Rumo à Olimpíada: Tamires, lateral-esquerda do Fortuna Hjorring

Conhecida como coringa da Seleção Brasileira Feminina de Futebol, além de atuar na lateral Tamires também joga no meio-campo

Rumo à Olimpíada: Tamires, lateral-esquerda do Fortuna Hjorring
Rumo à Olimpíada: Tamires, lateral-esquerda do Fortuna Hjorring

Mineira de Caeté - microrregião da capital Belo Horizonte - a lateral esquerda Tamires enfrentou muitos obstáculos para conquistar o sonho de chegar à Seleção Brasileira feminina de futebol. Um deles foi quando descobriu que estava grávida de seu primeiro filho. Após esse fato, a jogadora achou que nunca mais poderia voltar aos gramados. Quis o destino que ela estivesse enganada. Conhecida por ser multi-função, tanto dentro como fora de campo, Tamires está prestes a disputar sua primeira olimpíada como atleta do Brasil.

Com 28 anos, a lateral da seleção possui uma certa rodagem no esporte. Com passagens pelo futebol internacional, Tamires iniciou sua carreira em 2004, jogando pela Juventus. A equipe de São Paulo serviu como ponte para a atleta chegar ao seu primeiro time grande, o Santos Futebol Clube. Em 2008, a jogadora teve uma rápida aparição pelo Charlotte Lady Eagles, equipe dá segunda divisão do Estados Unidos. Onde disputou 10 jogos e marcou um gol.

Atuando pelo Atlético Mineiro, Tamires engravidou aos 21 anos de César, também jogador de futebol e na época seu namorado. Precisando interromper a carreira por causa da gestação, a atleta se viu em uma situação difícil. Porém contou com o apoio do seu companheiro e não demorou para voltar aos gramados. Seu filho Bernardo nasceu em 2011. Após retornar às atividades pelo clube mineiro, no ano seguinte a atleta novamente teve que paralisar seu sonho para acompanhar o então marido na mudança de cidade.

No ano de 2013, em São Paulo, apareceu uma nova oportunidade para Tamires voltar a atuar. Foi então que sua carreira decolou. Jogando pelo Centro Olímpico, não demorou muito para a atleta ter sua primeira convocação para a seleção principal do Brasil. Chamada pra fazer parte do grupo de atuou na Copa da Suíça, sua estreia aconteceu em setembro do mesmo ano, contra a Nova Zelândia. Desde então a lateral da Seleção Brasileira não saiu mais das listas de convocações da equipe. 

Titular da lateral-esquerda da seleção, a jogadora disputou as principais competições representando seu país no esporte. Chegando até a marcar um gol no Campeonato Sul-americano de Futebol Feminino, em 2014, que fora realizado no Equador. No ano passado, Tamires atuou na Copa do Mundo Feminina e nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, torneios que ajudaram a atleta a assinar um contrato com o clube Dinamarquês Fortuna Hjorring, atual equipe da experiente esportista.

Em julho de 2015 a jogadora teve sua medalha de ouro conquistada no Pan-Americano roubada, após ser vitima de um assalto ao sair da residência de sua mãe. Em um bonito gesto, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a presentou com uma réplica da condecoração. Nome certo nas olimpíadas deste ano na equipe do técnico Vadão, a atleta vai em busca do lugar mais alto do pódio com suas companheiras de time. Jogando no Brasil, a expectativa da primeira medalha de ouro do futebol feminino em olimpíadas é grande.

Conhecida por ser multi-função, a atleta que desempenha o papel de mãe fora de campo, dentro dele é a coringa da equipe. Lateral de origem, Tamires já atuou no meio-campo em diversos clubes durante sua carreira. Na seleção, agradou na lateral-esquerda. Mas, caso seja necessário a mudança, o técnico Vadão tem uma boa opção em seu elenco. Com 1,61 cm, a número 3 da seleção tem como sua principal característica a velocidade, e garante que evoluiu física e taticamente para a disputa do maior evento do mundo.