Ullrich da Audi: “Dependemos do conselho para aprovar nossos programas esportivos”

Dirigente afirma que marca vai se manter no Mundial de Endurance de 2017, e que reuniões para discutir isso são normais dentro da companhia

Ullrich da Audi: “Dependemos do conselho para aprovar nossos programas esportivos”
Participação da Audi no WEC é dada como certa, mesmo com ok do conselho da marca. (Foto: Audi AG)

Recentemente a Audi confirmou que terá um programa oficial da Fórmula E. Sendo uma das categorias que mais refletem o espírito inovador da marca. Por conta desta decisão, rumores  sobre o cancelamento do programa da marca do WEC, ganharam forma.

A história da Audi com o Endurance é antiga. Desde 1999 a marca vem competindo em provas de longa duração, e nos últimos anos com a entrada da Porsche que faz parte do grupo VW e o sonho da imprensa de ver a marca na F1, sempre levantam boatos sobre o futuro na LMP1.

“É um projeto adicional e está em um nível completamente diferente”, disse Ullrich ao site Sportscar365. “Espero que possamos executar esses três programas, mas as decisões relativas aos programas precisam ser tomadas.”

Além do WEC e agora Fórrmula E, a Audi tem sua participação no DTM. “Não existe um programa confirmado para o próximo ano. Como sempre, ele viria é definido entre setembro e novembro.”

Tanto Porsche quanto Toyota já tem seus programas no WEC confirmados. Para a Audi, as decisões envolvendo grandes somas de dinheiro dependem do conselho administrativo da marca. Ullrich acredita que isso não passa de uma formalidade, e que a equipe deve continuar no Endurance nos próximos anos.

Enquanto o programa LMP1 da Toyota foi confirmado até 2017, e o fabricante japonês trabalhando em um carro de 2018, e futuro WEC da Porsche garantidos para o longo prazo, apenas a Audi ainda tem que ganhar formalmente aprovação do conselho para um retorno para os altos escalões do protótipo Próximo ano.

Segundo Ullrich, é mais ou menos uma formalidade, com seus programas de motorsports tendo sido sempre numa base de renovação de ano para ano.

“Nós tivemos isso por seis anos”, disse ele. “Você sempre tem que convencer o conselho de que o dinheiro que você precisa para fazer o programa se encaixa no que você vai receber em troca.”

“Isso tem que ser discutido todos os anos, porque os parâmetros mudam ano após anos Você tem que ter certeza que será competitivo, e ter certeza de que o orçamento não está se ficando alto demais. Cortes sempre são bem vindos.”

“Você tem que ser mais eficiente a cada ano. Fomos capazes de reduzir no ano passado.”

Para o próximo a marca se tiver seu programa confirmado, deve alinhar apenas 2 R18 nas 24 horas de Le Mans, mesmo número de carros da Porsche. O acordo faz parte do programa de redução de custos que o grupo VW adotou em 2015 por conta do escândalo das emissões dos motores diesel.