De virada, Rio do Sul supera Sesi-SP na estreia da Superliga Feminina de Vôlei

No Ginásio do Sesi, em Santo André, a equipe catarinense venceu por 3 sets a 1, com parciais de 25/16, 21/25, 14/25 e 21/25

De virada, Rio do Sul supera Sesi-SP na estreia da Superliga Feminina de Vôlei
Prevaleceu a experiência da equipe de Santa Catarina (Foto: Raphael Amoroso/Divulgação Fiesp)

O Sesi-SP e o Vôlei Rio do Sul estrearam na Superliga Feminina de Vôlei 2016/17 neste domingo (30), no Ginásio do Sesi, em Santo André. Após bom primeiro set da jovem equipe paulista, o time catarinense mostrou poder de reação e venceu de virada, por 3 sets a 1, com parciais de 25/16, 21/25, 14/25 e 21/25.

Tanto a equipe paulista quanto o time catarinense passaram por reformulações para esta temporada. Agora, o Sesi apostará na juventude e nos novos talentos do voleibol brasileiro, como a oposta Lorenne, a levantadora Giovana e a líbero Laís. Já o Rio do Sul, que foi um dos destaques na edição passada da competição, contratou Fernando Bonatto para comandar a equipe e chegou motivado, após conquistar o título estadual.

O próximo compromisso do Rio do Sul será na sexta-feira (4), às 20h (de Brasília), novamente fora de casa. O time catarinense visitará o Fluminense, no Ginásio Hebraica Rio, no Rio de Janeiro. No dia seguinte, também pela segunda rodada da Superliga Feminina de Vôlei, o Sesi-SP enfrentará o Brasília Vôlei. O duelo será Ginásio Sesi Taguatininga, em Taguatinga do Norte - região administrativa do Distrito Federal - às 18h (de Brasília).

Após levar susto, Rio do Sul mostra poder de reação

Aproveitando o fator casa, o Sesi começou o primeiro set surpreendentemente bem, dominando e aproveitando o nervosismo da equipe catarinense. Após o time paulista abrir vantagem considerável, 13 a 4, o Rio do Sul iniciou uma reação em busca do empate e quase encostou, forçando então o comandante Giuliano Ribas à paralisar o jogo. Com bloqueio forte, o time catarinense demonstrou uma reação incrível na partida, mas em contrapartida, o Sesi explorou o saque forte e novamente abriu vantagem, fechando o primeiro set com ace de Linda, em 25 a 16.

Lamentavelmente o jogo recomeçou com as lágrimas da ponteira Gabriela, do Sesi, que lesionou a coxa ainda durante o aquecimento. Diferentemente da primeira parcial, onde ambas equipes tiveram bons e maus momentos, o segundo set foi extremamente equilibrado. Juliana Mello, central da equipe paulista, começou sacando, mas o primeiro ponto foi do Rio do Sul.

O duelo seguiu nivelado, com a central Linda sacando muito bem pelo Sesi, enquanto o time catarinense pecava na recepção,  mas nenhuma das equipes conseguia abrir vantagem no placar. Já no fim da segunda parcial, o Rio do Sul mostrou-se melhor na partida, novamente imprimindo um bloqueio forte. Contudo, com a oposta Natiele destacando-se no momento decisivo, a equipe catarinense fechou o segundo set em 25 a 21.

Embalado, o Rio do Sul iniciou bem a terceira parcial, aproveitando o ótimo momento da oposta Natiele na partida e abrindo 8 a 2. Confiante, o time catarinense cresceu ainda mais no jogo e forçou a paralisação por parte do treinador adversário, Giuliano. Apesar das orientações, a jovem equipe do Sesi ainda demonstrava-se emocionalmente desequilibrada, enquanto o experiente time de Santa Catarina explorava os erros adversários.

Com 19 a 12 no placar, em desvantagem, o comandante do Sesi novamente pediu tempo, visando uma reação na etapa final do terceiro set, que não surtiu efeito. No entanto, o Rio do Sul continuou à frente no marcador, dominando totalmente as ações e mantendo o bloqueio vigoroso. Com bela atuação individual da central Camila Paracatu, a equipe catarinense fechou a terceira parcial em 25 a 14.

O quarto e possivelmente, set decisivo, também iniciou equilibrado, mas o aspecto emocional tornou-se algo preponderante no desempenho das equipes. Novamente, Giuliano Ribas tentou orientar as atletas, com o objetivo de empatar o confronto, mas o Rio do Sul continuava atacando de forma impiedosa, muito em função das atletas experientes no elenco. Com o desenrolar da quarta parcial, o time catarinense sustentava uma vantagem considerável, em 22 a 13, e a vitória começava a ficar previsível.

O Sesi ainda tentou lutar, mostrou-se valente e até chegou a encostar, em 23 a 20, mas o jogo coletivo do Rio do Sul prevaleceu, especialmente com as ponteiras Franciele e Nayara Felix, além da central Camila Paracatu - eleita melhor atleta em quadra - e da oposta Natiele, agraciada por um belo ponto de saque no set point, fechando o jogo em 25 a 21.