Buscando boa fase e manutenção da liderança, Vasco recebe desesperado Joinville

Cariocas buscam manter a ponta, da qual são donos desde o início do campeonato; JEC precisa de pontos para se aproximar da saída do Z-4

Buscando boa fase e manutenção da liderança, Vasco recebe desesperado Joinville
Foto: Carlos Gregorio Jr./ Vasco
Vasco da Gama
Joinville
Vasco da Gama: Martín Silva; Madson, Luan, Rodrigo, Julio Cesar; Douglas, Andrezinho, Nenê; Junior Dutra, Ederson, Pikachu (Jorge Henrique); TEC: Jorginho.
Joinville: Jhonatan; Reginaldo, Danrlei, Ligger e Fernandinho; Bertotto, Paulinho Dias, Bruno Ribeiro e Thomás; Giva e Jael; TEC: Lisca.
ÁRBITRO: Devarly Lira do Rosário - ES (CBF); Auxiliado por: Leonardo Mendonça - ES (CBF) e Valberson Bras Zanotti - ES (CBF).
INCIDENCIAS: Partida válida pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B, à ser realizada na noite desta sexta-feira (16), às 21h30, no Estádio de São Januário, Rio de Janeiro.

A medida que as rodadas vão passando na Série B, os confrontos entre partes opostas da tabela ganham contornos dramáticos. Esse é o enredo de Vasco da Gama e Joinville, que acontece nesta sexta-feira (16), às 21h30, em São Januário. Líder, o mandante procura atingir o bom momento, vivido há algumas rodadas atrás. Já os adversários, em momento contrário, buscam a fuga da vice lanterna. Somando respectivamente 45 e 24 pontos, Vasco e Joinville, com suas campanhas, demonstram os dois lados de uma mesma moeda.

Empatado em pontos com o Atlético-GO, e levando vantagem apenas no número de vitórias alcançadas, o Gigante da Colina precisa fazer jus ao seu mando de campo e fazer sua parte na luta pela manutenção da ponta. Já para o JEC, os três pontos podem, de alguma forma, tornar seu caminho menos penoso, já que os mesmos não são capazes de garantir fuga do Z-4 já nesta rodada, pois o 16º colocado, Oeste, soma 30 pontos, exatamente seis a mais que o Tricolor Catarinense.

Devarly Lira do Rosário será responsável por comandar a partida. O arbitro terá o auxílio de Leonardo Mendonça e Valberson Bras Zanotti. Todos vêm do Espírito Santo e fazem parte do quadro da CBF.

Após bom segundo tempo de Pikachu em nova posição, Jorginho sinaliza nova possibilidade tática

Apesar de pouco usual, a cena de Yago Pikachu, pela esquerda de ataque vascaína, no empate diante do Goiás no Serra Dourada, na última terça, se mostrou positiva, ao menos, no que se diz respeito a opinião de Jorginho. Após o termino da partida, o treinador fez questão de elogiar a versatilidade do paraense, que mostrou de fato, ser capaz de jogar em várias posições, como fazia outrora no Paysandu.

Além, do auxílio na marcação pela esquerda, o jogador também teve a responsabilidade de organizar as investidas pelo setor, mudando o panorama do jogo e garantindo a pressão que antecedeu ao gol do Vasco.

Pelo período curto entre os dois jogos, a provável escolha do comandante vascaíno será pela manutenção da equipe que jogou melhor no confronto, obviamente, a da segunda metade de partida. Por isso, e também pela lesão de Jorge Henrique, que será reavaliado antes do jogo diante do Joinville, Pikachu, muito provavelmente, terá mais uma chance de mostrar efetividade pelo flanco esquerdo de ataque. Com o retorno de Rodrigo, o Vasco de Jorginho deverá ter força quase máxima contra o Tricolor Catarinense.

Admitindo que confronto será difícil, Lisca pede atenção e confiança da equipe

A equipe catarinense vem criando chances nos últimos jogos, mas a falta de tranquilidade, até pelo momento da equipe na tabela, atrapalha, e muito, a qualidade das definições. Por esse motivo, a equipe comandada por Lisca vem perdendo pontos importantes nas rodadas recém-disputadas, tornando assim, o sonho de fugir do rebaixamento, cada vez mais distante.

Seguindo este conceito, o treinador da equipe ressaltou, durante coletiva de imprensa, que o momento é de altíssimo grau de atenção, pois, segundo ele, só assim seria possível derrotar o Vasco em São Januário: usando bem todas as chances que aparecerem. Mas com tranquilidade e sem nenhuma pressa, para Lisca, basta seguir o que vem sendo feito contra adversários fortes, mas com um algo a mais.

"É preciso ter tranquilidade para executar ações com mais calma, ter clarividência na hora da escolha das jogadas, ter confiança. Temos jogado bem, batendo de frente com os adversários e isso seria consolidado com um bom resultado, o que mais nos falta. Não temos perdido, mas não temos ganhado. Uma vitória sobre o Vasco seria bem marcante depois de uma série de empates", disse o técnico.

Levando em conta que contra o líder, tais oportunidades deverão ser escassas, entende-se o porquê da compulsão com a perfeição pelo lado do Joinville. Lisca não tem medo de admitir que sua equipe é inferior, mas por isso mesmo, seus valores, como grupo, devem ser exaltados, mostrando que o Vasco é forte, mas o caminho para o Tricolor passa por um aproveitamento acima da média e, principalmente, por não cometer erros.