Lendas Olímpicas: Kobe Bryant, um dos maiores jogadores da história do basquete

Kobe Bryant atuou na NBA por 20 anos defendendo apenas o Los Angeles Lakers, conquistou cinco títulos e duas medalhas de ouro em Jogos Olímpicos

Lendas Olímpicas: Kobe Bryant, um dos maiores jogadores da história do basquete
Lendas Olímpicas: Kobe Bryant, um dos maiores jogadores da história do basquete

Kobe Bryant é um dos maiores jogadores da história do basquete. O ex-jogador atuou por 20 anos na NBA, defendendo apenas o Los Angeles Lakers, no qual conquistou cinco títulos. Pela seleção dos Estados Unidos, conquistou duas medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos (Beijing 2008 e Londres 2012). Aposentou em abril deste ano, anotando 60 pontos na partida de despedida (clique aqui e leia a crônica do jogo).

LEIA MAIS: Kobe Bryant: relembre a carreira de um dos maiores da história do basquete

+ Farewell Tour: relembre momentos marcantes da última temporada de Kobe Bryant

O Black Mamba, como ficou conhecido, é o terceiro maior pontuador da história da NBA com 33.643 pontos e encerrou a carreira com uma média de exatos 25 pontos por jogo. Kobe é o segundo jogador na história da liga norte-americana com mais participações no All-Star Game (18 vezes) e é quem mais foi eleito o MVP (Jogador Mais Valioso) do Jogo das Estrelas (4 vezes, empatado com Bob Pettit). Foi eleito MVP da temporada uma vez e MVP das finais duas vezes.

A lista de recordes de Kobe Bryant é imensa. Detém o recorde de mais bolas de três pontos numa só partida da NBA (12, empatado com Donyell Marshall e Stephen Curry), é o maior cestinha da história dos Lakers e é também quem mais jogou partidas pela franquia. Tem a segunda melhor pontuação individual numa partida, 81 pontos, inferior apenas aos 100 pontos de Wilt Chamberlain.

Confira abaixo a história de Kobe Bryant e seu legado:

- O início

Desde antes de entrar para NBA, Kobe Bryant já chama a atenção por conta da sua versatilidade e explosão. Tantos holofotes fizeram com que ele optasse pular a fase do colegial e ir direto do ensino médio para a principal liga de basquete do mundo. 

Em 1996, o jovem de Lower Merion, da Filadélfia, foi a 13ª escolha do Draft da NBA, escolhido pelo Charlotte Hornets. Kobe, que dizia ser torcedor do Los Angeles Lakers e fã de Magic Johnson, pediu uma troca. Sua vontade era ser um Laker. Então, o general manager dos Lakers - que também é ídolo da franquia - resolveu negociar uma troca. Assim, Kobe Bryant foi realizar mais um sonho.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Logo em sua estréia, Kobe quebrou seu primeiro recorde: se tornou o jogador mais jovem a jogar uma partida da NBA, com 18 anos e 72 dias. Em sua primeira temporada, o menino teve seus tempos contados. Teve média de 15 minutos em quadra e 7,6 pontos. A torcida se impressionou com a habilidade do jovem, que ia para cima de grandes jogadores como fazia no ensino médio.

Na segunda temporada, como já era esperado, ele evoluiu. Com mais tempo em quadra, dobrou sua média de pontos de 7,6 para 15,4. Protagonizou um grande duelo contra Michael Jordan, anotando 33 pontos vindo do banco (confira no vídeo abaixo). Ali nascia uma discussão: "Kobe seria o herdeiro do lugar de Jordan? Kobe seria o Jordan da nova geração?" Inteligente, é claro, negou qualquer tipo de comparação. Mas Jordan sempre rasgou elogios ao menino de Lower Merion.

Ainda em sua segunda temporada, Kobe foi selecionado para o campeonato de enterradas no fim de semana do All-Star Game. Suas enterradas impressionantes lhe renderam o prêmio de vencedor do torneio.

