomuceno de Andrade Júnior, do escalão da CBF, e conterrâneos. Esse será o nono compromisso do árbitro no Brasileirão, o segundo envolvendo os paulistas e o primeiro do clube pernambucano.

Sport com uma dúvida para deixar zona da degola

Em momento oposto ao dos últimos anos na elite do futebol nacional, o Sport tem problemas para a partida contra o líder Palmeiras, ainda que conte com o apoio da torcida. Duas ausências são certas no Leão, sendo por motivos diferentes. O goleiro e ídolo Magrão segue vetado pelo DM, com as mesmas dores na coxa que o afastaram do jogo com o Vitória.

O meia-atacante Everton Felipe, expulso contra os baianos, cumpre a automática, com Rogério sendo promovido para fazer a estreia como titular. Outras baixas, contudo no banco de reservas, são do técnico Oswaldo de Oliveira e do colombiano Reinaldo Lenis, suspensos por terem recebido o vermelho. No meio-campo, a única indefinição para definir os 11. O volante Rithely, que ficou de fora do confronto com o Leão da Barra, ainda é dúvida e pode ceder espaço a Serginho, que se recuperou de uma lesão, ou Ronaldo, usado como opção.

Com a chance permanecer na equipe, Agenor - que estreou no revés longe de casa - comemora a oportunidade de manter a sequência. O arqueiro leonino garante estar inspirado em Danilo Fernandes, pois foi contratado para suprir sua saída, e que veio ao rubro-negro com status de reserva e conseguiu se consolidar no time principal.

"Danilo (Fernandes) serve como exemplo e inspiração. A chance que ele teve foi para conseguir coisas maiores. Tenho que dar tempo ao tempo, pois Magrão é titular, porém farei meu papel para ajudar enquanto ele não está jogando. Quando a gente chega em uma equipe nova, demora um pouco para se entrosar", declarou o camisa 12.

Palmeiras tem zagueiro estreante e força máxima para seguir líder

Buscando permanecer na liderança e melhorar o retrospecto fora de casa no Brasileirão, o Palmeiras tem desfalques. Os volantes Arouca e Gabriel, assim como o atacante Allione, retornam de lesão e já estão no processo de transição. Em compensação, o zagueiro Edu Dracena e o lateral-esquerdo Egídio estão machucados e foram vetados. Pego pelo doping, o centroavante Alecsandro é outro jogador que não fica à disposição.

Por não contar com o experiente defensor para o jogo, Cuca promove o recém-contratado Yerry Mina, que estava jogando no Santa Fe-COL e vai fazer a estreia. Jean, que volta de contusão, deve ganhar a vaga de João Pedro na lateral-direita, colocando Tchê Tchê no meio-campo ao lado de Moisés - na cabeça de área - e Cleiton Xavier - na armação. De resto, a base alviverde será mantida, com Prass no gol, Vitor Hugo na zaga e Zé Roberto na ala esquerda, enquanto Róger Guedes, Dudu e Gabriel Jesus formam o trio ofensivo.

Capitão do Verdão, Fernando Prass reconhece a sequência intensa de partidas, destacando o pouco tempo de recuperação do próprio time. O arqueiro, porém, exalta a necessidade de superar as adversidades, afim de manter a série positiva e permanecer com a mesma pegada, até mesmo longe de seus domínios.

"Uma das coisas que temos de manter é a intensidade de jogo, mas com esse calendário é difícil. Você corre 13 quilômetros num jogo e daqui a pouco viaja para Recife, uma viagem longa, para jogar de novo. Não temos tempo de recuperação e alguns jogadores já sentem mais que os outros. Com isso, essa intensidade é perdida", afirmou o goleiro.