Em duelo desigual, Brasil perde para Espanha em sua estreia histórica no hóquei olímpico

Espanhóis não tiveram dificuldade para derrotar Brasil em duelo válido pelo Grupo A

Em duelo desigual, Brasil perde para Espanha em sua estreia histórica no hóquei olímpico
Buda Mendes / Getty Images
Brasil
0 7
Espanha
Brasil: Faustino, Imer, Patrocinio, Van der Heijden, Smith, Borges, Patrick, Bruno Mendonça, Rodrigo, Mateus, Lucas, Lopez, Diego Paes e Paulo Batista. Técnico: Claudio Rocha
Espanha: Cortes, Enrique, Delas, Pau Quemada, David Alegre, Oliva, Miguel Delas, Mir, Xavi Lleonart, Piera, Josep Romeu, Vicens Ruiz e Salles. Técnico: Soyez
INCIDENCIAS: Partida válida pela 1ª rodada do Grupo A do hóquei na grama masculino, nos Jogos Olímpicos Rio 2016

Na noite deste sábado (6), estreia do Brasil no hóquei na grama em Jogos Olímpicos. A seleção brasileira estreou na Olimpíada Rio 2016 diante da Espanha, 11ª no ranking mundial da modalidade. Após segurar bem na primeira metade, o Brasil sofreu a derrota por 7 a 0 para os espanhois. Lleonart (2), Oliva, Romeo (2), Ruiz e Alegre fizeram os gols da partida.

O Grupo A ainda conta com Bélgica e Austrália, que venceram respectivamente Grã Bretanha e Nova Zelândia nesta primeira rodada. O selecionado brasileiro tentará ainda somar vitórias na competição e sonhar com uma classificação inédita.

Brasil resiste no início e sofre derrota maior no fim

A Espanha, cotada por medalha nesta edição dos Jogos Olímpicos, começou com tudo e atacou bastante o Brasil. Os espanhois tiveram um gol anulado por desvio com o corpo na bola. Em outro lance, Enrique arriscou de longe e a redonda desviada passou próxima da meta.

O Brasil, por sua vez, permanecia marcando atrás e fechando os espaços na medida do possível, na atuação que era esperada pelo time do técnico Claudio Rocha. Em um contra-golpe, Lucas passou pela marcação e ficou frente a frente com o goleiro Cortes, mas o arqueiro espalmou de forma espetacular para evitar o tento brasileiro. Foi a melhor chance do primeiro quarto de partida.

No primeiro minuto do segundo período, a Espanha enfim furou o bloqueio brasileiro. Lleonart conduziu para o lado direito, trazendo para um tiro frontal e foi feliz: 1 a 0. Na sequência dos lances, David Alegre recebeu o cartão verde por falta por trás e precisou esperar no banco de reservas, enquanto a Espanha ficou com jogador a menos.

Faustino fez duas grandes defesas pelo Brasil ainda no segundo período. No último ataque da etapa, o jogador espanhol deixou a bola escapar pela linha de fundo. O jogo foi para o intervalo com apenas 1 a 0 no marcador aos visitantes.

Na arrancada após o intervalo, a Espanha arriscou um lance na área, a bola acertou a cabeça de Bruno Mendonça e o jogo ficou parado. Após consultar o vídeo, o árbitro entendeu que o lance não foi intencional e deu posse ao Brasil.

O segundo gol espanhol foi de Oliva, em condição irregular. Ele não desviou a bola à queima-roupa com o taco e sim com o braço. O tento desestabilizou a linha defensiva brasileira, com Piera conseguindo cavar um pênalti corner. Josep Romeo foi quem finalizou no ângulo para abrir 3 a 0. Após, Alegre arrematou cruzado e Faustino, de mão esquerda, espalmou pelo Brasil.

Faustino era o nome brasileiro na partida. O goleiro conseguiu defender dois pênaltis corner ainda no terceiro quarto do duelo, além de outra finalização de Alegre. No segundo rebote de pênalti corner, Bruno, com o taco, bloqueou a chance espanhola quase de dentro da meta.

O quarto gol saiu com Ruiz, que recebeu, invadiu a área e colocou com categoria no alto para Lleonart desviar e fazer seu segundo no jogo. Faltando 25 segundos ao final do quarto, Ruiz fez o dele em bonito giro: 5 a 0.

No último período, Romeo converteu outro pênalti corner. David Alegre fez o sétimo e último gol da partida, totalizando um 7 a 0 no confronto de uma seleção plenamente superior e acostumada contra o Brasil, que engatinha e dá os primeiros passos na modalidade.