Produtoras devem aumentar preço médio dos jogos na próxima geração
Imagem: Reprodução

Uma notícia chamou a atenção dos gamers nos últimos dias, quando a 2K Games deu a entender que na próxima geração de consoles, haverá um aumento no valor base dos jogos no exterior, algo que não ocorria desde o lançamento do Playstation 3 e Xbox 360, entre 2005 e 2006. Essa ideia inclusive é compartilhada por outras produtoras

Na época os jogos tiveram um aumento de 10 dólares, passando de $49,99 para $59,99. Neste novo aumento, teríamos o acréscimo de mais 10, batendo os $69,99. Pensando no mercado nacional, obviamente esse preço pesará ainda mais no bolso dos jogadores, mas falaremos disso adiante.

Empresas justificam aumento por conta dos custos de produção

 

A justificativa para tal aumento, foi dada via IDG Consulting (uma empresa de pesquisa especializada em jogos) e pelo seu CEO, Yoshio Osaki. Segundo ele, tal aumento deve-se ao fato de que nos últimos anos os custos de produção dos jogos aumentaram entre 200 e 300%, mas que esse preço não foi repassado ao produto final.

Indo além, Osaki comparou esse congelamento de preços, com o de outras plataformas de entretenimento, como ingressos de cinema, que aumentaram 39%, os custos de assinatura da Netflix que aumentaram 100% e os pacotes de TV a cabo que aumentaram 105% (aqui a referência são os preços nos EUA). Inclusive destacou que nessa comparação, o aumento que as produtoras de games querem dar é... baixo:

"Mesmo com o aumento para US $ 69,99 para a próxima geração, esse aumento de preço de 2005 para 2020 é de apenas 17%, muito mais baixo que nas outras comparações. Embora o custo de desenvolvimento e publicação tenha subido, além dos preços em outras verticais de entretenimento subido substancialmente, os preços de software de última geração não refletiram esses aumentos. US $ 59,99 a US $ 69,99 nem sequer cobrem completamente esses outros aumentos de custos, mas movem-no mais na direção apropriada ".

Aqui vale destacar que, apesar de tudo, esses aumentos que tanto a 2K games, como outras empresas planejam fazer, segundo a IDG, devem ficar apenas nos jogos AAA.

Números apresentados apenas trazem metade da história

 

Olhando friamente os números e a forma como foram colocados, de fato temos uma longa estagnação de preços dos títulos considerados de ponta. Entretanto, se pegarmos o próprio exemplo da 2K Games e analisarmos a fundo, veremos que a história é muito diferente.

A produtora tem títulos como Civilization, NBA 2K, Borderlands, entre outros. Como essa possibilidade foi anunciada em relação ao jogo de basquete, utilizemos ele como exemplo. 

O jogo pode ter um custo alto de produção, porém além de tratar-se de um game de "temporada" (sai um novo todo ano), falamos de um título com modos onde os jogadores executam diversas micro transações (comprando tokens), além de possuir diferentes versões, como a padrão e a deluxe, sendo a segunda consideravelmente mais cara.

Se levarmos para outros jogos, como aqueles que trazem pacotes de temporada, expansões, estes elementos fazem com que o valor final dos jogos, supere e muito o custo inicial pago pelo usuário.

Sabendo que mesmo que haja esse aumento base nos jogos, não será o fim da cobrança por expansões, nem mesmo das microtransações, possa ser o momento dos jogadores repensarem sua forma de consumir e passar a esperar por promoções, ou mesmo pacotes que tragam várias expansões juntas.

Porque essa nova geração, apesar de prometer uma revolução gráfica, talvez possa trazer um peso no bolso dos usuários maior do que eles poderiam esperar.

VAVEL Logo