WR Doug Baldwin afirma ter recebido ameaças por críticas à polícia

Jogador do Seattle Seahawks recebeu mensagens em tom de ameaça após questionar violência policial

WR Doug Baldwin afirma ter recebido ameaças por críticas à polícia
Baldwin encontrou Kaepernick na terceira semana da NFL (Foto: Otto Greule Jr/Getty Images)

Os protestos antes dos jogos da NFL têm crescido cada vez mais e a repercussão também. Crítico da violência policial e da forma como as pessoas são tratadas pelas autoridades, o WR Doug Baldwin disse ter recebido ameaças de morte nas últimas semanas. O caso também aconteceu com Colin Kaepernick, que iniciou os protestos na liga.

Doug Balwin comentou, em um programa de entrevistas dos Estados Unidos, que recebeu ligações e mensagens justamente contra sua postura. Recentemente, ele havia dito em entrevistas que a justiça norte-americana deveria revisar os programas de treinamento das forças de segurança do país inteiro.

"Sofri algumas ameaças. Pessoas me disseram para ficar ligado, me proteger. Se algo acontecer comigo, acho que vai justamente provar o meu ponto, que há problemas em nossa cultura, nossa sociedade, que precisam mudar", afirmou o Wide Receiver.

Nos últimos meses, diversos jogadores começaram a se expressar sobre o caso, principalmente com as mortes recentes por violência da polícia norte-americana. Enquanto debates sobre o tema têm ocorrido em diversas oportunidades, tanto entre atletas quanto na política, jogadores e jogadoras das grandes ligas dos Estados Unidos fazem gestos em protesto, tanto ajoelhando quanto levantando o pulso durante o hino nacional.

O primeiro a falar sobre o tema foi Colin Kaepernick, iniciando um grande movimento no mundo esportivo ainda na pré-temporada. Ele recebeu apoio não só na NFL, mas também de astros da NBA, WNBA e na liga feminina de futebol.

Na terceira semana da NFL, o Seattle Seahawks enfrentou o San Francisco 49ers e conquistou ótima vitória. Durante o confronto, Baldwin e Colin Kaepernick se encontraram e o WR afirmou que tem falado bastante com o QB, que iniciou o movimento de protestos na NFL. "Admiro o que ele fez. Ele assumiu o papel de liderança, deu o primeiro passo e agora nós estamos prontos para seguirmos em frente discutindo esse tema", afirmou Doug.