Vinicius e Tom: saiba curiosidades sobre os mascotes dos Jogos Olímpicos

Presidente do Comitê Organizador afirma que os mascotes ficarão marcados na história das Olimpíadas assim como a canção "Garota de Ipanema". Desenhos homenageiam ícones da Música Popular Brasileira

Vinicius e Tom: saiba curiosidades sobre os mascotes dos Jogos Olímpicos
Vinícius e Tom, mascotes das Olimpíadas do Rio (Foto: Marcello Neves/Editoria de Arte - VAVEL)

Desde os Jogos Olímpicos de Inverno de 1968, os mascotes olímpicos são criados para representarem as culturas e os animais de diferentes países. Sempre muito alegres e coloridos, os personagens conquistam de crianças a adultos de todo o mundo.

São confeccionados, a cada edição de Copa do Mundo e de Olimpíada, um novo mascote que traz algum significado do país. Em 2014, os desenhos escolhidos para o Rio-2016 inspiram a fauna e a flora brasileira. Os nomes, bem tradicionais (Vinicius, para as Olimpíadas, e Tom, para as Paralimpíadas), homenageiam os cantores Vinicius de Moraes e Tom Jobim, criadores da Bossa Nova, e ícones da Música Popular Brasileira (MPB). A dupla foi escolhida por votação popular e receberam 44% dos votos.

De acordo com o presidente do Comitê Organizador do Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, os mascotes ficarão marcados na história das Olimpíadas assim como a canção "Garota de Ipanema", reconhecida mundialmente. "Vinicius e Tom são nomes reconhecidos pelo mundo como sinônimo de excelência, bem de acordo com a marca que queremos deixar com os Jogos Rio 2016. Além de representar a fauna e flora brasileiras, nossos mascotes agora também se conectam com o melhor da nossa música", contou Nuzman ao site oficial.

Já a diretora de Marca do Comitê, Beth Lula, os embaixadores dos Jogos vão espalhar os valores do evento para todos os países. "Eles têm o papel de disseminar as mensagens do evento e os valores dos movimentos olímpico e paralímpico aos diversos públicos, especialmente o infanto-juvenil", disse.

Poesia e Música

Foto: (Divulgação)
Foto: (Divulgação)

Vinicius de Moraes e Tom Jobim se encontraram em 1956 para criar a trilha do espetáculo "Orfeu da Conceição". A partir daí, se tornaram amigos. Juntos, fizeram parceirias em diversas canções que são interpretadas por várias gerações de cantores. São responsáveis pelo início da história de ouro da MPB e pelos sucessos de "Garota de Ipanema", "Chega de Saudade", "A Felicidade" e "Eu sei que vou te amar".