Análise: Lakers e Kings fazem boas escolhas e Bulls decepcionam no NBA Draft
Foto: Divulgação/NBA

Na noite desta última quinta-feira (22) aconteceu o NBA Draft 2017 e as franquias já começaram o planejamento para a temporada 2017/18. Entre os destaques da noite estão o Los Angeles Lakers e o Sacramento Kings que fizeram ótimas escolhas. O lado negativo ficou por conta do Chicago Bulls que trocou sua principal estrela e vendeu uma boa escolha para o Golden State Warriors por US$ 3 milhões.

+ Sixers pegam Fultz na 1ª escolha em noite de recorde de calouros no NBA Draft

O Los Angeles Lakers teve quatro escolhas, sendo três delas de primeira rodada e a última apenas na segunda rodada. Entre os escolhidos estavam Lonzo Ball, uma das principais estrelas deste Draft, Kyle Kuzman e Josh Hart, ambos na primeira rodada; Thomas Bryant foi o último selecionado, na segunda rodada.

Lonzo Ball teve médias de 14.6 pontos, 6.0 rebotes e 7.6 assistências por jogo na única temporada que fez por UCLA. Assim como ele, outros 15 da primeira rodada deste Draft eram calouros, um recorde na história da NBA.

Lonzo Ball foi uma das grandes estrelas do NBA Draft 2017 (Foto: Divulgação/Lakers)

Já entre as outras escolhas dos Lakers, vale destacar Kyle Kuzman, de Utah, outro ótimo prospecto que teve médias de 16.3 pontos e 9 rebotes - entre os escolhidos de Los Angeles, liderou em pontos e rebotes. Já Josh Hart, de Villanova, que foi campeão do NCAA em 2016, é o mais experiente dos selecionados e teve médias de 18.7 pontos e 6.4 rebotes.

Por fim, o último escolhido foi Thomas Bryant, de Indiana, que teve médias de 12.6 pontos e 6.6 rebotes. Ao todo, os Lakers selecionaram dois jogadores das duas primeiras posições e outros dois que jogam no garrafão. Lonzo Ball é armador e Josh Hart é ala-armador, enquanto Kyle Kuzman é ala-pivô e Thomas Bryant é pivô.

O Sacramento Kings fez boas escolhas e foi o grande destaque da noite. A franquia também da Califórnia selecionou jogadores das principais faculdades de basquete. De'Aaron Fox (Kentucky) foi o primeiro escolhido, seguido por Justin Jackson (North Carolina), Harry Giles (Duke) e Frank Mason III (Kansas).

De'Aaron Fox era uma das principais escolhas da noite e foi escolhido na quinta posição, a primeira escolha dos Kings no Draft. Fox, de 19 anos, era o destaque da equipe de Kentucky e teve médias de 16.7 pontos e 4.6 assistências. 

De'Aaron Fox exibiu todo seu estilo após ser escolhido pelo Kings (Foto: Divulgação/NBA)

Justin Jackson, de North Carolina, é o mais vitorioso entre as opções dos Kings. Jackson disputou duas finais da NCAA nos últimos dois anos e foi campeão em 2017 sendo o destaque da equipe com média de 18.4 pontos.

O mais experiente dos escolhidos é Frank Mason III, de Kansas, que estava no último ano de universidade e foi eleito o jogador do ano, tendo médias de 20.9 pontos e 5.2 assistências por jogo - números superiores a de Josh Jackson, também de Kansas, que foi a quarta escolha do Draft.

O menos badalado é Harry Giles, de Duke, mas que também é um ótimo prospecto, embora as médias sejam baixas (3.9 pontos e 3.8 rebotes). Porém, Giles jogava numa das principais escolas de basquete e tinha certa importância na equipe.

Se o Los Angeles Lakers e o Sacramento Kings fizeram ótimas escolhas, o Chicago Bulls foi pelo lado oposto. Ainda no começo da noite, acertou a troca com o Minnesota Timberwolves, recebendo Kris Dunn, Zach LaVine e a escolha de número 7, onde selecionou Lauri Markkanen, que é um bom jogador. Mas para isso, deu em troca o principal jogador do elenco, Jimmy Butler.

Além de trocar Jimmy Butler, os Bulls tinham outra escolha na segunda rodada, e selecionaram o pivô Jordan Bell, de Oregon, que teve médias de 11 pontos e 8.7 rebotes por jogo na temporada, mas vendeu por US$ 3 milhões ao Golden State Warriors. Os Bulls perderam uma ótima chance de reforçar o criticado garrafão num momento de reformulação e venderam a escolha ao atual campeão.

VAVEL Logo