Superliga 2016/17 na VAVEL: Funvic Taubaté

Tricampeão paulista, alviazul se reforçou para a temporada e só pensa em uma coisa: quebrar a hegemonia do Sada Cruzeiro

Superliga 2016/17 na VAVEL: Funvic Taubaté
Arte VAVEL Brasil

Em sua quarta temporada disputando a Superliga Nacional, o Funvic Taubaté crê que chegou a hora de vencer. Pelo terceiro ano consecutivo, a equipe do interior de São Paulo vai entrar em quadra com um alto investimento e com o peso de ser um dos favoritos a erguer o principal troféu do vôlei brasileiro. Mas, dessa vez, a equipe se diz mais 'cascuda' e preparada para frear a hegemonia do Sada Cruzeiro.

Atual tricampeão paulista, o time do Vale do Paraíba entra no torneio nacional credenciada por um time entrosado, experiente, com uma torcida apaixonada e, claro, com reforços de peso: as chegadas dos campeões olímpicos Wallace e Éder, além de outros jogadores de destaque no cenário nacional dos últimos anos, repõe bem a saída de outros atletas e mantém o alto nível competitivo da equipe. Como forma de preparação, o time conquistou o Campeonato Paulista na última semana, vencendo o Sesi na decisão.

Dentro do alviazul, é consenso que o Cruzeiro, atual campeão mundial, é o favorito para conquistar a Superliga. Mas também há a percepção clara de que a 'distância' para o time mineiro diminuiu. Dessa forma, o Taubaté quer fazer diferente dos dois últimos campeonatos, quando bateu na trave e ficou com o terceiro lugar.

Funvic Taubaté
Time-base:
Mário Jr, Éder, Otávio, Rapha, Lucarelli, Lucas Lóh e Wallace.
Elenco: Mário Jr, Matheus (líberos); Éder, Otávio, Mesa, Nicolas (centrais); Rapha, Gelinski, Jonatan (levantadores); Lucarelli, Lucas Lóh, Japa, Vinícius, Renan (ponteiros); Wallace e Kaio (opostos).
Técnico: Cezar Douglas
Supervisor: Ricardo Navajas
Ginásio: Abaeté (3.000 lugares), Taubaté-SP

VAI E VEM
O torcedor do Taubaté se acostumou a ver um elenco estrelado nas últimas temporadas, e, nessa Superliga, não será diferente. Além da manutenção do capitão Rapha e do campeão olímpico Lucarelli, a equipe trouxe reforços de peso: os medalhistas de ouro Wallace e Éder, vindos do Sada Cruzeiro; o líbero Mario Jr, com passagens pela seleção brasileira; e o ponta Lucas Lóh, um dos últimos jogadores cortados do time de Bernardinho antes da Olimpíada do Rio de Janeiro.

Por outro lado, a equipe teve o desfalque do ponta Lipe. Um dos jogadores mais queridos pela torcida, o camisa 12, autor do ponto que deu a medalha de ouro ao Brasil na Rio-2016, acertou sua transferência para a Turquia -- no fim da última temporada, já havia se desentendido com o técnico Cezar Douglas e tinha a imagem desgastada com a diretoria. O oposto Leozão também deixou a equipe, assim como o líbero Felipe.

Mário Jr foi um dos destaques do Campeonato Paulista (Foto: Divulgação / Taubaté)
Mário Jr foi um dos destaques do Campeonato Paulista

O CALDEIRÃO
Nos últimos anos, o Taubaté teve em seu elenco astros do vôlei nacional, como os experientes Giba, Dante, Lipe, Lorena e Rapha. E todos eles concordaram em um ponto: é muito difícil vencer o alviazul em sua casa.

O ginásio do Abaeté, apelidado de 'Caldeirão' pela proximidade da torcida, é um dos trunfos da equipe do interior paulista. Com capacidade para 3.000 pessoas, os jogos são sempre lotados, com a torcida atuante. Foi lá que o time conquistou dois de seus três títulos paulistas, e teve um aproveitamento incrível na última Superliga: venceu 13 dos 16 jogos que fez em seus domínios.

