Cam Newton comenta violência policial em Charlotte: "Embaraçoso que continue acontecendo"

Onda de violência policial contra negros gerou protestos na cidade durante essa semana

Cam Newton comenta violência policial em Charlotte: "Embaraçoso que continue acontecendo"
Foto: Getty Images

O clima em Charlotte não está nada bom. E isso não tem relação com a fase do Carolina Panthers. Após a morte de um garoto negro, por policiais, a população saiu para as ruas em protesto, gerando mais conflitos e tensão na cidade. O clima está tão pesado, que existe a possibilidade de o jogo contra o Vikings não acontecer no Bank of America Stadium.

Principal estrela do Panthers, o quarteback Cam Newton tem sido muito cobrado pela mídia e até manifestantes, de tomar uma posição diante dos acontecimentos. O jogador sempre se esquivou deste assunto, mas após os conflitos violentos desta quarta, o camisa 1 decidiu falar.

"Poderia ter acontecido em Atlanta. Poderia ter acontecido em Los Angeles. Não importa. É embaraçoso que as coisas simplesmente continuem acontecendo. A grande coisa é sempre responsabilizar as pessoas, não importa qual a raça, não importa qual o sexo. Nós todos temos que considerar as pessoas responsáveis", enfatizou Newton.

Em seus cinco anos de NFL, Newton nunca teve tanta popularidade como agora. Porém, com a fama veio as cobranças por sua posição em discussões políticas e ideológicas. Ano passado, durante uma conferência antes do Super Bowl 50, Cam disse: "Eu sou um quarterback Afro-Americano que pode assustar muita gente, porque eles não viram nada que podem comparar-me". As falas geraram mais interesse da mídia em saber a posição do QB sobre racismo.

"Eu estou em uma posição onde agora se eu disser algo, eu vou ser criticado e se eu não dizer algo, vão falar 'Oh, você é falso ou você falha. Eu sou crente na justiça. Eu sou crente em fazer a coisa certa. E eu não posso repetir o suficiente, apenas manter as pessoas responsáveis", disse Cam.

Quem tem se destacado por tomar uma posição sobre a brutalidade policial é o quarterback do San Francisco 49ers, Colin Kaepernick. O jogador tem se ajoelhado em forma de protesto durante o hino nacional americano, gerando a aprovação do presidente Barack Obama, mas também ameaças. Newton elogiou a postura de seu companheiro, mas disse ter sua própria forma de contribuir.

"Eu também posso tomar uma posição em meu próprio direito. É por isso que eu tenho uma fundação e eu tenho tentado fazer de tudo para a cidade de Charlotte, ou onde quer que eu esteja por perto e poder impactar de uma forma positiva. E eu espero que as pessoas vejam isso e façam a mesma coisa", declarou o Cam Newton.

O técnico do Panthers, Ron Rivera, decidiu se posicionar sobre o pedido excessivo da mídia por uma atitude dos jogadores. O head coach falou que quem deve se posicionar são os políticos e pessoas do congresso, não seus jogadores.

"É preciso haver alguma conversa. Mas as pessoas que devem conversar sobre, são eles? São eles que racham as linhas dos partidos? São eles que chegaram através do Senado e da Câmara e conversam sobre isso? Você já ouviu falar alguma coisa vir deles? Não, não temos, não é?", disse Rivera.

Por enquanto ainda não foi tomada nenhuma decisão oficial sobre onde será disputado o jogo contra o Vikings. Mas há a possibilidade de que não ocorra no Bank of America. O estádio da universidade de Clemson, na Carolina do Sul, é uma opção. O local tem capacidade para 81 mil pessoas.