Flamengo vence Mogi no jogo 5 e enfrenta o Bauru na final do NBB

Olivinha carrega a equipe para a quarta final consecutiva do Novo Basquete Brasil anotando 22 pontos e buscando 4 rebotes ofensivos

Flamengo vence Mogi no jogo 5 e enfrenta o Bauru na final do NBB
Olivinha comemorando com a torcida após o fim do jogo. Foto: João Pires/LNB
Flamengo
80 75
Helbor/Mogi das Cruzes

Nesta terça-feira foi definido o último finalista do Novo Basquete Brasil Caixa 2015/2016 em duelo emocionante entre Flamengo e Mogi das Cruzes/Helbor, vencendo o Flamengo no Tijuca Tênis Clube, 80 a 75.

O Flamengo atinge a quarta final consecutiva na competição, tricampeão que foi nas edições anteriores e busca o 5º título contra o Paschoalotto/Bauru para a 7ª edição da final no maior torneio nacional de basquete da América do Sul.

Coube ao ala-pivô Olivinha liderar o time em pontuação somando 22 tentos e 8 rebotes, 4 ofensivos, sendo o cestinha da partida mas seguido de perto por Shamell. O camisa 24 anotou 21 pontos e foi o maior pontuador do Helbor/Mogi. Marquinhos foi outro que teve atuação notável anotando 16 pontos, dando 6 assistências e pegando 5 rebotes.

Com bom jogo coletivo Mogi abre 8 pontos de vantagem e vai ao intervalo vencendo

Quem começou a partida brilhando foi o norte-americano Shamell, autor de 11 dos 23 pontos da sua equipe nos primeiros 10 minutos. O ritmo foi intenso e o rubro-negro também anotou 23 pontos, tendo bom aproveitamento nos tiros próximos com Marquinhos e Olivinha mas cedendo pontos na área pintada.

No segundo quarto o time comandado interinamente por Alexandre Rios, soube escolher com maestria a hora de infiltrar ou chutar de longe e os reservas do Flamengo como Gegê e Rafael Mineiro não entraram bem na partida, deixando a vantagem do adversário em 8 pontos ao intervalo.

Voltando do intervalo com energia os donos da casa fizeram seu melhor quarto na partida, 26 a 17 na parcial com o ala-pivô Olivinha inspirado tendo convertido todos os 6 arremessos tentados no período(14 pontos).

Olivinha faz terceiro período arrasador e leva Flamengo a mais uma final

O Mogi não fez um quarto ruim ofensivamente anotando 17 pontos, chutando 62,5% de quadra mas a consistência defensiva foi menor. Para fechar o quarto, Larry Taylor acertou chute do meio da quadra no estouro, deixando sua equipe na frente por 1 ponto, 62 a 61.

Num quarto final mais amarrado, Flamengo e Mogi trocaram a liderança do placar por vezes e tinham dificuldades na seleção dos arremessos, principalmente no time paulista deixando o jogo empatado em 72 com pouco menos de 5 minutos por jogar.

Os minutos decisivos foram de pura tensão com o Flamengo abrindo 4 pontos de vantagem, Mogi encostando após lances livres mas Olivinha recuperou importante rebote ofensivo só dando um tapinha para deixar novamente em 3 pontos a vantagem rubro-negra. Depois disso Mogi não conseguiu pontuar e ainda levou Marcelinho Machado a linha de lance livre fechando o placar.