Clube de Regatas do Flamengo
Clube de Regatas do Flamengo
Team
Soccer

Clube de Regatas do Flamengo

1895 Rio de Janeiro, Rio de Janeiro


O Clube de Regatas do Flamengo, mais conhecido apenas como Flamengo, é uma agremiação poliesportiva fundada na data de 17 de novembro de 1895, na cidade do Rio de Janeiro, capital do estado de mesmo nome. O primeiro esporte do clube foi o remo, mas depois o futebol foi acolhido e se tornou a modalidade de mais sucesso da instituição, colocando-a em evidência no cenário brasileiro e cativando mais de 53 milhões de torcedores e torcedoras.

Foi na década de 1980 que o futebol do Clube de Regatas do Flamengo beirou o céu. Sob tutela dos talentos excepcionais do jogador Arthur Antunes Coimbra, popularmente chamado de Zico, a equipe foi campeã da Copa Libertadores da América pela primeira vez, ganhando o direito de disputar a Copa Intercontinental — o Mundial de clubes da época. E foi em Tóquio, capital do Japão, que o time de ouro rubro-negro despachou o Liverpool Football Club pelo impiedoso placar de 3 a 0, isso após se desdobrar para derrotar o Club de Desportes Cobreloa na América do Sul para se sagrar campeão do continente. Assim, como um rolo compressor sobre seus adversários chilenos e ingleses, a agremiação do Rio de Janeiro vibrou com o rótulo de Melhor Time do Mundo no ano de 1981, feito até hoje único na história.

Além dos sete títulos do Campeonato Brasileiro de Futebol Masculino, o Flamengo novamente voltou a movimentar a América do Sul no ano de 2019, 38 anos depois da primeira vez. Sob comando da dupla de ataque Gabriel Barbosa — Gabigol — e Bruno Henrique, o time treinado pelo português Jorge Jesus derrotou o Club Atlético River Plate na final de mais uma Copa Libertadores da América, garantindo pela segunda vez a disputa do Mundial. O adversário fora novamente o Liverpool, que dessa vez vingou 1981 e venceu os brasileiros por 1 a 0, com gol conseguido apenas na prorrogação do confronto.

Outro fato de orgulho ao clube é de nunca ter sido rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol Masculino. Assim, forma com Santos Futebol Clube e São Paulo Futebol Clube o trio que nunca disputou uma partida de segunda divisão nacional.

Bendito é o dia 13 de dezembro! Esta data foi carimbada na história rubro-negra por grandes conquistas

No mesmo dia em 1981 e também em 1987, o Flamengo chegava em alguns de seus maiores êxtases no futebol

13 de dezembro. 347º dia do ano. Na história do mundo, o dia marca o Concílio de Trento, a declaração do AI-5 durante a ditadura no Brasil, a Guerra do Paraguai... Na história do Flamengo, a data se tornou símbolo de algumas das maiores conquistas da história do clube — o Mundial de 1981 e a Copa União de 1987.

No entanto, em 2017, o Rubro-Negro teve a chance de acrescentar mais um título à data, porém foi derrotado na decisão da Sul-Americana para o Independiente, da Argentina. A VAVEL Brasil decidiu relembrar duas das grandes vitórias rubro-negras, conquistadas em um 13 de dezembro e fincadas para sempre na história flamenguista.

O teto do céu preto e vermelho: Flamengo derrota Liverpool e conquista Mundial em Tóquio

Sobram jogos marcantes na memória do torcedor do Flamengo, mas o 13 de dezembro de 1981 para sempre ficará marcado como o maior deles. O Rubro-Negro conquistava o mundo ao vencer o Liverpool na cidade de Tóquio, capital do Japão.

Os cariocas vestidos com o segundo uniforme, o branco, chegaram à Terra do Sol Nascente com Raul; Leandro Marinho, Mozer, Junior; Andrade, Adílio, Zico; Tita, Nunes e Lico para a grande decisão. Anselmo viajou com a delegação, mas ficou de fora após ser expulso por seu famoso soco em Mario Soto na final da Libertadores, diante do Cobreloa. Este foi o elenco que se consagrou como o maior esquadrão do Rubro-Negro na história, e naquele dia tinha que provar ao mundo sua competência e habilidade.

Parando para pensar, até que foi fácil. Aos 13 minutos do primeiro tempo, Zico lançou Nunes, que encobriu o goleiro Grobbelaar e abriu o placar em Tóquio. Exatos 20 minutos depois, Tita cobrou falta, com Adílio aproveitando o a sobra para ampliar o placar. Já aos 41, o camisa 10 da Gávea lançou novamente Nunes, o "artilheiro das decisões", que marcou mais um e passou a régua no marcador.

