Últimas decisões da luta olímpica têm favorito perdendo, ouro inédito e treinadores sem roupa

Nas decisões por medalhas, lutadores fizeram combates fortes buscando o título; treinadores da Mongólia tiraram a roupa em protesto

Últimas decisões da luta olímpica têm favorito perdendo, ouro inédito e treinadores sem roupa
(Foto: Reuters)

A luta olímpica terminou com muita emoção e combates tensos. O tri-campeão mundial, vencedor do ouro em Londres e favorito Jordan Burroughs caiu nas quartas e não passou da repescagem; Hassan Yazdanicharati deu ao Irã um campeão dezesseis anos depois; Abdulrashid Sadulaev manteve a invencibilidade e atropelou na final; para encerrar as disputas, dois treinadores da Mongólia, revoltados com o resultado da disputa do bronze, tiraram a roupa no meio da Arena Carioca 2.

Categoria 74kg

O Irã voltou a colocar um lutador no lugar mais alto do pódio da luta livre após dezesseis anos tentando. Hassan Yazdanicharati conseguiu, na última sexta-feira (19), bater o russo Aniuar Geduev em final dramática, com direito a muito sangue por um corte no supercílio do rival. O sangramento fez o combate ser parado quatro vezes até que fosse estancado. 

A final foi bem disputada e o russo começou lutando melhor, abrindo 4 a 0. Porém, o iraniano se deu melhor depois da cotovelada ocasional que abriu o supercílio do adversário, virando o placar no final do segundo round com dois ótimos golpes que empataram o marcador.

O iraniano foi bastante ovacionado pela torcida presente e honrou seu país, que tem a luta olímpica como um dos esportes mais populares. Foi a primeira medalha de ouro desde Sydney 2000, quando Ali Reza Dabir venceu na categoria até 60kg.

Geduev, inclusive, foi o grande responsável pela eliminação de Jordan Burroughs, favorito absoluto ao título, que teve um dia terrível. A vitória fácil sobre Augusto Midana, da Guiné-Bissau, na estreia deu a falsa impressão de que não seria uma caminhada difícil. Porém, existia um determinado russo pela frente, que o superou bem. Como Aniuar passou para a final, o norte-americano pôde lurar a repescagem, porém, acabou derrotado novamente, desta vez por Bekzod Abdurakhmanov, do Uzbequistão, e sequer disputou o bronze.

Categoria 57kg

O ouro olímpico na categoria 57kg ficou com o georgiano Vladimer Khinchegas, que derrotou o japonês Rei Hoguchi e conquistou o título. Além dele, os bronzes ficaram com Haji Aliyev, do Azerbaijão, e Hassan Sabzali Rahimi, do Irã. 

Categoria 86kg

O "Tanque Russo" passou por cima de todo mundo na categoria até 86kg. Abdulrashid Sadulaev, de apenas 20 anos, não perde há três anos, ou 55 lutas, tem dois títulos mundiais, um europeu e o favoritismo total entre os lutadores. Neste sábado (20), Sadulaev atropelou todos os adversários e conquistou o único título que ainda não tinha na carreira.

O turno Salim Yasar tentou bastante mudar a história da decisão do Mundial 2015, disputado em Las Vegas, que o russo também venceu. Mas não foi possível, a superioridade foi grande e Yasar não conseguiu oferecer resistência.

Na disputa pelos bronzes olímpicos, Sharif Sharifov, do Azerbaijão, venceu o venezuelano Pedro Francisco Ceballos. O outro terceiro lugar ficou com o norte-americano J'Den Cox, que bateu o cubano Reineris Salas, que, revoltado pela marcação de dois pontos para o rival, abandonou o combate com quatro segundos restantes no relógio e sem cumprimentar o rival.

(Foto: Reuters)
(Foto: Reuters)

Categoria 125kg

O estilo livre na categoria até 125kg teve o turco Taha Akgul como grande vencedor. Ele superou o iraniano o iraniano Komeil Ghasemi e conquistou o ouro olímpico. Nas diputas pelo bronze, o bielorrusso Ibrahim Saidau e o georgiano Geno Petriashvili levaram a melhor.

Categoria 65kg

O encerramento da luta olímpica foi, no mínimo, inusitado. Se uma disputa de bronze teve medalha com gosto amargo para o atual campeão mundial Frank Chamizo, a outra acabou com treinadores sem roupa. Isso mesmo.

Nos segundos finais da luta entre Mandakhnaran Ganzorig e Ilkhativor Navruzov, do Uzbequistão, o lutador mongol já estava comemorando com cinco segundos no relógio e deu passos para trás, o que pode ser considerado "fuga da luta". Assim que a luta terminou, a delegação uzbeque protestou e pediu passividade do adversário na revisão, o que foi comfirmado e empatou o combate em 7 a 7, dando a vitória a Navruzov. Com isso, a equipe de Ganzorig se revoltou e começou a tirar a roupa, ficando apenas de cueca no meio do tapete. O lutador, aos prantos, ainda chutou uma grade.

O cubano naturalizado italiano Frank Chamizo era favorito ao título, mas caiu diante de Toghrul Asgarov, da Azerbaijão, na semifinal. Nascido em Cuba, Chamizo optou por defender a Itália após casar-se com outra lutadora. Criado pela avô, seus pais o deixaram cedo e cada um seguiu para um continente diferente. Atual campeão mundial e europeu, Frank teve um processo longo para concluir sua cidadania e, após dura luta para estar na Rio 2016, encerrou com medalha.

O ouro da categoria ficou com o russo Soslan Ramonov, que derrotou Toghrul Asgarov na final.

Categoria 97kg

Deu Estados Unidos na última luta do ciclo olímpico. O jovem norte-americano Kyle Snyder conquistou o ouro após vitória sobre Khetag Goziumov, do Azerbaijão. Os bronzes foram para o romeno Albert Saritov e para o uzbeque Magomed Ibragimov.