Club Athletico Paranaense
Club Athletico Paranaense
Team
Soccer

Club Athletico Paranaense

1924 Curitiba, Paraná


O Club Athletico Paranaense é uma equipe da cidade de Curitiba, no estado do Paraná, Brasil. Criado em 26 de março de 1924, a equipe é uma das maiores de seu estado. Foi fundado a partir da junção do International Foot-Ball Club (clube criado por Joaquim Américo, detentor do nome do Estádio da equipe) e do América Futebol Clube.

Atende pelo apelido de Furacão, além de rubro-negro pelas cores preto e vermelho.

A primeira partida foi em 6 de abril de 1924, em uma vitória de 4 a 2 contra o Universal FC. A escalação do Athletico era: Tapyr, Marrecão e Ferrário; Franico, Lourival e Malello; Smythe, Ari, Marreco, Maneco e Motta.

1920

Na década de 1920, veio o primeiro título do campeonato estadual, em 1925. Voltou a ser campeão em 1929, após ser vice em 1926, 1927 e 1928.

1930

A equipe manteve grande parte dos jogadores de 1929 para a década de 30, com Chumbinho e Érico sendo as duas grandes contratações. O primeiro bicampeonato veio logo em 1930, quando a equipe bateu o rival Coritiba por duas vezes antes de levantar a taça. 

Ainda em 1930 a equipe conquistou um feito memorável: uma vitória sobre o poderoso Corinthians por 1 a 0 com gol de Marreco.

Em 34 o clube conseguiu comprar o terreno da Baixada no bairro Água Verde, e o nome do estádio passou a ser chamado Joaquim Américo. Nesse ano o Furacão conquistou seu quarto título paranaense após 3 anos sem sucesso. O grande nome da conquista foi Alfredo Gottardi, o "Caju", que viria a ser um dos maiores ídolos de todos os tempos da torcida atleticana.

Em 1936, com apenas 12 anos de existência, o Athletico conquistava seu segundo bicampeonato e seu quinto título do Paranaense.

1940

No primeiro ano da década, em 1940, a equipe se sagrou campeã novamente do Paranaense, mas com uma grande polêmica. Na final, o então Britânia Sport Club não se conformou com um gol anulado na final do torneio e abandonou o campo com o jogo empatado aos 35 do segundo tempo. O Tribunal de Justiça da Federação Paranaense de Futebol, julgando o caso, deu vitória ao Athlético 3 a 2, já que o Britânia se negou a continuar jogando.

Em 1943 o Athletico venceu seu maior rival, Coritiba, na final. Após cada clube vencer um turno do campeonato, as equipes precisavam decidir o torneio em um único jogo. O Athletico aproveitou a chance e venceu por 3 a 2.

O ano de 1945 marcou uma das maiores vitórias na história da equipe. A final voltara a ser Athletico x Coritiba. No primeiro jogo da final, o Coxa, em casa, venceu por 2 a 1. O segundo jogo, na Baixada, viu uma chuva de gols e uma vitória do Athletico por 5 a 4. O terceiro e decisivo jogo foi também no Estádio Coxa-branca. A partida terminou em 1 a 1 e, na prorrogação, Xavier marcou o gol do título para o Athletico.

Em 1949 surgiu o apelido ''Furacão". Após uma goleada para cima do Britânia, o jornal Desportos Ilustrados tinha em sua manchete "O “Furacão” Levou o “Tigre” de Roldão". Depois disso, o apelido foi inserido no hino oficial da equipe.

Jejum de títulos marcou a era 1950-1980

Entre os anos de 1950 e 1980, a equipe rubro-negra conquistou apenas duas vezes o Campeonato Estadual. Mesmo assim, a equipe fez história em 1959, quando se classificou para a primeira Taça Brasil. A estreia foi com vitória sobre o Hercílio Luz.

Porém, em 1967, a equipe fez uma péssima campanha no Campeonato Paranaense e acabou rebaixada para a segunda divisão do estadual. O então presidente, Jofre Cabral e Silva, trouxe Djalma Santos e Bellini, dois campeões mundiais com a Seleção Brasileira em 1962, para voltar à elite do futebol paranaense.

Não demorou muito para um novo título ser conquistado. Em 1970 a goleada por 4x1 sobre o Seleto sagrou a equipe campeã novamente do paranaense.  O título só voltou a ser conquistado pelo clube em 1982, com Washington e Assis, o ''Casal 20'', liderando a equipe. Os dois levaram o clube à terceira colocação do Campeonato Brasileiro em 1983.

