CRÍTICA: The Flash 03x04 - The New Rogues

Análise do quarto episódio de The Flash

CRÍTICA: The Flash 03x04 - The New Rogues
(foto:divulgação)

The Flash já havia apresentado uma boa parte dos personagens que compõem a Galeria de Vilões, contudo um dos principais vilões do time ainda não tinha sido introduzido: Mestre dos Espelhos. Ele chegou em um bom momento, já que o Capitão Frio e Onda Térmica (que acabaram se juntando a equipe de Legends of Tomorrow) haviam deixado de serem antagonistas, fazendo com que o grupo basicamente deixasse de existir.

O próprio nome desse episódio já indica que o Mestre dos Espelhos pode ser o responsável por formar um novo time de Rogues nessa season 3. E ele já chegou acompanhado da Pião, versão feminina de um outro vilão das HQ’s.

A origem das habilidades meta-humanas do casal foi satisfatória, assim como a dinâmica entre Barry e Jesse formando uma dupla de velocistas. A interação entre eles mostrou-se animadora e divertida de assistir. Ainda que isso não tenha passado de um episódio, espero que Wally obtenha sua velocidade para que futuramente ele e o Flash trabalhem juntos.

Harrison Wells e Cisco Ramon são outros personagens que também funcionam muito bem juntos. Um momento em particular foi muito engraçado, quando ambos disputam para determinarem os nomes dos novos antagonistas. Além disso, podemos ter um breve vislumbre de Tom Cavanagh demonstrando sua versatilidade como ator ao mostrarem diversos Harrison Wells’s espalhados pelo multiverso. Nesse episódio já temos uma noção de que existem no mínimo 19 terras que possuem sua própria realidade, abrindo assim uma gama enorme de possíveis interações, visitas, e viagens durante a série. E já é garantido que o novo Harrison Wells da Terra 19 possui um grande potencial para as cenas cômicas da série.

O quarto episódio mostrou-se consideravelmente superior ao terceiro. Apesar de ter dito na review anterior que não sou o maior fã de casos da semana, às vezes pode ser refrescante fazerem episódios mais leves e soltos sem estarem completamente comprometidos com a trama principal da season. Desta maneira, esse capítulo trouxe uma atmosfera semelhante aos episódios do primeiro ano. Até mesmo a causa dos poderes dos vilões foi atribuída à explosão do acelerador de partículas ocorrida no piloto, havendo um breve intervalo na trama do Doutor Alquimia.

Após duas temporadas sofrendo pelos seus interesses amorosos, Caitlin Snow finalmente está tendo o devido destaque. A personagem tem evoluído desde que começaram a explorar melhor a descoberta de suas habilidades. Sinceramente, o mistério envolto da personagem tem se mostrado mais interessante que a trama central até o momento.

A cena final foi congelante, com o perdão do trocadilho. A série tem dado indícios de que em breve haverá o esperado surgimento da Nevasca. Ela já está começando a se transformar na vilã. Devido a isso que a série conseguiu me deixar empolgado novamente, Caitlin poderia muito bem se tornar a principal ameaça de uma possível quarta temporada.

  Vale destacar que os efeitos visuais oscilam de qualidade numa mesma seqüência, como durante as corridas de Barry e Jesse que, apesar de sempre serem divertidas de assistir, além dos momentos em câmera lenta, é notável em muitos takes a artificialidade dos velocistas, praticamente bonecos em CG (computação gráfica). Espero que invistam mais orçamento na série para que esses deslizes ocorram com menos freqüência. 

Lista de referências:

- Esse episódio já é o número 50 de The Flash.

- Sam Scudder foi o primeiro a assumir a alcunha de Mestre dos Espelhos e membro da Galeria dos Vilões (Rogues no original) nas HQ’s.

- Harry citou que na Terra 2 o Mestre dos Espelhos chama-se Evan McCulloh. Nas HQ’s, depois de Sam ter morrido, Evan tornou-se o segundo Mestre dos Espelhos. Evan utiliza uma arma de espelho que o faz ser capaz de viajar entre dimensões paralelas através de qualquer tipo de superfície reflexiva.

- Os produtores adaptaram o vilão Pião para uma versão feminina em The Flash. Nas HQ’s o personagem chama-se Roscoe Dillon. Além das habilidades vistas nesse episódio, o antagonista também é capaz de gerar a velocidades incríveis.

- A dica que Barry dá a Jesse neste episódio é a mesma que Oliver Queen, o Arqueiro Verde, dá a ele na primeira parte do crossover da season 1 intitulado “Flash vs. Arrow”.

- Barry se referiu a Legends of Tomorrow ao dizer pra Joe que Snart saiu com alguns amigos durante uma viagem, indicando que ele tomou conhecimento sobre eles pelo Oliver.

- Mais uma referência nerd através de Cisco Ramon: “Já viu ‘Twin Peaks’? Claro que não. Por que pergunto? Eles usaram este truque com o Homem de Outro Lugar onde gravaram o áudio ao contrário dele e o reproduziam inverso”.