Canoagem: Isaquias e Erlon faturam a prata na C2 1.000m

Brasileiros terminam prova com o tempo de 3m44s819, menos de dois segundos atrás da dupla alemã que levou o ouro; Ucrânia completou o pódio

Canoagem: Isaquias e Erlon faturam a prata na C2 1.000m
Photo: Getty Images/Ryan Pierse

Isaquias Queiroz segue fazendo história na Olímpiada do Rio de Janeiro. Neste sábado (20), de manhã, o baiano. natural de Ubaitaba, foi pra água dessa vez com seu parceiro Erlon de Souza, para disputar os 1.000 metros na canoa dupla. Com um grande desempanho, os brasileiros chegaram em segundo lugar com o tempo de 3m44s819 e conquistaram a medalha de prata.

Com a medalha, Isaquias Queiroz se tornou o primeiro brasileiro na história a conquistar três medalhas numa mesma edição de Olímpiada. Antes dele quatro brasileiros tinham conquistado duas medalhas: Guilherme Paraense e Afrânio da Costa, no tiro esportivo, nos Jogos de 1920, e os nadadores Gustavo Borges, em 1996, e Cesar Cielo, em 2008.

Brasileiros largam bem mas são ultrapassados na reta final

Com muitos brasileiros presentes apoiando a dupla, Isaquias e Erlon largaram muito bem na prova já liderando desde o começo. Sem abaixar o ritmo seguiram com boa vantagem na frente. Os russos até tentaram se aproximar mas não tiveram êxito, e viram os brasileiros cruzar os 750 metros na primeira colocação.

Porém como de costume, os alemães Sebastian BrendelJan Vandrey, aceleraram no fim e conseguiram ultrapassar para conquistar o ouro com o tempo de 3m43s412. Em terceiro ficou IanchukMishchuk, da Ucrânia, com 3m45s949.

Isaquias comentou sobre seus feitos nos Jogos Olímpicos do Rio, e também por ter se tornado o maior medalhista olímpico brasileiro numa mesma edição.

"Eu me sinto realizado. Fico muito feliz em ter quebrado esse recorde. Mas, como falei, não é só mérito meu. É da minha equipe toda, que está de parabéns", comentou o baiano de 22 anos.  "A torcida ajuda muito nos metros finais. A gente sente um arrepio. É uma prata com gosto de ouro", completou.

Erlon comentou sobre o incentivo da torcida para a conquista da medalha. "Qualquer empurrão a mais ajuda durante a prova. E a torcida brasileira nos deu muito energia.", disse o medalhista olímpico.