Botafogo de Futebol e Regatas
Botafogo de Futebol e Regatas
Team
Soccer

Botafogo de Futebol e Regatas

1942 Rio de Janeiro, RJ


Os dois “Botafogos”

O Botafogo de Futebol e Regatas foi fundado e registrado em 1942. Mas antes disso, o tradicional clube da zona sul carioca já existia, ou melhor, os clubes. No início do século XX, existiam duas instituições com o nome de Botafogo, o Botafogo Football Club e o Club de Regatas Botafogo. 

O Botafogo Football Club, criado por Emmanuel Sodré e Flávio Ramos, teve sua origem no Humaitá, em um casarão que ficava no Largo dos Leões, no ano de 1904. No início, o clube era conhecido como Electro Club, mas em uma reunião entre os fundadores, na casa de Flávio Ramos, Dona Chiquitota, avó do dono da casa, perguntou aos que estavam presentes qual era o nome do clube. Ao descobrir que o clube se chamava Electro Club, a senhora ficou completamente desapontada e sugeriu a ideia de chamar o time de Botafogo Football Club, devido ao fato de que os fundadores moravam no bairro de Botafogo.

Os dois clubes eram adversários, mas por unir tantas características em comum, como o nome, as cores e a proximidade das sedes, sempre houve a ideia de unir as duas instituições, o que veio a acontecer devido a um trágico acidente.

Os três escudos
Os três escudos

O nascimento do Botafogo de Futebol e Regatas

Em Junho de 1942, acontecia uma partida de basquete entre as duas equipes. No intervalo da partida, Armando Albano, jogador do Botafogo Football Club, foi abaixar para pegar uma bola no chão, desmaiou, e veio a falecer. Devido a esse ocorrido, a partida nunca foi finalizada, O Club de Regatas Botafogo reconheceu a vitória ao adversário e, seis meses depois, em dezembro, ocorreu a fusão das duas instituições, criando o Botafogo de Futebol e Regatas.

O início do século XX e as primeiras conquistas

No início do século XX, o Botafogo já era considerado uma grande equipe, sempre disputando torneios e entrando para brigar por títulos. Em 1906, o Alvinegro conquistou seu primeiro título, a Taça Caxambu, que era o torneio disputado pelas equipes de segundo quadro no estado do Rio de Janeiro. No mesmo ano, o Botafogo disputou o primeiro campeonato carioca, terminando na quarta colocação. Em 1907, o clube empatou em primeiro lugar com o Fluminense, e gerou uma discussão que levou décadas para ganhar uma solução, que acabou sendo de considerar os dois clubes campeões, fazendo então com que o primeiro título de expressão do Botafogo fosse esse, dando origem a famosa frase do hino “Campeão desde 1907”.

No estadual de 1910, o Botafogo obteve uma campanha extraordinária, aplicando sete goleadas durante a competição e marcando 66 gols ao todo no campeonato. Por causa desse episódio, o clube passou a ser chamado de “Glorioso”. Depois do título de 1910, o clube ficou alguns anos sem vencer títulos, sofrendo então, a primeira seca de títulos de sua história, de 1910 até 1930, quando voltou a vencer o estadual. Na década de 30, o Bota conquistou um feito que até hoje nenhuma outra equipe conseguiu conquistar no Rio de Janeiro, se tornando o único clube a vencer o campeonato estadual por quatro anos seguidos (1932, 1933, 1934, 1935). 

Um pouco da era de Garrincha e Nilton Santos

Na metade do século, o Botafogo teve o que é considerado por muitos, o melhor time de sua história, contando com jogadores que na época, eram os melhores do Mundo, sendo considerados até hoje pela FIFA, os melhores da história em suas posições. Esses jogadores são Garrincha e Nilton Santos, os maiores ídolos da história do Botafogo.

Na época, o Botafogo costumava fazer diversas excursões pela Europa, visto que os títulos nacionais só começaram a ser mais valorizados a partir da metade pro final dos anos 60, quando começaram-se a jogar campeonatos como a Taça Brasil e Rio-São Paulo. O clube optava por jogar no velho continente, jogando contra times fortíssimos e encantando o Mundo com seu belo futebol. Por onde o time passava, deixava sua marca conquistando títulos e passando a imagem do futebol “alegre” de Garrincha.

