As maiores decepções no cinema em 2017

Não foi dessa vez, que pena!

As maiores decepções no cinema em 2017
As maiores decepções no cinema em 2017 (foto: Alien:Covenant/20th Century Fox)

Decepção significa um sentimento de tristeza, frustração, descontentamento, desapontamento ou até desilusão. Sabemos que nesse ano houve grandes estreias, com expectativas altíssimas. Alguns conseguiram cumprir, mas tiveram outros que deixaram um gosto amargo em nós. Então vamos a lista das 8 maiores decepções no cinema em 2017. Não são os piores filmes do ano, mas sim aqueles que prometiam muito e não entregou tanto.

A lista está posta em ordem de lançamento do filme e focado naqueles que foram lançados em 2017 aqui no Brasil. E possa ser que tenha algum spoiler. Ok? Então, come together.

Ghost in the Shell: A Vigilante do Amanhã

Orçamento: 110 milhões de US$.

Bilheteria: 169,8 milhões de US$.

Vi o anime de 1995 por causa desse filme. Essa obra tem toda uma discussão existencialista cabeça, que vale a pena conferir. No filme, temos uma estória de ação, um visual lindo, Scarlett Johansson muito bem como Major, porém com discussões rasas, não parecendo com a obra de 1995. Pode até argumentar que é uma estória diferente que tem nada haver com o anime, mas por quê tem cenas iguais se é uma obra diferente da original? Deixou um gostinho que poderia ter sido melhor.

Alien: Covenant

Orçamento: 97 milhões de US$.

Bilheteria: 240,7 milhões de US$.

Nada contra quem gostou, mas o filme é previsível e chato. Logo no começo dá para saber qual o caminho que vai ser seguido. Os cientistas são burros demais e isso me incomodou bastante no cinema. A cena que mostrou um casal no chuveiro e nem parecia que os seus colegas de nave tinham acabado de morrer. Não dá! Vi Alien: o oitavo passageiro e fiquei bem mais empolgado.

Rei Arthur

Orçamento: 175 milhões de US$.

Bilheteria: 148,7 milhões de US$.

Uma estória na idade média, que já foi mostrada com visões diferentes, só contada de uma forma estranha. Gosto o que Guy Ritchie fez em Sherlock Holmes com o Robert Downey Jr. Mas aqui é complicado. Tem coisas muito boas, como a passagem de tempo no início e a jeito que ele utiliza a espada. Entretanto, o protagonista não possui carisma, o vilão interpretado por Jude Law é simples. Também fiquei com uma sensação de estranheza pelo estilo do diretor.

A Múmia

Orçamento: 150 milhões de US$

Bilheteria: 409,1 milhões de US$.

Apesar de ter ido bem na bilheteria, a qualidade deixa a desejar. Com a proposta de ser o início do universo de monstros da Universal Pictures, parecia ter uma pegada mais sombria, só que não. Tem muita piada sem graça, Tom Cruise é difícil de digerir, o Russell Crowe, que fez papéis ótimos em Gladiador e Uma mente brilhante, tem um papel nada haver aqui. A melhor coisa é a múmia da Sofia Boutella. Fiquei chateado quando sai do cinema.

O Círculo

Orçamento: 18 milhões de US$.

Bilheteria: 40,6 milhões de US$.

Quando vi o trailer do filme, me empolguei. Com Emma Watson, Tom Hanks, Karen Guilian, John Bonyega e mais, parecendo muito Black Mirror.  Porém é muito raso. A personagem da Emma é muito ruim. E o Hanks fazendo um vilão meia boca. As decisões tomadas são sem sentido. Tinha um potencial enorme, totalmente desperdiçado.

A Torre Negra

Orçamento: 60 milhões de US$.

Bilheteria: 111,8 milhões de US$.

Esse ano teve o sucesso do It: A Coisa, adaptação do livro de Stephen King. Também tivemos Jogo Perigoso da Netflix, que também é bom e tem uma mensagem relevante. Só que em A Torre Negra, deixa a desejar. Eu que não li a obra, fiquei com a impressão que o universo nos livros é muito maior que aquilo mostrado no longa.

Death Note

Um anime queridíssimo para os fãs, que saiu pela Netflix. Não agradou os que gostam da obra, porque mudou a essência dos personagens e não tem sequer um debate de inteligência entre o Kira e o L. Lembra muito filme trash de terror, que de tão ruim, chega a ser engraçado. Ria tanto com Death Note. Não funciona como terror, nem como filme de investigação. Uma das maiores decepções do ano.

Liga da Justiça

Orçamento: 300 milhões de US$.

Bilheteria: 646,7 milhões de US$ (o filme ainda está em cartaz).

2017 chegou ao cinema o filme do maior grupo de super-heróis dos quadrinhos. Tinha tudo para ser épico, um dos melhores já feitos. O filme é bom, mas Liga da Justiça não podia ser apenas "bom", tinha que ser grandioso. O que mais me entristece é que tiveram problemas pessoais do Zack Snyder, mudança de tom do filme, contratação de outro diretor, problemas na própria Warner. Apesar de tantas questões internas, queria muito que tivesse ido bem. O que foi mostrado não é de acordo com o que esses personagens merecem, desagradando muitos fãs. 

Concorda? Discorda? Faça suas lista também! Então, até 2018 e esperamos com menos decepções.