Apesar de 84% dos ingressos estarem vendidos, diretor da Rio 2016 tenta explicar Arenas vazias

Números oficiais indicam que 84% dos ingressos para os Jogos foram vendidos, mas lugares vazios são frequêntes

Apesar de 84% dos ingressos estarem vendidos, diretor da Rio 2016 tenta explicar Arenas vazias
((Foto: Thierry Gozzer/Globo Esporte)

Na manhã desta segunda-feira (8), o diretor de ingressos da Rio 2016, Donovan Ferreti, tentou explicar porque as Arenas estão com tantos espaços vazios durante os Jogos Olímpicos. Mesmo com 84% dos ingressos para a Olimpíada vendidos, o público não está lotando os jogos e Ferreti acredita que a torcida fica apenas para uma disputa mesmo quando tem direito a assistir mais.

Apesar do alto número de pessoas interessadas e de ingressos vendidos oficialmente, nem todos os jogos na Olimpíada têm tido a lotação esperada pela organização. Donovan Ferreti, diretor de ingressos, tentou explicar porque isso vem acontecendo: "Nesse ponto, tempos muito "double headers" (dois eventos no mesmo local para o mesmo ingresso). Alguns chegam para uma sessão, e saem antes da segunda. A maior parte é relacionada a isso. Há uma dupla competição, dois jogos dentro de um mesmo ingresso. Então a pessoa fica apenas para uma sessão. A partir do momento que a gente passa essas fases preliminares e começa a avançar para eliminatórias, onde tem apenas um jogo, vamos perceber que esse número de lugares vazios passa a diminuir - disse o diretor, que anunciou ainda a venda de 95 mil entradas somente no domingo, com uma receita de R$ 11 milhões".

O diretor citou o exemplo do futebol feminino, que vem tendo bons resultados e está ganhando o público nos últimos dias: "Nesse ponto ter espaços vazios é normal. A gente também tem o ponto de venda, que vem aumentando próximo aos jogos. Para se ter uma ideia, ontem o evento mais vendido foi a final do futebol feminino, que nem é tão popular no Brasil, mas pelo grande desempenho vem tendo mais vendas".

Questionado sobre os lugares vazios até em partidas mais populares, como no futebol e vôlei de praia, Ferreti também rebateu: "Os ingressos estão todos vendidos para várias competições, as que não estão ficam disponíveis no nosso site. Alguém pode não ter ido, ou saído mais cedo. A gente não pode dizer que todas as arenas estão vazias. Temos essa questão da dupla sessão. O comitê já atingiu sua meta de receita. As pessoas irem a um lugar que tem duas sessões de futebol, ou como citou de vôlei de praia, permanecer para as duas sessões é uma decisão do espectador. A gente espera que ele atenda e tenha um grande prazer em ver os jogos, mas é uma decisão dele de chegar mais cedo ou mais tarde, e ficar ou não até o final".

A organização da Rio 2016 já havia decidido doar mais de 240 mil ingressos de esportes menos conhecidos para jovens estudantes. Isso também serve para evitar  que mais arquibancadas fiquem vazias em mais modalidades, como Ferreti afirmou ser preocupação da Rio 2016: "Claro que o comitê está preocupado em ter essa atmosfera olímpica e que as arenas estejam cheias".