- O primeiro título e o tricampeonato com Shaq

Os Lakers viviam na era pós-Magic Johnson e buscavam um novo ídolo. Viam em Kobe Bryant potencial para isso, mas estava longe ainda do tempo. Então contrataram um dos melhores pivôs da liga: Shaquille O'Neal.

A chegada de Shaq ajudou os Lakers a voltarem a brigar no topo, mas faltava algo a mais, como um comando técnico de ponta para conseguir lidar com os jogadores. Então foi contratado Phil Jackson, hexacampeão com o Chicago Bulls de Michael Jordan.

Com Shaq, Kobe e Phil Jackson, os Lakers retornaram ao topo da NBA ao conquistarem o título da liga norte-americana de basquete na temporada de 1999/2000. Era o primeiro título de Kobe Bryant, logo aos 21 anos. 

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Kobe estava longe do protagonismo em seu primeiro título, mas era o segundo grande nome da equipe, mesmo que tivesse apenas 21 anos. Na temporada 2000/2001, os Lakers tiveram campanha melhor que na anterior onde conquistara o título. Nos playoffs, foram arrasadores, chegando nas finais sem perder um jogo. Logo no primeiro jogo da final, em casa, foram surpreendidos e perderam para o Philadelphia 76ers. Mas, os Lakers encaixaram uma sequência de quatro vitórias seguidas e conquistaram o bi.

Kobe não parava de desenvolver seu jogo. Ao lado de Shaq, formou uma das maiores duplas da história dos Lakers e do basquete. Na temporada 2001/2002, a franquia de Los Angeles conquistou mais um título da NBA, o tricampeonato. Assim como nos dois anos anteriores, Shaq foi o MVP (Jogador Mais Valioso) das finais, mas Kobe estava deixando de ser coadjuvante.

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

- Primeiro vice, briga com Shaq e início do protagonismo

Na temporada 2002/2003, os Lakers viveram mais um grande ano, mas acabaram perdendo para o San Antonio Spurs nas finais da Conferêncie Oeste. Assim, o poderoso time tricampeão ficou de fora das finais de 2003.

Os Lakers se reergueram após a derrota nas finais de conferência em 2003 e conseguiram chegar as finais da NBA em 2004. Apesar de reforçados com hall da fama Karl Malone no garrafão ao lado de Shaq, os Lakers foram derrotados para o Detroit Pistons nas finais. Kobe perdia uma final da NBA pela primeira vez na carreira.

Talvez o estrelismo tenha atrapalhado os Lakers em 2004. Shaquille O'Neal e Kobe Bryant começaram a se desentender fora das quadras e, assim, Shaq deixou os Lakers rumo ao Miami Heat. Sem Shaq e com Karl Malone prestes a aposentar, Kobe Bryant virou o grande nome dos Lakers.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

- Era Kobe Bryant, vice para os Celtics e bicampeonato com revanche

Kobe virou o grande nome dos Lakers. Os holofotes eram todos deles. Foi o cestinha da temporada em 2006 com uma média de 35.4 pontos por jogo, e em 2007 com média de 31.6 pontos por jogo. Em 2008, foi eleito o MVP da temporada pela primeira vez na carreira.

O ano de 2008 foi um dos melhores da carreira de Kobe. Os Lakers se reforçaram, foram os melhores do Oeste, Kobe foi eleito o MVP da temporada e conseguiram chegar as finais da NBA depois de quatro anos. O rival foi o Boston Celtics, e pela segunda vez seguida os Lakers foram vices.

Foto: Divulgação/NBA
Foto: Divulgação/NBA

Depois de conquistar a NBA três vezes ao lado de Shaquille O'Neal, Kobe fracassou na sua primeira tentativa sem o pivô. A mídia, é claro, pressionou. Logo no ano em que Kobe foi MVP, os Lakers foram vices para o maior rival.

