FIA analisa congelamento do BoP para as 24 horas de Le Mans

Medida é uma tentativa de barrar esquemas das equipes que "escondem" o real desempenho dos seus carros antes da principal prova do Mundial de Endurance

FIA analisa congelamento do BoP para as 24 horas de Le Mans
(Foto: FIAWEC)
O famigerado BoP (Balanço de Performance), pode estar com os dias contatos, pelo menos para as 24 horas de Le Mans. A ACO e a FIA estudam o o bloqueio da regra para evitar que as equipes escondam seus verdadeiros desempenhos no início da temporada, mirando a principal prova do campeonato.
Vincent Beaumesnil, diretor de esportes da ACO, em entrevista ao site Sportscar365.com, revela que o bloqueio do BoP pode acontecer ainda no final desta temporada. “Estamos explorando muitas possibilidades”, disse Beaumesnil. “Com certeza, não é muito confortável que as provas que antecedem Le Mans acabam tendo o desempenho dos carros maquiados, principalmente com os novos modelos.”
“Eu não sei se é o que vamos fazer. Mas estas são opções que podemos analisar. Por que não?”
Tais medidas devem ocorrer apenas para Le Mans. Para o restante do calendário, tudo deve permanecer como está. “É óbvio que é mais fácil se você tiver Le Mans fora das corridas”, disse ele.
“Nós temos algumas reuniões e estamos falando com os fabricantes, explorando outras possibilidades. Queremos fazer a síntese final até o fim do verão.”
Esta reação por parte da ACO, vem depois das duras críticas por conta do ajuste de BoP poucas horas das 24 horas de Le Mans deste ano. Na época a vencedora Ford e a Ferrari apresentaram um desempenho muito acima das demais equipes. Mesmo com a medidas emergenciais, o carro americano acabou vencendo na classe GTE-PRO. Em defesa da entidade, Beaumesnil argumenta que a razão das medidas são para deixar o esporte mais competitivo.
“Nós nunca fomos tão longe na análise dos carros  tentando colocá-lo todos juntos para fazer o melhor BoP,” ele  disse.
“Nós aumentamos o número de sensores. Você não pode imaginar a quantidade de tempo que passamos estudando os dados. Eles têm muito mais trabalho com isso do que com a LMP1.”
“Agora precisamos ter pessoas trabalhando em tempo integral apenas na classe GT, porque é se tornou um grande trabalho.”
“É um desafio, porque este ano teve carros novos e novas regras … e carros atualizados, então você tem que fazer todos eles ficarem juntos.”
Um dos fatores apontados pelo dirigente é a qualidade do piloto e pneus, que muda de carro para carro. “É fácil sempre colocar a culpa no BoP e não é realmente o caso”, disse ele.
“Se você pegar um Fórmula 1, todo mundo fala: ‘Manor tem uma BoP muito ruim em comparação com a Mercedes.’ Não, esse não é o caso!”
“A principal dificuldade é que Le Mans é a terceira corrida do ano e eu acho que ninguém seria estúpido de acreditar que as equipes mostrem seu verdadeiro potencial.”
“Podemos fazer melhor? Claro que podemos sempre fazer melhor e estamos sempre trabalhando para melhorar o processo.”
“A filosofia da BoP é fazer com que os carros fiquem tecnicamente o mais próximo possível. Não é para fazer os pilotos, equipes, estratégia, e pneus iguais.”