Goalball: seleção feminina do Brasil goleia Israel e avança às quartas

Brasil vence Israel e garante vaga nas quartas de final

Goalball: seleção feminina do Brasil goleia Israel e avança às quartas
(Foto: Ricardo Moraes / Reuters)

As meninas do goalball brasileiro asseguraram a vaga para as quartas de final na manhã desta segunda-feira (12), na Arena do Futuro. Após derrota para o Japão, a seleção brasileira feminina se recuperou e bateu a equipe de Israel por 7 a 2, garantindo assim, uma vaga para a fase mata-mata da competição. A vitória foi construída com quatro gols de Victoria Amorim e três gols de Ana Carolina. A partida foi a terceira da seleção. Na estreia, as meninas do Brasil venceram a equipe dos EUA por 7 a 3, e depois, foram derrotadas pelo Japão por 2 a1. 

O Brasil começou o confronto perdendo pênalti com a goleadora Victoria Amorim logo aos dois minutos de jogo. O jogo se encaminhou sem sucesso para as duas equipes, trocavam arremessos, no entanto, sem sucesso. Victoria concentrava os arremessos do Brasil, usando a técnica de lançar a bola de costas, por baixo das pernas, usando o impulso do movimento, e, no oitavo minuto a tática surtiu efeito, abrindo assim, o placar para o Brasil. Faltando dois minutos para o fim do primeiro tempo, a jogadora acertou outro arremesso, aumentando a vantagem brasileira. 

A segunda etapa começou de maneira diferente. Aos dois minutos, mais uma vez com Victoria Amorim, o Brasil abriu 3 a 0 contra a equipe israelense. Logo depois, foi a vez de Ana Carolina brilhar. A jogadora arremessou bem e abriu quatro gols de vantagem para o Brasil. O Israel, por sua vez, errava muitos arremessos e cometia várias infrações, concedendo assim, mais uma penalidade para a equipe brasileira. Desta vez, Victoria não disperdiçou e fez 5 a 0 para o Brasil. Aos quatro minutos, Ana Carolina fez 6 a 0. A equipe israelense chegou ao seu primeiro gol com Elham Mahamid, mas, logo em seguida, o Brasil fez o sétimo novamente com Ana Carolina. No último minuto de partida, Israel fez mais um gol, no entanto, não conseguiu evitar a derrota por 7 a 2 para a seleção brasileira. 

"As meninas jogaram bem contra o Japão. Não é que o time se recuperou agora. O goalball feminino é muito equilibrado. Contra Israel, elas erraram mais que o nosso time, então conseguimos a vitória. Fizemos um mundial maravilhoso em 2014, ganhamos o Parapan em 2015. Na Suécia, perdemos a final para a Rússia, que foi campeã em Londres e não está aqui. Sabíamos que íamos fazer grandes jogos aqui, agora, se vamos ganhar ou não é outra coisa", disse o técnico Dailton Freitas.

Para encerrar a primeira fase, o Brasil ainda enfrenta a Argélia, na terça-feira, às 11h30 (horário de Brasília), quando definirá sua posição dentro da chave e o rival seguinte para as quartas de final.

Um pouco sobre o goalball

O goalball foi criado em 1946 pelo austríaco Hans Lorenzen e pelo alemão Sepp Reindl. A ideia era ajudar na reabilitação de combatentes da Segunda Guerra Mundial que perderam a visão. Com estreia nos jogos de 1975, em Toronto, no Canadá, o goalball é uma modalidade exclusivamente paralímpica. A disputa acontece com duas equipes com três times cada. As linhas da quadra são táteis, para que os jogadores se localizem. Em cada extremidade há um gol gigante, de 9m. Os atletas lançam a bola, que contém um guizo, e tentam marcar o maior número de gols possível.