Austrália vai bem, surpreende e bate França na estreia do basquete masculino

Com poucos erros e superioridade tática, time australiano larga na frente pelo grupo A do torneio

Austrália vai bem, surpreende e bate França na estreia do basquete masculino
Patty Mills comanda e Austrália faz partida exemplar na estréia do basquete masculino (Foto: Reprodução/FIBA)
França
66 87
Austrália

Abrindo os jogos do torneio de basquete masculino das Olimpíadas do Rio 2016, Austrália e França duelaram na Arena Carioca 1. Com um jogo muito consistente taticamente, a Austrália surpreendeu a venceu a favorita França por 87 a 66.

Os destaques do time australiano foram Patty Mills com 21 pontos e cinco assistências e Andrew Bogut, com 18 pontos e quatro rebotes. Pela França, Tony Parker marcou 18 pontos. Nicolas Batum, pouco aproveitado, fez apenas cinco.

O time australiano dominou todos os fundamentos e esteve confortável no placar durante quase toda a partida. Cuidando bem da bola, Bogut e companhia cometeram apenas sete turnovers contra 17 do time francês.

O próximo confronta da Austrália é contra a Sérvia na segunda-feira. Também na segunda, a França tenta se recuperar enfrentando a China. Os jogos são válidos pelo Grupo A da competição.

Austrália começa bem e abre vantagem mas Tony Parker brilha e equilibra partida

O time australiano, de Andrew Bogut, começou aproveitando a força do pivô próximo ao garrafão. A França, capitaneada por Tony Parker, começou tentando jogar mais longe da cesta. O time australiano aproveitou erros dos europeus e a mão calibrada de Patty Mills – com duas bolas consecutivas de três – para abrir vantagem.

A defesa australiana trabalhou com eficiência e evitou que os talentos individuais dos franceses aparecessem no primeiro quarto. Do outro lado da quadra, o time da Oceania aproveitou os contra-ataques, vencendo o primeiro quarto por 20 a 14.

Com moral após um bom primeiro quarto e jogando um basquete mais focado na coletividade a Austrália manteve o bom nível de jogo apresentado no primeiro quarto. Com direito a pontes aéreas e um bom aproveitamento da linha de três, os australianos abriram 32 a 17 e obrigaram o técnico francês a pedir tempo com pouco menos de seis minutos para o intervalo.

Tony Parker chamou a responsabilidade e a França reagiu: o armador do San Antonio Spurs colocou a bola embaixo do braço, e, após sofrer falta com direito a lance livre de bonificação, fez a vantagem da Austrália diminuir: 34 a 28 com dois minutos para o intervalo.

O rendimento do time australiano caiu dos dois lados da quadra e o placar demonstrava equilíbrio no intervalo: após mais uma bola de Tony Parker, dessa vez no buzzer bater, a Austrália vencia por 36 a 33. O armador dos Spurs marcou 16 pontos, do lado australiano o destaque foi Aron Baynes, com dez.

Australianos mostram consistência tática, erram pouco e vencem com tranquilidade

Buscando a vitória, a Austrália voltou com a intensidade demonstrada no começo do jogo e reabriu a vantagem: com a terceira bola de três de Patty Mills na partida os australianos abriram 46 a 36.

O jogo coletivo dava o tom, e com dois minutos para o fimdo terceiro quarto, o time australiano contava 20 assistências contra nove da França. Tony Parker, que fez o time francês encostar no placar antes do intervalo, desapareceu no terceiro quarto e assistiu a Austrália dominar a partida.

Os doze minutos finais chegaram com vantagem confortável para os australianos: 61 a 48. Uma ponte aérea entre Matthew Dellavedova e Andrew Bogut fez a Austrália abrir 67 a 48 e deu uma clara demonstração da superioridade tática do time da Oceania.

Faltando pouco mais de três minutos para o fim, a Austrália chegou a abrir 82 a 60. O time de Andrew Bogut e companhia, que cuidava muito melhor da bola, fez o público presente na Arena Carioca 1 vibrar com cada boa jogada e começou o torneio olímpico surpreendendo com vitória tranquila sobre a França: 87 a 66.