A Era da mudança 1995 - 2000

Um novo projeto foi lançado após a derrota por 5 a 1 contra o Coritiba. O projeto "Atlético Total" começou bem, conquistando o título da Série B de 1995 e levando o clube de volta à Série A em 1996.

O Estádio Joaquim Américo foi derrubado para construção de um novo estádio. A Arena da Baixada foi reinaugurada em 1999 em um jogo amistoso contra o Cerro Porteño, com vitória rubro-negra por 2 a 1. Dois dias após a inauguração, a Seleção Brasileira utilizou o estádio para um amistoso contra a Letônia. O estádio viria a ser chamado, em 2004, Kyocera Arena, após um acordo com a fabricante japonesa de celulares.

 

O primeiro título nacional e o vice da Libertadores 2001 - 2010

Em 23 de dezembro de 2001, o Athletico se conquistou seu primeiro Campeonato Brasileiro. A final foi contra o São Caetano e, com vitórias por 4 a 2 e 1 a 0, a equipe levou para o Paraná o segundo título nacional do Estado. Em 2004, a equipe foi vice campeã do Brasileirão, ficando apenas três pontos atrás do campeão, Santos.

A primeira final de um título internacional de um time paranaense veio em 2005, quando o Athletico enfrentou o São Paulo. O primeiro jogo da decisão foi marcado por uma polêmica, já que o mesmo não pôde ser disputado na Arena da Baixada por não possuir a capacidade mínima de 40 mil torcedores. A diretoria investiu, então, na compra de arquibancadas móveis para alcançar o mínimo da capacidade exigida, mas a CONMEBOL preferiu transferir o primeiro jogo da final para o Beira Rio. A partida terminou em empate. No jogo da volta, no Morumbi, a equipe paranaense lutou, mas não foi capaz de segurar o ataque tricolor, que marcou quatro gols no fim do jogo e se sagrou campeão.

Em 2006, a equipe chegou à semifinal da Sul-Americana, mas foi eliminada pelo Pachuca.

Reforma no Estádio, mudança de nome e títulos importantes - Década de 2010

A década de 2010 começou ruim para o Furacão. O clube foi rebaixado em 2011, após terminar o Brasileirão em 17º colocado. A volta veio no ano seguinte, quando a equipe conquistou a terceira colocação da Série B.

Em 2012, a equipe se despediu do Estádio, que entrou em reformas para a Copa do Mundo de 2014. A nova Arena a Baixada sediou quatro jogos da Copa.

Em 2013, a equipe foi vice da Copa do Brasil e terceiro colocado no Brasileirão. Até o ano de 2017, o Furacão conquistou apenas um campeonato estadual, e teve como maior colocação na Série A um 6º lugar em 2016.

Mas se a década começou mal, o final dela foi histórico. Em 2018 o clube bateu o Junior Barranquilla, da Colômbia, na final da Copa Sul-Americana, se sagrando campeão e levando pela primeira vez um título internacional ao estado do Paraná.

 

Em 11 de dezembro de 2018, o clube teve uma reformulação histórica. O até então Club Atlético Paranaense passou a se chamar Club Athletico Paranaense. O escudo foi reformulado, fazendo alusão ao apelido do clube: um Furacão. Os uniformes também mudaram. A única coisa que permaneceu foram as cores: preto e vermelho.

Ao contrário do que muitos achavam, a reformulação no clube trouxe ainda mais títulos.  Em 2019, a equipe conquistou o Paranaense, a Levain Cup/CONMEBOL e a Copa do Brasil. Além disso, o Furacão terminou o Brasileirão na quinta colocação.

 

Títulos

Torneio Início (6): 1936, 1947, 1955, 1958, 1987 e 1988.

Copa Paraná (2): 1998 e 2003.

Campeonato Paranaense (25): 1925, 1929, 1930, 1934, 1936,1940, 1943, 1945, 1949, 1958, 1970, 1982, 1983, 1985, 1988, 1990, 1998, 2000, 2001, 2002,
2005, 2009, 2016, 2018 e 2019.

Torneio Seletivo da Libertadores: 1999

Campeonato Brasileiro - Série B: 1995

Copa do Brasil: 2019.

Campeonato Brasileiro: 2001.

Copa Sul-Americana: 2018.

Levain Cup/CONMEBOL: 2019.