Sem Nenê, Vasco duela pela liderança com Atlético-GO em Cariacica

Com o desfalque de sua maior estrela, vascaínos, líderes da competição, enfrentam o vice-líder buscando aumentar sua vantagem para o mesmo

Sem Nenê, Vasco duela pela liderança com Atlético-GO em Cariacica
(Foto: Marcelo Sadio/vasco.com.br)
Atlético-GO
Vasco da Gama
Atlético-GO: Marcos; Matheus Ribeiro, Marllon, Lino e Pedro Bambu (Ednei); Michel, Willian Schuster, Magno Cruz, Luiz Fernando e Gilsinho; Júnior Viçosa. Técnico: Marcelo Cabo
Vasco da Gama: Jordi; Yago Pikachu, Luan, Rodrigo, Julio Cesar; Willian Oliveira, Marcelo Mattos, Andrezinho; Eder Luís, Jorge Henrique e Leandrão. Técnico: Jorginho
INCIDENCIAS: DUELO VÁLIDO PELA 8ª RODADA DA SÉRIE B DE 2016. PARTIDA SERÁ REALIZADA NO ESTÁDIO KLEBER ANDRADE, EM CARIACICA, ÀS 16h30

Em meio à disputa direta pela primeira colocação da Série B, Atlético-GO e Vasco se enfrentarão, em Cariacica. Os goianos vêm de um empate sem gols contra o Paraná, fora de casa, e ocupam a 3ª colocação da competição. Já os cariocas, líderes e invictos, vêm de vitória contra o Joinville, fora de casa, com dois gols de Leandrão.

Artilheiro e grande estrela do campeonato, Nenê está fora da partida por ter recebido o terceiro cartão amarelo contra o Joinville. Supostamente, o jogador fez gestos agressivos direcionados à torcida adversária, e por isso, o árbitro o puniu com o cartão. O prório jogador declarou que tudo não passou de um mal entendido, e que o gesto que fez referenciava o placar da partida, e não uma agressão plausível de punição, como foi passado ao árbitro. 

Sem Romário, técnico do Dragão terá de improvisar na lateral-esquerda

Durante a partida contra o Paraná, o lateral-esquerdo Romário recebeu seu terceiro cartão amarelo e terá de cumprir suspensão automática na partida contra o Vasco. O jogador, segundo o treinador Marcelo Cabo, ficou bastante desapontado com a situação, já que queria jogar a partida mais importante da competição até aqui. 

Se não bastasse o descontentamento do jogador, o treinador terá uma grande dor de cabeça para substitui-lo. O substituto imediado deveria ser Raul, mas o lateral, recém-contratado, ainda conta com pendências em sua regularização, e não poderá ser escalado. Tal fato obriga Cabo a improvisar. A mudança de esquema tático é improvável, mas um volante deve ser utilizado na posição de lateral, ou o lateral-direito Ednei, que volta de lesão. O treinador conta também com a volta do volante Michel, qie retorna de supensão. 

Marcelo Cabo, aliás, já em solo capixaba, fechou o treino e não deu pistas sobre o time titular. É provável que a única mudança seja no lugar de Romário, mas os jogadores que voltam de lesão e suspensão podem ter uma chance. É uma partida importantíssima, contra o líder da competição, e a vitória seria de grande valor. Pra assumir a liderança, os goianos teriam de golear os cariocas, já que a diferença no saldo de gols é grande, porém, mesmo sem assumir a ponta, vencer significaria um passo largo rumo ao acesso, mesmo no início da competição.

Sem Nenê, Jorginho tem opções jovens e experientes

A torcida vascaína tem um grande motivo para se preocupar: a ausência de Nenê, já que é complicado encontrar dentro do elenco vascaíno um jogador que seja capaz de exercer a mesma função do meia. Esse fato traz à tona um suposto vazio nas opções do técnico Jorginho.

Com a volta de Madson, Pikachu pode ser movido ao meio campo, fazendo a função de Nenê, ou trocando com Andrezinho, jogando o experiente jogador para uma função mais ofensiva. Seria uma opção que já foi testada por Jorginho, porém, Pikachu vem em uma sequência atuando na lateral.

Outra opção é a entrada de Eder Luís, que também já foi testado por Jorginho. O jogador que é bastante querido pela torcida por ter feito parte da equipe campeã da Copa do Brasil de 2011, já não consegue repetir as atuações de alguns anos atrás, e nem sua velocidade, que é sua principal característica, ainda o qualifica como uma opção extremamente veloz e valiosa para os vascaínos.

Por último, há a opção do jovem Evander, que na base sempre exerceu uma função parecida com a de Nenê. Com 18 anos recém-completados, o jogador já recebeu algumas oportunidades e agradou. Com seu estilo ousado e com boa finalização, o garoto seria a opção que menos alteraria o esquema tático vascaíno. Existe também a alternativa de Jorginho entrar com Diguinho ou Julio dos Santos, jogadores que têm mais moral com o treinador, mas não se vê a necessidade de mais jogadores defensivos no time titular. 

Fugindo da ausência de Nenê, há a volta de Thalles. O jogador que ficou fora da última partida viu seu substituto Leandrão marcar dois gols e mostrar que pode ser o centroavante que a diretoria tanto procura. Thalles não vinha aproveitando bem as oportunidades no time titular, e a torcida já perdeu a paciência com o jogador, que chegou a ser a maior promessa da base do Vasco durante algum tempo. É bem provável que ele fique no banco e Leandrão se mantenha no time titular.