Otávio e Rapha vibram na final contra o Sesi: torcida fez a diferença para o alviazul
Otávio e Rapha vibram na final contra o Sesi: torcida fez a diferença para o alviazul

O CRAQUE
Não poderia ser outro. Campeão com a Seleção Brasileira e considerado por muitos como o melhor jogador dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, o oposto Wallace estava quase acertado com o voleibol italiano, mas, de última hora, resolveu permanecer no Brasil e buscar títulos pelo Taubaté.

Com o sistema de pontuação da CBV, o Sada Cruzeiro teria que liberar um de seus maiores astros: Wallace ou William. O oposto temeu não se adaptar a um novo levantador no time mineiro e aceitou a chance no alviazul. "Não quis arriscar. Taubaté me fez uma boa proposta e o fato de jogar com o Rapha [levantador], que já treinei junto na Seleção, pesou bastante", disse o camisa 18, em entrevista exclusiva à VAVEL Brasil.

A proximidade de casa foi um dos pontos que fizeram Wallace acertar com o alviazul (Taubaté é apenas 123km distante da capital São Paulo), aonde conquistou o título paulista dessa temporada -- sendo um dos melhores jogadores da final. "Meu primeiro título paulista vai ser bem comemorado. O Taubaté está me dando todo o aparte de treinamento, e espero cumprir todas as expectativas sobre mim. O time foi montado para buscar todos os títulos possíveis. Não vai ser fácil, mas foi montado para isso", disse o oposto. Alguém duvida do campeão olímpico?

Sorrindo à toa: bem adaptado ao Taubaté, o campeão olímpico Wallace só pensa nos títulos
Sorrindo à toa: bem adaptado ao Taubaté, o campeão olímpico Wallace só pensa nos títulos

O CAPITÃO
O camisa 7 Rapha é, definitivamente, o ponto de equilíbrio do Taubaté em quadra. Se Cruzeiro e Sesi têm como levantadores William e Bruninho, dois campeões olímpicos, o time do interior paulista não fica atrás: o capitão alviazul foi o melhor jogador das finais dos últimos três Campeonatos Paulistas, e, aos 37 anos, segue jogando no mesmo nível dos companheiros de posição.

Tretracampeão mundial e bicampeão da Champions League pelo Trentino, da Itália, Rapha tem o feito de ter sido eleito quatro vezes o melhor levantador do Mundial de Clubes. O camisa 7 chegou ao Taubaté como uma das grandes estrelas da renovada equipe, em 2014, e, com a saída de Dante, no ano seguinte, se tornou o capitão. "É uma responsabilidade grande. Estar aqui, vestir essa camisa. Tenho certeza que o time almeja ainda mais do que já fez, e com certeza entra pra brigar pela Superliga", afirmou o atleta.

Agora, mira diretamente no título da Superliga. "Sabemos que o Sada é o favorito, mas nosso time se reforçou. Todos estamos buscando melhorias para o campeonato ficar ainda mais equilibrado. Nosso time está mais calejado. O grupo está mais do que preparados para isso", disse o levantador, um dos jogadores mais regulares da equipe.

Liderança e classe: capitão do Taubaté, Rapha acredita que o time pode brigar pelo título
Liderança e classe: capitão do Taubaté, Rapha acredita que o time pode brigar pelo título

FIQUE DE OLHO
Lucarelli mal esteve em quadra na atual temporada. Depois da lesão contraída ainda nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, o camisa 8 fez um intesivo tratamento para poder voltar a jogar pelo Taubaté o quanto antes, e esteve de volta nas semifinais do Campeonato Paulista. No jogo decisivo, contra o Sesi, foi para o banco ainda no primeiro set, se poupando.

O ponta quer voltar a ser decisivo. Tratado como estrela e um dos principais nomes da atual geração do vôlei brasileiro, Lucarelli quer ter pelo Taubaté o mesmo peso que teve no Sesi, e brilhar em mais uma Superliga. "Nosso time entra muito forte. O Sada é campeão mundial, o Sesi também se reforçou bem, mas a gente espera chegar na final. Vai ser uma liga competitiva, como ano passado", afirmou o jogador à VAVEL Brasil.

