Crítica: Arquivo X 11x01 - My Struggle III

Arquivo X volta em sua 11º temporada, com o mesmo fôlego dos anos 90 e com o mesmo propósito: A verdade ainda está lá fora

Crítica: Arquivo X 11x01 - My Struggle III
(Foto: Divulgação)

A Fox exibiu na noite desta quarta-feira, 10, o primeiro episódio da 11º temporada de Arquivo X. A série foi lançada em 1993, durou nove temporadas até 2002. Voltou em 2016 com seis episódios brindando os fãs que ficaram sem respostas sobre questões da mitologia que foi o alicerce da série, e que poderia ter sido melhor explorada.

Com 10 novos episódios, desses apenas dois, irão tratar sobre alienígenas e conspirações. Intitulado My Struggle III (Minha luta 3), mais perguntas e algumas respostas são reveladas. A abertura mantém o padrão das demais temporadas. Uma boa viagem até os anos 90.

Tudo começa com as revelações do Canceroso ou KCGB Spender, interpretado por William B. Davis. O vilão da série finalmente tem um nome: Carl Gerhard Busch. Carl sempre esteve presente nos principais acontecimentos do mundo. Ajudou a encenar as conquistas do programa Apolo, que sempre foi considerado uma invenção do governo americano. Ainda no prólogo, deixa claro que guerras e conflitos tiveram sua anuência, e que o poder é dele, somente dele.

No outro lado da balança estão Fox Mulder (David Duchovny) e Dana Scully (Gillian Anderson) que buscam a eterna verdade das coisas. Gillian que revelou que não vai participar de uma 12º temporada, começa a prever acontecimentos com a morte de Mulder, acidentes e o fim da civilização. Essa conexão não vem por acaso. E um ponte com o desaparecido William, filho de Dana e Mulder. Neste ponto uma nova revelação vai deixar os fãs empolvorosos.  

Busch quer exterminar a terra, deixando apena pessoas imunes ao vírus que planeja espalhar. Por outro lado um grupo que evitar o tal catástrofe. No meio disso estão Scully e seu filho, que estariam seguros no momento que a pandemia iniciasse. Qual dos dois lados quer realmente salvar o mundo?

A produção do episódio inseriu na história uma mensagem subliminar, uma espécie de agradecimento. No final do episódio, quando o rosto do William aparece, ruídos são ouvidos. Um fã publicou no Reddit o áudio ao contrário. No vídeo dá para ouvir: "Se este é o fim, tem sido uma aventura selvagem e selvagem com algumas das melhores pessoas que conheço e os maiores fãs que poderíamos ter esperado. Aqui está para você. A verdade está lá fora, 2018. "

Esqueça os homenzinhos verdes e naves espaciais. O perigo está bem enraizado na terra, Chris Carter o produtor da série tenta passar a ideia de que o egocentrismo do homem, (deixa bem claro ao por fotos de Donald Trump e do líder coreano Kim Jong-Un) sua ganância pelo poder, não tem limites. Até os extraterrestres foram enganados pelo homem dos cigarros e seu sindicato. As conspirações, intrigas nas entranhas do governo, aparecem e um novo quebra cabeça precisa ser montado. Arquivo X permanece mais do mesmo, e isso é ótimo.