Brasil reage no final, busca empate contra Egito e adia classificação inédita no handebol masculino

Brasil foi para o intervalo perdendo e reagiu no segundo tempo. Maik garantiu o empate ao pegar sete metros no último minuto

Brasil reage no final, busca empate contra Egito e adia classificação inédita no handebol masculino
Foto: AFP
Brasil
27 27
Egito

Na tarde deste sábado (13), o Brasil foi valente mais uma vez no handebol masculino e empatou com o Egito por 27 a 27. Mas o resultado não foi bom, levando em consideração que bastava vencer para garantir a classificação inédita para a próxima fase. A seleção brasileira foi para o intervalo perdendo, reagiu no final e garantiu o empate após Maik defender sete metros no último minuto.

Com cinco pontos em quatro jogos, o Brasil está em terceiro no grupo B, atrás de Alemanha e Eslovênia, ambas com seis pontos. A classificação inédita do Brasil pode vir na próxima rodada, basta vencer a Suécia, na segunda-feira (15), às 16h40 (de Brasília).

Brasil peca na ansiedade e Egito abre vantagem

Assim como contra a Eslovênia, o Brasil continuou pecando na ansiedade na hora de concluir as jogadas. Desperdícios de ataques e finalizações que não entravam ou paravam no goleiro adversário atrapalharam a seleção brasileira. Por outro lado, a equipe africana aproveitou as chances e abriu vantagem de 11 a 7.

Foi difícil para recuperar o placar. A ansiedade fazia os jogadores concluirem as jogadas de qualquer maneira, como Thiagus tentou fazer ao finalizar de costas para o gol. Na base da raça, o Brasil conseguiu encostar no placar nos minutos finais e foi para o intervalo perdendo por 15 a 13.

Brasil reage, Maik salva no fim e o jogo termina empatado

A situação não mudou muito no segundo tempo. Mesmo quando o Egito ficou com dois a menos em quadra, o Brasil não soube aproveitar as chances para virar o jogo. Porém, duas defesas difíceis de Maik fizeram a torcida crescer na Arena do Futuro e empurrar o time, que cresceu e diminuiu a diferença para apenas um gol: 17 a 16. Mas a pressa novamente foi inimiga da seleção brasileira, que deixou os adversários abrirem três gols de vantagem.

Nos últimos dez minutos o Brasil cresceu. Mesmo com a afobação jogando contra, Maik salvava atrás e o ataque começou a dar resultado jogando com o apoio da torcida, que fazia da Arena do Futuro um caldeirão mais uma vez. O Brasil conseguiu empatar o jogo em 27 a 27, mas quase perdeu o jogo quando o Egito teve um sete metros restando menos de um minuto para o fim, porém brilhou a estrela do goleiro Maik que defendeu a cobrança e garantiu o empate.