A pressão funcionou. Em 2009, Kobe continuou jogando em alto nível, assim como seus companheiros. Os Lakers, outra vez, chegaram as finais. Desta vez, contra o Orlando Magic, venceram com facilidade e voltaram ao topo da NBA.

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Mas se engana quem acha que Kobe parou por aí. O Black Mamba queria mais, foi atrás e conquistou. Em 2010, os Lakers retornaram as finais da NBA mais uma vez, pelo terceiro ano seguido. O adversário da final era o Boston Celtics, de novo.

Kobe tinha contra ele o péssimo histórico os Lakers em finais contra os Celtics. Só venceram os rivais em decisão na época de Magic Johnson. Kobe tratou de dar fim a esse tabu, se vingou por 2008 e conquistou o título. Era o quinto título da carreira de Kobe.

Foto: Divulgação/NBA
Foto: Divulgação/NBA

- Lesões, recordes e aposentadoria

Após fracassar dois anos seguidos (2011 e 2012), em 2013 os Lakers montaram um grande time. Mas, o elenco bastante recheado de nomes famosos acabou sendo um grande fracasso. Para chegar aos playoffs, Kobe Bryant jogou o máximo que pôde. Tanto esforço físico causou a pior lesão de sua carreira: rompeu o tendão de Aquiles.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A lesão no tendão de Aquiles veio no fim da temporada de 2013. Kobe perdeu a pós-temporada e só retornou as quadras em 2014. Mas, o retorno não foi muito longo. Jogou apenas seis jogos e voltou a se lesionar, desta vez na tíbia. Kobe se recuperou da lesão na tíbia e retornou as quadras no fim de 2014, já com a temporada 2014/15 em andamento. Jogou apenas 35 dos 82 jogos porque uma nova lesão, desta vez no ombro, o impediu de continuar. Mas foi o suficiente para superar Michael Jordan em pontos e se tornar o terceiro maior pontuador de todos os tempos.

Foto: Divulgação/NBA
Foto: Divulgação/NBA

Iniciou-se a temporada 2015/16. A última no contrato previsto de Kobe com os Lakers. As dúvidas beiravam no ar se os Lakers renovariam com o velho jogador que pouco jogava e sofria com lesões. Mas, Kobe deu fim aos boatos ao anunciar através de uma carta no 'The Players Tribune' que iria se aposentar ao término a temporada.

A campanha dos Lakers na temporada 2015/16 foi um fiasco, o pior do Oeste. Mas teve bons momentos, como na vitória contra o Boston Celtics, no TD Garden, com Kobe sendo protagonista e ovacionado, e como na vitória sobre o recordista Golden State Warriors, no Staples Center.

Em sua temporada de despedida, Kobe foi ovacionado por todos os lugares que jogou e recebeu homenagens de lendas como Michael Jordan e Jerry West. Atuou em 66 partidas, deu prioridade principalmente para os jogos fora de casa. Teve média de 17.6 pontos por jogo, superou a marca dos 33 mil pontos (apenas ele, Kareem Abdul Jabbar e Karl Malone conseguiram isso) e em sua partida de despedida anotou incríveis 60 pontos.

Foto: Divulgação/NBA
Foto: Divulgação/NBA

Carreira na seleção dos Estados Unidos

Desde que começou a crescer na NBA, Kobe despertou o interesse de todos para que ele fosse da seleção norte-americana de basquete. Porém, algumas lesões o afastaram por muito tempo. Por conta disso, Kobe perdeu oportunidade de jogar duas Copas do Mundo FIBA (2002 e 2006) e a Copa América FIBA (2003).

Em 2007, enfim, Kobe começou a brilhar na seleção. Conquistou o ouro na Copa América FIBA daquele ano. Em 2008, liderou os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Beijing em mais uma medalha de ouro. Na final contra a Espanha, anotou 20 pontos, sendo 13 deles no último quarto do jogo.

