França confirma favoritismo e vence ouro na Espada por equipes no último dia da Esgrima

Franceses não tiveram dificuldades no seu caminho ao alto do pódio, mostrando a força da escola do país; Itália e Hungria fecharam o pódio com prata e bronze, respectivamente

França confirma favoritismo e vence ouro na Espada por equipes no último dia da Esgrima
Foto: Tom Pennington / Getty Images

Neste domingo (14) a Esgrima deu adeus aos Jogos Olímpicos e para a sua temporada 2015/2016. O fechamento foi com a Espada por equipes masculino, com a equipe do Brasil sendo eliminada ainda nas oitavas de final para a Venezuela, a melhor no esporte da América do Sul, contando com o medalhista de ouro no individual em Londres. No começo da noite, a França confirmou o seu favoritismo e conquistou o ouro, o primeiro e único no Rio de Janeiro. Itália foi a segunda com a prata e a Hungria ficou com o bronze.

O primeiro duelo do dia foi do Brasil. A equipe brasileira contava com Guilherme Melaragno, Nicolas Ferreira, Athos Schwantes e Alexandre Camargo e acabou eliminada para a Venezuela, que tinha Rúben Limardo, Francisco Limardo, Cañas e Fernández e bateu os brasileiros por 45 a 25, o maior placar do dia.

Prosseguindo para as quartas de final, a França de Grumier, Jérent, Borel e Lucenay bateu os venezuelanos por 45 a 29, tendo certa facilidade para avançar. O favoritismo francês foi gritante durante todo o dia. A Itália de Enrico Garozzo, Santarelli, Pizzo e Fichera venceu também com facilidade a Suíça de Steffen, Borsky, Kauter e Heinzer por 45 a 32. A Ucrânia de Herey, Nikishyn, Kvoroste e Karyuchenko também não teve problemas para eliminar a Rússia, de Anokhin, Sukhov, Avdeev e Khodos, por 45 a 32. O único embate que foi disputado nesta fase aconteceu na vitória apertada da Hungria de Rédli, Imre, Boczkó e Somfai sobre a Coréia do Sul de S. Y. Park, Jung, K. D. Park e S. Jung

Nas disputas pelo quinto e sétimo lugar, a Coréia do Sul acabou batendo a Venezuela na primeira fase por 45 a 40, indo enfrentar a Suíça que venceu a Rússia por 45 a 28. Na partida pelo quinto lugar, os coreanos derrotaram os suíços por 45 a 36, enquanto que na do sétimo a Rússia finalmente venceu por 36 a 30 os venezuelanos.

As semifinais do dia viu uma vitória apertada da França sobre a forte Hungria por 45 a 40, já garantindo ao menos a medalha de prata para os tradicionais franceses. Na outra partida, vitória confortável da Itália sobre a Ucrânia por 45 a 33, garantindo a final aguardada do dia entre duas das escolas mais forte da Esgrima: dos italianos e dos franceses.

No bronze, os húngaros precisaram se reinventar para garantir a medalha por um apertado 37 a 35 sobre os ucranianos. Na grande final, a tão aguardada batalha equilibrada foi totalmente quebrada pelos franceses que, mesmo sem Grumier, número 1 do mundo e bronze no individual, conseguiu controlar e sempre alargar a vantagem sobre os italianos, que até tentaram com Garozzo, mas a inteligência do adversário acabou se sobressaindo. 45 a 32 e medalha de ouro à França. 

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Entenda a Espada por equipes

São utilizadas as mesmas regras do individual na pista. Em nove rounds de três minutos cada, vence quem marcar 45 pontos ou mais pontos que o adversário ao término do nono round. São utilizados três esgrimistas titulares e um suplete que pode substituir alguém para as equipes, lutando todos contra todos.