BMW descarta programa DPi na IMSA

Montadora alemã se mantém na classe GTLM da série americana. Ida a Le Mans em um futuro não está descartada

BMW descarta programa DPi na IMSA
(Foto: IMSA)

A BMW negou os planos de ter um programa DPi para o próximo ano. A notícia logo se espalhou e diversos sites acabaram replicando o boato. Na manha desta quinta (04) o diretor da marca Jens Marquardt revelou ao site Sportcar365 os planos da marca para o próximo ano.

“Estamos felizes agora onde estamos“, disse. “Gostamos da classe GT e com o M6, que tem funcionado muito bem.”

“Protótipos, para mim … é uma tecnologia que você precisa empregar nos carros de rua. Se é normal, eu vejo o suficiente para optarmos.”

A marca chegou a esboçar uma avaliação, mas confirma que está satisfeita com o programa GT. Também se estudou o fornecimento de motores para as equipes DPi, sem qualquer interesse em ter um programa oficial. “Nós perguntaram sobre o fornecimento de motores, é um negócio, então talvez sim”, disse ele.

“Não acho que seja algo realista nos próximos, dois anos. Não estamos olhando intensamente para isto agora.”

A última vez que a marca forneceu motores para uma equipe nos EUA foi em 2013 na antiga Rolex Sportcar Series. Marquart porém não descartou a volta do fabricante para Le Mans.

“Você nunca deve descartar nada completamente”, disse ele. “As pessoas me perguntam sobre F1 e Le Mans. Não é o momento, mas eu não sei o faremos daqui a  cinco anos.”