Em 2012, Kobe disputou os Jogos Olímpicos de Londres e conquistou a medalha de ouro mais uma vez, sendo um dos protagonistas novamente. Após as Olimpíadas, anunciou que estava se aposentando da seleção. 

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Legado

"Bryant é um dos maiores jogadores da história do basquete". Essas foram as palavras do comissário atual da NBA, Adam Silver. Kobe Bryant é considerado por muitos o melhor da geração da era pós-Michael Jordan. Seus movimentos e estilo de jogo são semelhantes ao do maior jogador da história do basquete. 

Magic Johnson, considerado o segundo maior da história do basquete, é o ídolo maior do Los Angeles Lakers, mas para ele quem é o maior da história da franquia é Kobe Bryant. Foi inspiração para grandes estrelas da NBA atualmente, como Kevin Durant, Paul George, Derrick Rose, Russell Westbrook, e muitas outras.

Kobe foi um dos maiores vencedores da NBA. Foram cinco títulos, sendo duas vezes MVP das finais. É um dos três únicos atletas a chegarem a marca dos 33 mil pontos, marca esta que Michael Jordan não alcançou. Bryant jogou 20 anos na liga, todos nos Lakers, e se tornou o atleta que defendeu mais tempo uma única franquia.

Sua paixão pelo esporte é o maior legado que Kobe Bryant deixou. O ex-jogador superou todas as lesões possíveis e sempre respeitou todos e o esporte. Sua gana pela vitória o transformou no vitorioso que foi. Kobe é um futuro hall da fama do basquete e uma das maiores lendas do esporte.

Foto: Divulgação/NBA
Foto: Divulgação/NBA

- Prêmios

5x NBA Champion: 1999-2000, 2000-01, 2001-02, 2008-09 e 2009-10
2x NBA Finals MVP: 2008-09 e 2009-10
1x NBA MVP: 2007-08
2x NBA Scoring Champion: 2006 e 2007
4x NBA All-Star Game MVP: 2002, 2007, 2009 e 2011
18x NBA All-Star Game: 1997-98, 1999-00, 2000-01, 2001-02, 2002-03, 2003-04, 2004-05, 2005-06, 2006-07, 2007-08, 2008-09, 2010-11, 2011-12, 2012-13, 2013-14, 2014-15 e 2015-16
11x All-NBA First Team: 2001-02, 2002-03, 2003-04, 2005-06, 2006-07, 2007-08, 2008-09, 2009-10, 2010-11, 2011-12 e 2012-13
2x All-NBA Second Team: 1999-00 e 2000-01
2x All-NBA Third Team: 1998-99 e 2004-05
9x NBA All-Defensive First Team: 1999-00, 2002-03, 2003-04, 2005-06, 2006-07, 2007-08, 2008-09, 2009-10 e 2010-11
3x NBA All-Defensive Second Team: 2000-01, 2001-02 e 2011-12.
2x Medalha de Ouro nos Jogos Olímpicos: 2008 e 2012
1x Medalha de Ouro FIBA Americas Championship: 2007

- Outros feitos

- Recorde da NBA de bolas de três pontos em um jogo: 12
- 3º maior cestinha da história da NBA (33,643 pontos)
- 1º maior cestinha da história do Los Angeles Lakers (33,643 pontos)
- 3º maior cestinha na história dos playoffs da NBA com 5,640 pontos
- 2ª maior pontuação individual em um jogo: 81 pontos
- Fez 50 pontos ou mais em 25 jogos, atrás apenas de Wilt Chamberlain (118) e Michael Jordan (31)
- 5º jogador com mais arremessos certos na história da NBA, atrás de Kareem Abdul-Jabbar, Karl Malone, Wilt Chamberlain e Michael Jordan
- 20 temporadas pelo Los Angeles Lakers, recorde de um jogador por um time em todas as ligas americanas