Muito bem adaptado ao time do Vale do Paraíba paulista, o ponta quer um título nacional para marcar ainda mais seu nome na história da equipe e continuar sendo um dos favoritos da torcida -- não à toa, o nome de Lucarelli é um dos mais festejados no ginásio do Abaeté. "Nada melhor que ganhar em casa. Fomos campeões [do Campeonato Paulista] lá, meus pais estavam lá, a torcida sempre comparece em peso", afirmou o camisa 8.

Lucarelli quer brilhar: recuperado de lesão, o ponta quer ser decisivo na Superliga
Lucarelli quer brilhar: recuperado de lesão, o ponta quer ser decisivo na Superliga

O COMANDANTE
Quando o time da Funvic se transferiu de Pindamonhangaba para Taubaté, cidades vizinhas no interior de São Paulo, o investimento era baixo. Foi montada uma equipe modesta, com poucos recursos, que sofreu para vencer jogos na Superliga em 2013/2014. Mesmo a contratação do ponta Giba, já em fim de carreira, não melhorou as coisas no Abaeté.

Cezar Douglas veio do São Bernardo e foi contratado para ser comandante da equipe ainda durante a fase ruim. Mostrou seus valores, já conhecidos pelo público desde os tempos de Vôlei Futuro, em Araçatuba, conquistou a confiança da diretoria e foi mantido para os anos seguintes. Viu craques chegarem e, montando seus firmes elencos, conquistou três títulos paulistas e uma Copa do Brasil.

Mesmo com os pés no chão, o treinador taubateano não nega que só pensa naquilo: a conquista da Superliga. "A gente entra com esse algo a mais, querendo mais que nas últimas temporadas. Acompanhando nossa evolução, com o desempenho aumentando, vamos chegar a esse objetivo, que é o de pelo menos disputar a final", declarou.

O técnico vai para sua quarta Superliga no comando do Taubaté e acredita que, ao menos na teoria, o time está pronto para brigar pelo título. Na prática, precisa por em quadra o que ele tem visto nos treinos. "Precisamos acompanhar o campeonato, rodada a rodada, para ver se serão apenas Cruzeiro, Sesi e Taubaté brigando. Tem muito time que tem condições de igualar jogo. Temos que começar pensando só na nossa equipe, terminar nossa programação de treino e depois concretizar o favoritismo", completou o comandante alviazul.

Tricampeão paulista e campeão da Copa do Brasil, Cezar Douglas quer a Superliga
Tricampeão paulista e campeão da Copa do Brasil, Cezar Douglas quer a Superliga

Tabela de jogos
29/10- Castro-PR x Taubaté (20h)
5/11 - Taubaté x Maringá-PR (21h30) - SporTV
10/11- Canoas-RS x Taubaté (21h45) - Rede TV!
19/11- Taubaté x Minas (2h130) - SporTV
23/11- Bento Vôlei x Taubaté (20h)
28/11- Taubaté x Montes Claros (20h) - SporTV
3/12 - Sesi x Taubaté (18h)
7/12 - São Bernardo x Taubaté (19h30)
10/12- Taubaté x Campinas (18h30)
17/12- Cruzeiro x Taubaté (19h)
20/12- Taubaté x Juiz de Fora (21h)
7/1 - Taubaté x Castro-PR (18h30)
14/1- Maringá-PR x Taubaté (18h)
28/1- Taubaté x Canoas (18h30)
4/2 - Minas x Taubaté (17h)
8/2 - Taubaté x Bento Vôlei (20h)
11/2- Montes Claros x Taubaté (18h)
18/2- Taubaté x Sesi (18h30)
22/2- Taubaté x São Bernardo (20h)
4/3 - Campinas x Taubaté (18h)
8/3 - Taubaté x Cruzeiro (20h)
11/3- Juiz de Fora x Taubaté (a definir)

Fotos: Rafinha Oliveira / Funvic Taubaté