Copas nacionais: surpresas na Itália e na Turquia, mas não na Grécia
Travis Diener, ex-NBA, comandou a Dinamo Sassari na Itália (Foto: Agenzia Ciamillo e Castoria)
Este fim de semana foi o de conclusão para grande parte das copas nacionais dos principais centros do basquete europeu, com vários campeões sendo coroados. Além da marcante vitória do Real Madrid no grande clássico contra o Barcelona, que decidiu a Copa del Rey, na Espanha (leia aqui), outros sete clubes das mais relevantes ligas do basquete europeu também terminaram o domingo erguendo um trofeu. Países como França, Rússia e Croácia ainda conhecerão seus campeões.
 
A grande surpresa talvez tenha sido na Copa da Itália. Em Milão, a Montepaschi Siena, campeã dos últimos sete campeonatos italianos e das últimas cinco copas da Itália, foi derrotada pela modesta Dinamo Sassari, clube da Sardenha que por boa parte de sua história transitou entre a segunda e a terceira divisões do basquete italiano. A vitória por 80 a 73 deu o primeiro título da história do clube sardo, liderado pelo armador Travis Diener, que brilhou ao lado de Dwyane Wade por quatro anos na universidade de Marquette, no início da década passada, e que disputou cinco temporadas na NBA. Com 17 pontos, sete rebotes e quatro assistências na partida, ele foi o MVP do embate.
 
Em sua décima final consecutiva e a primeira desde 2007 que não foi contra o arquirrival Olympiacos, o Panathinaikos sagrou-se tricampeão da Copa da Grécia, levando seu 15º título na história, o maior vencedor da competição. A partida contra o Aris, disputada na paradisíaca ilha de Creta, no sul do país, foi tranquila, apesar de o time de Tessalônica ter endurecido o jogo no primeiro tempo. Mas com um avassalador 35 a 7 no terceiro quarto, o time verde assegurou o triunfo. O cestinha do jogo foi o armador americano Ramel Curry, do Panathinaikos, com 17 pontos.
 
Tudo parecia caminhar para que o Anadolu Efes acabasse com seu jejum de cinco anos sem vencer um título nacional (seja o campeonato turco ou a Copa da Turquia). Em sua caminhada até a final, o maior campeão turco eliminara grandes rivais como o Besiktas, nas quartas, e o atual campeão nacional Galatasaray, na semifinal. O adversário da final foi o modesto Pınar Karşıyaka, que jamais havia vencido uma copa, mas que havia eliminado o Fenerbahçe na semifinal. E o gigante foi quem saiu derrotado. Em um jogo disputadíssimo, o clube do oeste do país batalhou ponto a ponto até o minuto final, garantindo, nos lances livres, a vitória por 66 a 65, celebrando o primeiro título nacional desde 1987.
 
Na primeira final sem o Partizan Belgrado desde 2006, o Estrela Vermelha derrotou o Mega Vizura por 81 a 80 e faturou o bicampeonato da Copa da Sérvia, o quarto em sua contagem geral. Na Eslovênia, os dois maiores clubes do país fizeram o clássico na final, com o Krka derrotando o gigante Union Olimpija, com a vitória de 83 a 70. Na Ucrânia, o Budivelnyk bateu o Donetsk por 96 a 88 e ficou com o caneco. Na Hungria, o campeão foi o Szolnok, que bateu por 70 a 68 o Sopron.
 
Há as copas que ainda não foram concluídas. Na França, país que há poucos meses sagrou-se campeão do Campeonato Europeu, a copa nacional encontra-se na fase de oitavas-de-final e terá três jogos no final desta semana. Na Croácia, quatro clubes disputarão as semifinais no final deste mês. Entre eles, o gigante e favorito Cibona Zagreb, maior campeão do país e dono de dois títulos europeus, ainda está na briga. A Copa da Rússia chegou à fase quartas-de-final neste fim de semana (vitórias de CSKA Moscou, Lokomotiv Kuban e Unics Kazan) e, com séries melhor de três jogos, chega à semifinal em março.
VAVEL Logo