Suor, lágrimas e o ponto mais alto do pódio: Serginho se emociona após conquista da medalha de ouro

Brasil transformou o suor em ouro, como o Bernardinho diz em seu livro. Serginho encerra carreira com medalha de ouro

Suor, lágrimas e o ponto mais alto do pódio: Serginho se emociona após conquista da medalha de ouro
Foto: Getty Images

Na tarde do último domingo (21), a seleção brasileira masculina de vôlei, no último dia de competições dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, não se mostrou diferente diante dos italianos, sempre forte e confiante. A seleção entrou  e só saiu com a tão esperada medalha de ouro, a  sétima, uma grande vitória brasileira, sendo agora tricampeão olímpico.

A partida não foi nada fácil. A Itália entrava  muito bem no jogo e o Brasil ainda demorou mais para pegar o rítmo. Falhava na cobertura e permitia que os adversários pontuassem.  Jogo de total tensão, preocupação e atitudes que definiam o placar. Wallace foi fundamental, sendo o maior pontuador. Sempre contagiando seus companheiros e levantando a torcida, junto com Lipe. O time soube jogar em casa, que foi o seu sétimo integrante.  Após a premiação, os jogadores se reuniram para fazer o famoso peixinho em quadra. Um momento mais do que emociante, a despedida do Serginho, líbero da seleção.

"Hoje, eu não vou dar essa camisa para ninguém, mas essa camisa 10 vai ficar aqui no chão do Maracanãzinho", falou Serginho emocionado.  Em seguida, todos os companheiros foram até a camisa e deram um beijo, mostrando reverência ao grande jogador, que melhor do que fechar com chave de ouro, fechou sua carreira com medalha de ouro. Para finalizar, no livro do técnico Bernadinho transformando o suor em ouro ele diz: "Quanto mais você sua nos treinamentos, menos sangra no campo de batalha". Hoje, o Brasil sangrou menos e levou a melhor.

Foto: Reuters
Foto: Reuters