Jorginho lamenta distância de conquista da Série B: "Tínhamos todas as possibilidades"

Vasco perdeu para o Brasil de Pelotas por 2 a 1 e diferença para o líder Atlético-GO aumentou seis pontos

Jorginho lamenta distância de conquista da Série B: "Tínhamos todas as possibilidades"
Jorginho vê mais uma derrota de sua equipe (Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br)

Quem vê o Vasco da Gama no segundo turno não reconhece aquele time invicto e disposto a levantar a taça da Série B de 2016 sem dificuldades. Até a 28ª rodada, os cariocas lideravam o campeonato e depois viram o título mais próximo do Atlético-GO. A diferença para a equipe goianiense aumentou para seis pontos neste sábado (5). No estádio Bento Freitas, o Brasil de Pelotas levou a melhor em cima dos vascaínos: 2 a 1. Dos últimos seis jogos, foram três derrotas, três vitórias e um empate. Sabendo da dificuldade, o treinador Jorginho afirma que o mais importante é o retorno à elite do futebol.

"Antes desse jogo, já tínhamos todas as possibilidades. O Atlético-GO vencendo dificulta tudo. Ficam a seis pontos de diferença e restam só quatro jogos. A gente teria que ganhar tudo e os caras perderem pelo menos duas. Vamos continuar acreditando, mas com certeza o objetivo é subir, porque no Vasco não vai ter nenhuma foto do time campeão da Série B de 2016 se isso acontecer", ressalta.

Para quem assumiu o time no finalzinho da Série A em 2015 e percebeu a dificuldade da decisão, já que não foi possível evitar a queda mesmo após um excelente trabalho, Jorginho parece esquecer a força da camisa que veste. Não é à toa que se percebe, dentro de campo, a conformação apenas do acesso. Ele continua a insistir no discurso.

"No início, pela arrancada que tivemos, criou-se uma expectativa muito grande de que a coisa seria mais simples, mas não é. Vimos o quanto é difícil jogar aqui. É esse tipo de jogo que temos na segunda divisão, um jogo com mais força, vontade, força física, do que basicamente técnica. Perdemos a gordura que nós tínhamos e agora a coisa está bem apertada. Hoje, com certeza, o mais importante é nós subirmos", disse.

Em relação ao rendimento baixo, todos imaginam o porquê: "Não é a parte física. Chegamos no fim desse jogo correndo bem. A equipe deles estava tão cansada quanto a nossa. A equipe teve uma queda de rendimento técnico. Estamos procurando organizar bastante a equipe, para a equipe não ficar exposta. Infelizmente, tivemos a queda de rendimento de alguns jogadores e com isso queda na equipe de forma geral".

Com a saída do Jorge Henrique para o segundo tempo, o técnico mudou o esquema, mas lamentou o gol aos 46 minutos do segundo tempo.

"Entrada do Thalles melhorou, porque conseguimos ter uma disputa entre os zagueiros deles. Estávamos perdendo quase todas as bolas. A proposta era jogar por baixo, não ficar lançando bola, porque a equipe deles é relativamente alta. Queríamos bolas em velocidade, mas não conseguimos fazer esse tipo de jogo. Tivemos que partir para outra situação, com a entrada do Thalles. Acabamos tomando um gol numa infelicidade, um jogador não conseguiu entrar na linha de impedimento e acabamos tomando esse gol", comentou.

Sendo campeão ou não, o fato é que o Vasco precisa subir. "Com certeza precisamos melhorar nossas atuações, estar muito atento nesses quatro jogos para atingirmos nossos objetivos", concluiu Jorginho.

O Cruzmaltino recebe o Luverdense em São Januário às 21h30 na terça-feira (8), pela trigésima quinta rodada da segunda divisão do Brasileirão. O Brasil de Pelotas voltará a campo no mesmo dia, contra o Vila Nova, às 20h30.