Autor do gol do título, Rafael Vaz foi o herói improvável vascaíno na final

Ainda vivendo incertezas sobre sua renovação de contrato, o zagueiro substituiu Luan e fez o gol que garantiu o título do Vasco

Autor do gol do título, Rafael Vaz foi o herói improvável vascaíno na final
Foto: Paulo Fernandes/Vasco

Contratado em 2013 pelo Vasco, vindo do Ceará, Rafael Vaz nunca se firmou na defesa vascaína e chegou a treinar separado dos companheiros durante algum tempo. Quis o destino que o zagueiro, em seu quarto ano no clube, fosse o responsável pelo gol de empate no clássico contra o Botafogo, pela final do Campeonato Carioca de 2016, e garantisse o título para os cruzmaltinos. 

Durante sua juventude, Rafael Vaz rodou por algumas grandes equipes do futebol paulista, mas foi no Palmeiras que estreou profissionalmente, pela equipe B, em 2007. Após isso, o jogador passou por equipes menores, até chegar ao Paraná, onde começou a chamar mais atenção. 

Ainda no futebol paranaense, o zagueiro também passou pelo Vila Nova antes de seguir ao Ceará, onde ganhou destaque tanto pela qualidade defensiva, quanto pela sua qualidade técnica, rara entre os zagueiros brasileiros. Não é de hoje, aliás, que Rafael marca gols. Com menos de cem partidas na carreira, antes de chegar ao Vasco, ele já contava com 20 gols marcados, e chamava a atenção dos grandes clubes por seus feitos.

Desde que chegou ao Vasco, em 2013, Rafael Vaz conviveu com altos e baixos. Em alguns momentos, chegou a ser esquecido pelos técnicos, e quando teve oportunidades, contou com a desconfiança da torcida o quanto as suas qualidade defensivas, questionáveis pelo pouco tempo em campo que tinha. 

Ainda reserva, em 2016 a estrela de Rafael com a camisa vascaína parece finalmente ter brilhado. O jogador já fez o gol da vitória em um clássico contra o Flamengo durante o Campeonato Carioca, e na final do último domingo (8), substituiu Luan, titular absoluto, no intervalo, e marcou o gol de empate vascaíno, após ter falhado no posicionamento no gol do Botafogo. 

''A ficha ainda não caiu. É muita felicidade. Minha família está aí e poder proporcionar isso para eles e para essa imensa torcida é muita emoção. Só tenho que agradecer a Deus'', disse o zagueiro, logo após a partida. 

O técnico Jorginho, responsável pela entrada do jogador em campo, revelou que ao ver Rafael se preparando para entrar na partida, disse algumas palavras que pareciam mais com uma premonição: "Como é a vida, interessante. Não tava no projeto te colocar, minha zaga estava bem. Mas Deus te separou para este momento, vai lá e define este jogo".

(Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)
(Foto: Paulo Fernandes/Vasco.com.br)

Agora, após o frisson, o zagueiro terá de esperar a manifestação da diretoria vascaína o quanto a sua renovação de contrato. Até o gol na última partida, parecia que o jogador seria dispensado ao fim de seu vínculo com o clube, mas o gol decisivo parece ter mudado tudo. O técnico Jorginho já demonstrou à diretoria o interesse de contar com o zagueiro por mais tempo, exaltando sua importância e seu poder de decisão nos clássicos, além de ser a primeira opção para a defesa em caso de ausência dos dois titulares, Luan e Rodrigo. 

O que resta é esperar. Eurico Miranda não corre atrás de jogadores, e se for do interesse de Rafael, é provável que o contrato seja renovado sem mais delongas. Por fim, a torcida vascaína espera que o zagueiro evolua em sua função, e continue entrando bem quando necessário, para que faça valer sua possível renovação.