Eduardo Paes exalta legado e vê "deselitização" dos Jogos na Rio 2016

A um mês da abertura dos Jogos Olímpicos, prefeito do Rio de Janeiro fala sobe Rio 2016 na abertura do Museu Cidade Olímpica

Eduardo Paes exalta legado e vê "deselitização" dos Jogos na Rio 2016
(Foto: Reprodução/Twitter)

Na manhã desta terça-feira (5), o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, concedeu entrevista coletiva no Museu Cidade Olímpica, ao lado do Engenhão, e falou sobre os projetos da prefeitura. legado e da expectativa para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Falta um mês para a abertura oficial dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro. Para celebrar a data, falar sobre diversas questões e rebater críticas, o prefeito da cidade, Eduardo Paes, se uniu aos ministros Leonardo Picciani e Alexandre Moraes, e ao presidente do comitê olímpico Carlos Arthur Nuzman em coletiva na inauguração do Museu Cidade Olímpica.

 "O movimento olímpico que tinha uma elitização, quando os Jogos vêm para o Rio, sofrem uma deselitização, por causa dos problemas que o nosso país e a cidade tem. Foi uma ótima oportunidade para transformar a cidade", comentou o prefeito. "O Brasil passa por uma crise política e econômica. Mas o Brasil tirou muita gente da pobreza e tem ajudado muita gente", completou.

"O que nos fez sensibilizar o Comitê Olímpico Internacional foram as mazelas do Rio de Janeiro. Nós mostramos cenas de deslizamentos, enchentes, engarrafamentos. E foi essa a razão da gente ter ganhado para ser sede. A gente pede para que as pessoas não venham para cá esperando Chicago, Nova York ou Londres. Comparem o Rio com o Rio" - Eduardo Paes.

O prefeito também exaltou que será uma experiência única para o Rio de Janeiro: "Você tem as viúvas de plantão, os urubus, as aves de rapina que querem sempre jogar para baixo. Mas faço um apelo para a população: vamos viver um momento muito especial. Estamos enfrentando desafios, momentos difíceis no campo político, pessoas com direito a protestar. Mas vamos viver um momento muito especial"

Sem falar muito sobre o assunto, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, tentou tranquilizar com a ameaça de terrorismo no país. "Todos os órgãos internacionais de segurança afirmam que não temos a probabilidade de um ataque terrorista, mas há a sempre a possibilidade. Então, nos trabalhamos como se houvesse a probabilidade", disse.

O ministro dos Esportes, Leonardo Picciani, também falou sobre os Jogos: "Neste momento, em que falta um mês para o Rio receber um dos eventos mais importantes da humanidade, a cidade cumpriu a sua tarefa. O Governo Federal tem sido parceiro na realização e espera aprofundar ainda mais essa parceria cumprindo com suas obrigações".

Para finalizar, Eduardo Paes disse: "Nós vamos viver um momento muito especial, de muita transformação, não só pra o Rio, mas também para toda a população. Ninguém faz uma festa como nós, cariocas"