O primeiro tempo sequer havia acabado, mas a equipe carioca já estava com uma mão na taça de seu primeiro (e até hoje, único) título Mundial. Na segunda etapa, os rubro-negros apenas administraram a vantagem diante dos ingleses e esperaram o apito final. Com o fim de jogo em Tóquio, o Flamengo entrava para a história ao sagrar-se campeão do mundo! Festa rubro-negra naquele 13 de dezembro de 1981 - até hoje, o dia mais importante de todos os 122 anos de existência do clube.

Campeão do mundo: em 1981, Flamengo alcançava sua maior glória no futebol (Foto: Divulgação/Flamengo)
Campeão do mundo: em 1981, Flamengo chegava ao seu maior título da história (Foto: Divulgação/Flamengo)

Em 1987, Flamengo chegava ao tetracampeonato brasileiro na Copa União

Seis anos após conquistar o rótulo de melhor time do mundo, era vez de o Flamengo conquistar o Brasil pela quarta vez. Campeão nacional em 1980, 1982 e 1983, o Rubro-Negro conquistou mais um de seus títulos brasileiros no dia 13 de dezembro — desta vez em 1987, na Copa União.

Após emocionante classificação diante do Atlético-MG na semifinal, o Mengão teria o Internacional pela frente na finalíssima. Zé Carlos; Leonardo, Edinho, Leandro e Jorginho; Andrade, Zinho, Zico e Aílton; Bebeto e Renato Gaúcho eram os 11 titulares do Rubro-Negro para o confronto.

Realizada no Beira-Rio, a ida da decisão terminou empatada por 1 a 1; assim, a disputa pelo título brasileiro ficou marcada para o Maracanã. Naquele 13 de dezembro, o dia amanheceu com forte tempestade — mas o dilúvio no Rio de Janeiro não foi suficiente para afastar os mais de 90 mil torcedores que compareceram ao estádio.

Renato Gaúcho tira urubu do gramado do Maracanã (Foto: Reprodução)
Renato Gaúcho tirando urubu do gramado do Maracanã (Foto: Reprodução)

Uma das cenas mais marcantes do confronto decisivo ocorreu logo nos minutos iniciais: Renato Gaúcho teve que retirar um urubu de campo. O animal havia sido jogado pela torcida rubro-negra, porém não conseguiu levantar voo e acabou caindo dentro das quatro linhas.

Com a retomada da partida após a retirada da ave, não demorou para que Andrade encontrasse Bebeto livre na área ofensiva. O atacante chegou na bola antes de Taffarel e estufou as redes do Maracanã, incendiando a torcida presente no estádio. 1 a 0 para o Flamengo ainda na primeira etapa e uma mão já garantida na taça.

Já no segundo tempo, o Flamengo seguiu soberano diante do Internacional, mas pecou nas finalizações e não ampliou a distância no placar. O Colorado, por sua vez, tentou parar os cariocas com um exagerado número de faltas. Não deu certo. Com o apito final na "Cidade Maravilhosa", o 13 de dezembro era novamente um dia de festa para os rubro-negros: o Flamengo conquistava seu tetracampeonato brasileiro!

Gol de Bebeto garantiu título brasileiro ao Flamengo (Foto: Divulgação/Flamengo)
Gol de Bebeto garantiu título brasileiro ao Flamengo (Foto: Divulgação/Flamengo)

Desgosto profundo: Liverpool bate Flamengo na prorrogação e barra sonho rubro-negro

O autor do único gol na final do Mundial de Clubes da FIFA 2019 foi brasileiro. Nascido, criado e com as raízes fincadas na periferia de Maceió, capital do estado nordestino de Alagoas. Mesmo sendo tupiniquim, não deu o título ao clube brasileiro que disputava a decisão. Pelo contrário, foi o jogador responsável de garantir que os fundadores da modalidade pudessem erguer o troféu. Na tarde do sábado 21 de dezembro de 2019, no Khalifa International Stadium, em Doha, no CatarRoberto Firmino foi o protagonista da vitória do Liverpool sobre o Flamengo por 1 a 0.

O gol do desgosto flamenguista foi marcado apenas na prorrogação, no primeiro tempo. Apesar de ter jogado bem, ter mais minutos de melhor futebol e ter evidenciado uma boa apresentação frente a um adversário campeão da edição 2018-19 da UEFA Champions League, com maior qualidade técnica, estrutura e poder financeiro, o Rubro-Negro sucumbiu a um integrante cruel e imperdoável na temporada brasileira de 2019: o desgaste de ter jogado 75 jogos em 2019.

Foi o primeiro título do Liverpool na história da competição, após três vice-campeonatos e duas desistências. Ao Flamengo, restou o sabor amargo de não ter vencido após o melhor desempenho de uma equipe sul-americana no torneio em muitos tempos, no entanto, também, o sentimento mais belo: de lutar e ter feito tudo o que estava ao seu alcance. A façanha de dezembro de 1981 não se repetiu, mas o ano foi glorioso.