'Mãe prostituta' e mais: Derrius Guice revela perguntas 'absurdas' em entrevistas para chegar à NFL

Em pleno 2018, algumas franquias também questionaram o running back sobre sua sexualidade

'Mãe prostituta' e mais: Derrius Guice revela perguntas 'absurdas' em entrevistas para chegar à NFL
Foto: Icon Sportswire/Getty Images

O mundo dos esportes avança cada vez mais em termos físicos, mentais e científicos. Os esforços para tal são sempre resultados de investimentos de bilhões de dólares anualmente. No entanto, há uma coisa que o dinheiro não parece comprar: o respeito. Com a proximidade do draft, o prospecto Derrius Guice, running back da faculdade de Lousiana State (LSU), revelou que teve sua sexualidade questionada durante uma entrevista com uma equipe da NFL. E ainda insinuaram que sua mãe seria uma prostituta.

Em uma entrevista à rádio SiriusXM, o jogador - que está cotado para ser draftado na primeira rodada - comentou o ocorrido e indicou que tem noção do motivo pelos quais essas perguntas lhe atingiram. Segundo Guice, seria uma forma das equipes tentarem lhe atingir psicologicamente e medir suas reações.

"Foi bem doido. Algumas pessoas estão realmente tentando entrar na sua cabeça e testar suas reações. Eu entro em uma sala, e um time me pergunta se eu gosto de homens, só para ver minha reação. Entro em outra sala e eles tentam trazer histórias sobre minha família e me dizem: 'Ei, ouvi que sua mãe vende seu próprio corpo. Como você se sente sobre isso?'"

As rodadas de entrevistas com os prospectos disponíveis para serem draftados são uma tradição do NFL Combine, que aconteceu na última semana. As equipes têm a oportunidade de conhecer melhor o atleta que pretendem draftar e fazer suas escolhas pertinentes. Guice ainda revelou que já havia sido alertado para esse tipo de "perigo".

Derrius Guice é considerado um dos melhores running backs da classe do Draft de 2018 (Foto: Joe Robbins/Getty Images)
Derrius Guice é considerado um dos melhores running backs da classe do Draft de 2018 (Foto: Joe Robbins/Getty Images)

"Foi exatamente como todos me disseram que seria. Foi cansativo, mas foi uma boa experiência. Você está sendo monitorado e testado o tempo inteiro", falou o RB sobre o que viveu no Combine.

Outros dois casos de perguntas sobre a sexualidade dos jogadores já foram revelados. O último deles aconteceu com o CB Eli Apple, draftado pelo New York Giants em 2016, que também foi questionado 'se gostava de mulheres' por um assistente técnico do Atlanta Falcons. Ainda que o nome do treinador não tenha sido revelado, o head coach Dan Quinn afirmou que conversou e explicou como esse tipo de pergunta era inaceitável a seu subordinado.

O tight end Nick Kasa, ex-Oakland Raiders, e hoje sem espaço na liga, também passou por algo semelhante em 2015. A NFL recriminou as duas ocorrências, mas não parece ter conseguido eliminar esse tipo de inconveniência em entrevistas pré-Draft.