Autoridades se despedem da Rio 2016 fazendo balanço positivo da Paralimpíada

Prefeito Eduardo Paes participou de coletiva junto com Carlos Nuzman e Andrew Parsons

Autoridades se despedem da Rio 2016 fazendo balanço positivo da Paralimpíada
Da direita para a esquerda, temos: Carlos Nuzman, Eduardo Paes, Andrew Parsons e Nilo Sérgio Felix (Foto: Gabriel Menezes/VAVEL Brasil)

O ciclo olímpico da cidade do Rio de Janeiro foi encerrado de forma definitiva e oficial hoje (19). Após a cerimônia de encerramento realizada ontem (18) no estádio do Maracanã, o prefeito Eduardo Paes participou de entrevista coletiva no Rio Media Center, ao lado de Carlos Nuzman, presidente do comitê organizador Rio 2016, e Andrew Parsons, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), visando fazer um balanço dos números da Paralimpíada.

Em tom informal, o prefeito da Cidade Maravilhosa começou a coletiva fazendo agradecimentos à população carioca: "Nunca é demais agradecer toda a paciência que a população teve nos últimos anos, porque o Rio virou um canteiro de obras que muitas vezes não eram entendidas pelas pessoas. Foram anos difíceis, desafiantes, mas é impossível não comemorar", afirmou Paes, que deixará o cargo ao fim do ano de 2016. Além disso, aproveitou a oportunidade para tentar calar os críticos: "Mostramos na realização algo mais forte que nosso jeito de fazer festa. Serviu para mostrar ao mundo que esse país e essa cidade têm capacidade de entregar as coisas. Fizemos a Olimpíada mais barata da história", disse o prefeito.

Eduardo Paes insistiu no legado que os Jogos deixarão à cidade, relembrando a todo o tempo que esse era o ponto mais importante, afirmando que a Olimpíada pode acabar levando a uma transformação da vida da população. O prefeito também falou sobre as expectativas de falhas e problemas que rondavam o evento, adotando tom relativamente ácido para comentar as críticas antecipadas: "Tinha um caos anunciado previamente, de zika, de bactérias assassinas nas águas das praias e puderam confirmar que isso não se verificava. Queria ouvir também os 300 especialistas em saúde que escreveram uma nota pedindo que as pessoas não viessem ao Rio de Janeiro. Seria interessante perguntar o que aconteceu", declarou.

O político do PMDB também elogiou os atletas e mostrou que o Brasil pode se inspirar nos competidores da Paralimpíada: "Queria agradecer àqueles que protagonizaram essa festa: os atletas, tanto da Paralimpíada quanto da Olimpíada. Na Olimpíada já nos emocionávamos com a capacidade de superação dos atletas, mas a Paralimpíada, nesse aspecto, mostra que não há limites. Esse é um pouco do espírito que a gente espera que as pessoas tenham em relação ao nosso país e nossa cidade. Acho que Rio e Brasil mostraram que não temos limites quando queremos fazer as coisas bem feitas", completou.

O discurso do prefeito carioca foi endossado pelo presidente do comitê organizador Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, que demonstrou felicidade em relação aos resultados alcançados pela organização: "Só queria falar sobre o enorme orgulho de concluirmos a organização dos Jogos como foi, com reconhecimento nacional e internacional, com algumas ações completamente diferentes de outros jogos e que acho que elevam o patar dos futuros Jogos", disse o ex-jogador de vôlei, destacando a integração entre as esferas de governo municipal, estadual e federal, além da transformação que a cidade sofreu, considerando-a a maior da história.

Nuzman também elogiou o trabalho do CPB, parabenizando Parsons pelo resultado: "Queria dar os parabéns ao meu companheiro Andrew Parsons pelo resultado e perfomance dos atletas extraordinários. Foi um resultado que já vem sendo trabalhado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro há alguns anos e consolida o desporto paralímpico no Brasil. Esse trabalho merece um destaque muito grande", disse, ressaltando que os bons resultados não devem ficar apenas no quadro de medalhas: "O resultado dos Jogos Paralímpicos vai além do resultado esportivo, também vai pro resultado social. E esse é um resultado que acho que o país inteiro absorveu", afirmou o presidente do comitê organizador.