Brasil é derrotado pela Venezuela e enfrentará a Argentina nas semifinais do Sul-Americano

Time local sobrou no segundo tempo e venceu o Brasil por 10 pontos de diferença; semifinais serão disputadas entre Venezuela x Uruguai e Brasil x Argentina

Brasil é derrotado pela Venezuela e enfrentará a Argentina nas semifinais do Sul-Americano
Lewis comemorando uma de suas cestas na partida. (Foto: Fiba Americas/Divulgação)
Venezuela
70 60
Brasil

Fechando a quinta noite de disputas pelo campeonato Sul-Americano de Basquete, Venezuela e Brasil se enfrentaram disputando a primeira colocação do grupo e a Venezuela, jogando em casa, foi quem venceu por 70 a 60.

Após o fim da primeira fase estão definidas as semifinais do torneio entre Venezuela e Uruguai, além do clássico Brasil e Argentina. As quatros seleções garantem vaga no torneio classificatorio ao Mundial de 2019

Brasil abriu a partida com corrida de 11 a 3 com Mineiro anotando metade dos pontos no garrafão, complementando duas roubadas de bolas na defesa, além de Léo Meindl convertendo chute do perímetro. Os roubos de bola seguiam acontecendo mas erros embaixo da cesta aconteciam em igual proporção dando a oportunidade da Venezuela encostar no marcador com boa atuação da dupla Perez-Echenique (sete pontos), finalizando o primeiro quarto em 15 a 13 Brasil.

Jefferson inaugurou o marcador no segundo período chutando livre na linha de três pontos e convertendo, dando indícios de que a partida poderia melhorar, apenas ilusão. A tentativa de melhora brasileira foi a entrada de um segundo armador em quadra, primeiro com Fúlvio e Davi e logo depois com Davi e Coelho, também não deu certo. Os donos da casa melhoraram o aproveitamento de quadra, 6/12 distribuindo bem os arremessos e assim chegando a apenas uma posse de diferença, 28 a 31.

Na sequência mais cinco pontos foram anotados, entre eles uma cesta de fora anotada por H.Cazorla no estouro do relógio que deu a liderança no placar em 33 a 31 ao intervalo. Foram incríveis 24 faltas em 20 minutos de partida ao fim do segundo período, dando número ao jogo brigado imposto pela Venezuela.

Venezuela aplica defesa forte, dispara na frente e triunfa

Uma nova faceta brasileira foi a fragilidade defensiva, dando a chance de seis dos sete primeiros chutes do adversário caírem sem dificuldades, abrindo sete pontos no placar na parcial 45 a 38 obrigando o pedido de tempo.

O desempenho venezuelano continuava bom no ataque utilizando bem o garrafão e volta meia atirando de média e longa distância para confundir a marcação, somada a grande produção na defesa deu bons números no placar, nove de liderança ao fim do período (21 a 15 apenas no terceiro quarto).

Venezuela seguiu em bom momento logo colocando 11 pontos de frente no placar nos primeiros momentos do quarto final. Brasil cortou para cinco em três ataques e Nestor Garcia precisou freiar a reação pedindo tempo. Logo em sequida Olivinha anotou seis pontos e empatou o jogo faltando seis minutos com corrida de 11 a 0 mas Belthemy descontou em tiro de fora, recolando a seleção vinotinto na frente para não mais perder a liderança.