Nilton Santos e Mané Garrincha
Nilton Santos e Mané Garrincha

A Taça Brasil de 68

A Taça Brasil de 1968, reconhecida pela CBF como Campeonato Brasileiro é até hoje um dos principais títulos da história do Alvinegro. O time que conquistou o torneio era formado por craques internacionais, tendo como principal deles, o “Furacão da copa”, Jairzinho, fazendo dupla com Paulo Cezar Caju, que na época era a revelação da casa. A final do torneio foi disputada contra o Fortaleza. Após empatar o primeiro jogo no Nordeste em 2x2, o Botafogo venceu por 4x0 no Maracanã e se sagrou campeão brasileiro pela primeira vez na história.

A Taça Brasil
A Taça Brasil

Do inferno ao céu

Nos anos 90, o Botafogo vivenciou um dos períodos mais vitoriosos de sua história, conquistando uma Copa Conmebol, dois estaduais, um Torneio Rio-São Paulo e um Campeonato Brasileiro. Mas para falar das glórias dos anos 90, precisamos lembrar que pouco antes do início da década, o Botafogo vivia um período de seca, de mais de 20 anos sem conquistar nada, e acabou com esse jejum em 89, contra o Flamengo, no campeonato carioca, em um dos títulos que o torcedor tem mais carinho.

O Brasileirão de 95

O Botafogo começou o campeonato brasileiro apostando suas fichas em um jogador: Túlio Maravilha. Túlio havia sido artilheiro do campeonato carioca com 27 gols, vinha marcando em praticamente todos os jogos e dava ao torcedor botafoguense motivos para sonhar.  Com Paulo Autuori no comando, o Botafogo fez uma boa fase preliminar no campeonato, conseguindo uma vaga para a semifinal, na qual enfrentou o Cruzeiro, empatando no agregado, mas se classificando por ter a melhor campanha.Na final, o time enfrentou o Santos, que tinha uma equipe forte e contava com o brilho de Giovanni, ídolo do clube que fazia excelente temporada. No primeiro jogo, o Botafogo derrotou o Santos por 2x1, e no Pacaembu, com um gol polêmico de Túlio Maravilha, que entrou pra história, o Botafogo conquistou o seu segundo campeonato brasileiro.

Ao chegar no Rio de Janeiro, a torcida alvinegra fez uma histórica invasão ao aeroporto Santos Dummont, entrando na pista de aviões, subindo na aeronave e fazendo com que o dia realmente entrasse para a história. Durante a festa, em uma entrevista, Tulio foi questionado sobre seu gol polêmico e citou uma frase que entrou para a história do esporte “O vencedor comemora e o perdedor justifica”.

Ídolo Túlio com a taça do Brasileiro de 1995
Ídolo Túlio com a taça do Brasileiro de 1995

O século XXI

No século XXI, o Botafogo não tem conseguido atingir o patamar glorioso do século passado. Mesmo tendo alguns times que chegaram a brigar por títulos relevantes, como em 2007, 2013 e 2017, o clube ainda não conquistou nenhum título de expressão. Talvez o que mais tenha marcado o clube até o momento tenham sido algumas contratações importantes, como a do holandês Clarence Seedorf, a de Loco Abreu, Keisuke Honda, Jefferson e etc. Boas campanhas como a da Copa do Brasil de 2007 e a da Libertadores de 2017 fizeram com que o torcedor acreditasse que esse jejum de títulos acabaria, mas erros de arbitragem e tropeços do time fizeram com que isso não acontecesse. Pelo lado negativo da situação, o Botafogo soma dois rebaixamentos no século e em toda história (2002 e 2014). Quando caiu em 2014, voltou para a primeira divisão sendo campeão da segunda em 2015. Atualmente, o Alvinegro vive a expectativa de viver dias melhores, com um projeto de se tornar Clube Empresa.

Títulos Importantes

- Campeonato Brasileiro (1968 e 1995)
- Copa Conmebol (1993)
- Torneio Rio-São Paulo (1962, 1964, 1966 e 1998)
- Campeonato Estadual (1907, 1910, 1912, 1930, 1932, 1933, 1934, 1935, 1948, 1957, 1961, 1967, 1968, 1989, 1990, 1997, 2006, 2010, 2013 e 2018)
Principais ídolos
- Mimi Sodré, Carvalho Leite, Heleno de Freitas, Garrincha, Nilton Santos, Didi, Quarentinha, Jairzinho, Marinho Chagas, Carlos Alberto Torres, Paulo Cézar Caju, Nilson Dias, Ney Conceição, Mendonça, Manga, Wagner, Jefferson, Adalberto, Alemão, Maurício, Mauro Galvão, Paulinho Criciúma, Gottardo, Gonçalves, Sérgio Manoel, Donizete, Túlio Maravilha, Sandro e Loco Abreu.

Em breve, mais histórias sobre o Botafogo Futebol e Regatas.