CRÍTICA: The Flash 04x06 - When Harry Met Harry…

Análise do sexto episódio de The Flash.

CRÍTICA: The Flash 04x06 - When Harry Met Harry…
(foto:divulgação)

Desta vez, contamos com o sexto capítulo dessa que vêm prometendo ser uma season diversificada. Para que isso ocorra, alguns elementos precisam ser executados de uma maneira diferente do que ocorreu, por exemplo, na temporada passada. Não somente a pegada aventureira e divertida foi retomada, como a história do principal antagonista desse quarto ano está sendo diferente. E a confirmação disso encontra-se nesse capítulo onde presenciamos o time Flash já tomando conhecimento a respeito da identidade do indivíduo que, ao que tudo indica, será uma grande ameaça para o grupo. Ao menos por enquanto como Clifford DeVoe e não como o Pensador. 

Apesar de cômico, um dos problemas é que a parte mais instigante do capítulo que foi justamente essa foi explorada apenas em seus minutos finais. Somente 3 míseros minutos dentro de um capítulo de 43 trabalharam essa parte. Assim sendo, ainda que também tenha sido divertido, os outros 40 minutos acabaram sendo meio decepcionantes.

Não estou enfatizando esse empecilho pela escolha do roteiro em desenvolver um super-herói novo dentro do seriado, mas pelo espaço que isso ocupa. Ainda mais porque Ralph Dibny é um personagem que tem funcionado como alívio cômico, então faz sentido quererem transformá-lo em um novo integrante do time Flash. Contudo, não deixa de ser um desperdício, pois poderiam ter aproveitado essa lacuna com o próprio Kid Flash. Ainda mais levando-se em consideração que ele possui muita relevância no universo do personagem nas HQ’s, ainda mais se formos comparar sua importância com o novo membro da equipe. Os produtores haviam dito que contar com dois velocistas em um seriado era excessivo, mas isso faz parte da natureza das histórias do protagonista nos quadrinhos. Contudo, devo admitir que Hartley Sawyer tem feito um bom trabalho em seu papel e o seu personagem está alinhado com essa pegada mais cartunesca que a série tem adotado nessa quarta temporada, além de seu carisma ser um fator positivo. Entretanto, espero que saibam equilibrar melhor suas participações nos capítulos seguintes com a trama principal dessa season.

Tom Cavanagh contou com mais uma oportunidade dentro do seriado de demonstrar que é um ator versátil. Fomos apresentados a outras três contrapartes de Harrison Wells de terras paralelas, mas que, ainda que o título do capítulo sugira foco nisso, possuíram somente o objetivo de auxiliarem o time Flash a descobrirem o DeVoe correto, mas não antes de passarem a maior parte do capítulo em seqüências descontraídas (como já tinha dito anteriormente, a comédia se fará fortemente presente nessa season).  Além disto, também contamos com a revelação da quinta meta-humana do time de 12 gerados por DeVoe. Mina Chaytan possui a habilidade de conceder vida à objetos inanimados de estética animal ou humana, e seus momentos foram bem executados dentro da premissa do capítulo.

Restou então para o capítulo seguinte todo o desfecho do surgimento de Clifford DeVoe e sua companheira. Fica a dúvida se o Pensador veio de uma linha temporal futura ou se a versão humanizada dos dois vilões exibidos nesse capítulo são visões colocadas na cabeça de Barry e seus amigos definidas pelo antagonista. Só sabemos que no próximo episódio os acontecimentos enfim irão começar a indicar o rumo que a season finalmente estava necessitando.

Curiosidades:

- Nas HQ’s, Bisão Negro é um antagonista nativo americano de Firestorm (Nuclear por aqui). Quando seu tataravô “Bison-Black-as-Midnight-Sky” é assassinado, ela é dominada pelos espíritos agressivos do velho homem.

- O nome do capítulo referencia o longa de 1989 “When Harry Met Sally...” (Harry e Sally – Feitos Um para o Outro, no Brasil).

- Presenciamos um Harry Wells de uma terra alternativa caracterizado de Galdalf de O Senhor dos Anéis falando “Eu sou Wells, o Cinzento”.

- Cisco também fala para Harry: “You’re a wizard, Harry”, Frase de Hagrid para Harry Potter em Harry Potter e a Pedra Filosofal.

- Ralph Dibny faz uma comparação dos discursos motivadores de Barry com os de William Wallace em Coração Valente (1995). Já na seqüência em que lida com o Tiranossauro Rex, ele fala “pelo amor de Jeff Goldblum, um ator da franquia Jurassick Park. Esse momento em si também está referenciando o longa Uma Noite no Museu (2006). 

- Ralph é mostrado lendo a edição número 20 de “The Young All-Stars Vol. 1”.

- Cisco chama o grupo de vários Wells de “Conselho de Wells”, referenciando o “Conselho de Ricks” da animação Rick e Morty, que possui o mesmo objetivo para o protagonista do desenho.

- O bandido que aborda Barry e Ralph é o mesmo que apareceu no primeiro ano do seriado numa tentativa de roubar Barry.